Sementes do Seridó começa hoje em Acari

Publicação: 2020-10-16 00:00:00
O “Sementes do Meu Seridó”, um dos 18 projetos patrocinados pela Cosern e pelo Instituto Neoenergia, por meio do edital Transformando Energia em Cultura e da Lei de Incentivo à Cultura Câmara Cascudo, realiza a partir de hoje (16) um ciclo de apresentações virtuais do espetáculo teatral “Meu Seridó”.

Créditos: Bruno MartinsA cultura do Seridó é exaltada em produções que serão divulgadas em várias cidades da regiãoA cultura do Seridó é exaltada em produções que serão divulgadas em várias cidades da região

A programação acontecerá sempre a partir das 20 horas no canal do YouTube da Casa de Zoé conforme o seguinte cronograma: Acari (16), Florânia (17), Parelhas (18), Umarizal (23), Currais Novos (24) e Carnaúba dos Dantas (25), cidades contempladas pelo projeto “Sementes do Meu Seridó” (leia mais abaixo).

De acordo com Renata Chagas, Diretora-Presidente do Instituto Neoenergia, dentre muitos segmentos, o de arte e cultura foi um dos mais afetados economicamente pela pandemia, impactando toda sua cadeia produtiva. “Como Arte e Cultura é um dos pilares de nossa atuação, percebemos que era importante a realização de um projeto como “Sementes do Meu Seridó” nesse momento para ajudar esses profissionais na proposição de novas ações e, especialmente, a pensar nessa nova reconfiguração pós pandemia, que ainda não sabemos como será, mas que exigirá, certamente, mais persuasão na proposição de projetos”, diz Renata.

O espetáculo “Meu Seridó”, que entrou em circulação deste o final de 2017, narra a história do Seridó de forma poética e bem-humorada, valorizando os costumes e tradições típicos de uma das regiões mais importantes do estado. Com o objetivo de proporcionar uma experiência imersiva ao espectador, antes de cada apresentação haverá um bate-papo entre membros da Casa de Zoé e anfitriões das cidades contempladas, havendo, portanto, uma ligação mais íntima entre as apresentações e o público que irá acompanhar via internet.

A peça foi pré-gravada em estúdio e contou com utilização de quatro câmeras, absorvendo o melhor dos aparatos tecnológicos no sentido de proporcionar a sensação única de estar no palco acompanhando a evolução da história do Seridó, narrada pelo espetáculo.

"As quatro câmeras resultaram em mais de 12 horas de filmagens em inúmeros takes, até todo esse processo captado de forma fragmentada se unir e fluir numa coisa só, paradoxalmente preservando a condução natural de quando a peça é apresentada presencialmente, preservando a endorfina artística", afirmou Carito Cavalcanti, que dirigiu a gravação do espetáculo.

As apresentações em ambiente virtual acontecem como culminância do projeto "Sementes do Meu Seridó", que desde setembro realiza uma série de atividades formativas e bate-papos com personalidades seridoenses através das redes sociais da Casa de Zoé.

César Ferrario, diretor do "Meu Seridó", destaca que a transposição de um espetáculo teatral do palco para as plataformas virtuais oferece riscos, desafios, porém, novas possibilidades. "A grande questão é manter as características da criação primeira que foi feita para o tablado, para a relação presencial, mantendo ao máximo possível essas características na captura da obra pelo audiovisual", sublinhou.

Outra ação realizada pelo projeto foi a realização de lives pelas redes sociais com várias personalidades do Seridó, como forma de preservar a memória e ressaltar a diversidade de pensamentos do povo seridoense.