Seminário traz Ricardo e o ministro

Publicação: 2011-06-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Seminário traz Ricardo e o ministro

Depois de muitos anos, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira retorna a Natal. Vem participar de um seminário sobre a Copa 2014, em companhia do ministro dos Esportes, Orlando Silva, uma promoção da Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico, cujo titular é o publicitário Tertuliano Pinheiro, presença também do secretário municipal da Juventude, Esporte e Lazer, Rodrigo Cintra, e do titular da Seel, Joacy Bastos. O principal conferencista é o vice-presidente de marketing do McDonald’s, Mauro Multedo. O local do seminário é o Centro de Convenções do Pirâmide Palace Hotel, na Via Costeira. Os temas principais serão “Inclusão Social e Desenvolvimento”, com relato de experiência nas Copas já realizadas até poucos anos atrás. Outro conferencista, Mauro Multedo abordará o tema “Expectativa, investimentos e retorno”. Início 8h30, desta sexta-feira.

Datas festivas

Talvez pelo fato de ser o país com maior número de títulos mundiais no futebol, o brasileiro deixa passar em branco algumas datas memoráveis que acontecem anualmente entre os meses de maio a junho, para nós torcedores. Por exemplo: dia 30 de maio, fez 49 anos da estreia do Brasil no Mundial do Chile com vitória sobre o México por 2x0, dia 08/06 aplicou 3x0 na Áustria valendo a Copa de 58, na última 2ª feira pelo Mundial do Chile 4x2 nos “donos da casa”.

Datas (2)

Nesta sexta-feira, tem o sonoro 3x1 diante da Tchecoslováquia e o título de bicampeão da Jules Rimet em 62. Sempre acontecendo no meses maio e junho,  lembra os dois títulos do Brasil: em 1994 e 2002. Não podemos esquecer nossas conquistas. Em 94, derrotamos a Itália nas penalidades, e em 2002, dia 30/06 o Brasil despachou a Alemanha por 2x0, pentacampeão, gols de Ronaldo “Fenômeno”. A próxima, será aqui, e o tão esperado hexa pode acontecer.

Datas (2)

Também num 17 de junho, daqui a dois dias, em 1970, no México, aquela que é considerada a maior equipe que o Brasil já colocou num Mundial, derrubou o Uruguai por 3x1 no estádio Jalismo, Guadalajara, gols de Clodoaldo, Jairzinho e Rivelino. E, quatro dias depois, goleamos a Itália por 4x1, gols de Pelé, Gerson, Jairzinho e Carlos Alberto Torres, selando a conquista. O estádio foi o Azteca, o time canarinho com Félix, Carlos Alberto, Brito, Piazza e Everaldo (falecido em um desastre), Clodoaldo, Gerson e Rivelino, Jairzinho, Pelé e Tostão. Dia 18, faz 41 anos do Tri do México.

As razões de Judas

Num e-mail à coluna, o ex-presidente Judas Tadeu expõe sua opinião sobre o assunto envolvendo seu nome, o do presidente Guilherme e do vice Paiva Torres. 1) Para substituí-lo no ABC, sempre confiou no seu amigo Paiva Torres, chegando, inclusive, a lançar o  nome dele, 90 dias antes da eleição. 2) Quando sentiu que Paiva Torres não toparia, viu uma solução no nome de Fred Menezes, mas ele descartou devido problemas por  integrar o 1º escalação do governo do estado. Diante disso, convidou Poti Júnior como vice de uma outra chapa. Ele aceitou suas ponderações.

As razões (2)

Judas Tadeu prossegue na sua versão: “O nome de Paiva Torres para presidente não era o de Rubens Guilherme e, sim, Ruy Barbosa. Com a confirmação do nome de Rubens, Paiva coordenou todo movimento antes da eleição, o que fez com muita inteligência”, frisa Judas. Houve várias reuniões, todas com a presença de JT. Sempre visando a fortalecer o nome de Rubens, garantir o apoio de amigos, principalmente o G7 (outras farmácias). “Esta é a pura e verdadeira história, e quem quiser dizer diferente disso está querendo especular, negativamente ou desvalorizar a nossa decisão pela escolha do atual presidente”, acrescenta Judas Tadeu.

As razões (3)

Conclui JT: “Fico triste e desapontado porque hoje o próprio presidente Rubens  não reconhece esta versão, conforme citou o presidente na publicação no jornal ‘Muito mais’, lançado pelo ABC, agora em maio. Essa não foi e nem deverá ser a última ingratidão após a minha saída. Depois da renúncia de Leonardo Arruda, assumi o comando por mais três mandatos porque ninguém queria topar. Aliás, um queria, mas lhe faltava coragem de lançar seu nome, outro ficou de longe e só voltou quando viu o ABC viabilizado e com grandes fontes de receita.” Este é o e-mail que o ex-presidente Judas Tadeu enviou a esta coluna, com pedido de publicação.

A festa do verdão

Sem a pompa de um ABC ou um América, o Alecrim fez anteontem o lançamento da largada da Série “D”, com a apresentação dos novos jogadores e anúncio dos seus patrocinadores, num total de oito. Alguns prefeitos do interior, cobertura das tevês, numa reunião simples, porém muito concorrida.

Óbito

No intervalo de um dia, duas notícias tristes para o futebol do RN: a missa de 7º dia de Breno Pahim e Jácio Fiúza. Breno foi vice-presidente de futebol do América durante muio tempo, um cavalheiro, um amigo, recebia a todos com atenção no escritório da extinta Varig, na rua João Pessoa.

Óbito (2)

Jácio Fiúza, empresário, convidado pelo ABC, aceitou ser o tesoureiro do ABC FC na longa excursão do alvinegro à África, Ásia e Europa, em 1973. No meio da excursão, teve sua capanga roubada, com US$ 6 mil dólares que havia acumulado nas partidas que o ABC já havia disputado. Jácio estava com 86 anos.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários