SER faz acordo para compra da Laureate, dona da UNP

Publicação: 2020-09-15 00:00:00
A Universidade Potiguar terá novos donos. O Grupo pernambucano Ser Educacional (SEER3) anunciou acordo para assumir todas as operações, no Brasil, da Rede Internacional de Universidades Laureate, a quem pertence a Universidade Potiguar - UNP e diversos outros núcleos de ensino. A transação será de R$ 3,8 bilhões. Mas esse pode não ser o fim dessa história: a Yduqs (ex-Estácio), segunda maior empresa do setor no País, afirmou, em comunicado, que pretende competir pelos ativos. O vencedor da disputa deve ser definido por critérios de concorrência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Créditos: DivulgaçãoGrupo Laureate detém no Rio Grande do Norte, há dez anos, a Universidade Potiguar (UNP)Grupo Laureate detém no Rio Grande do Norte, há dez anos, a Universidade Potiguar (UNP)

O acordo de compra feito entre a Laureate e o Ser é referente a 100% do capital social e votante de todos os ativos. O grupo pagará R$ 1,7 bilhão em dinheiro, além de assumir uma uma dívida líquida estimada em R$ 623 milhões. Adicionalmente, a Laureate receberá ações equivalentes a 44% da nova companhia.

O fechamento da operação depende de condições precedentes, dentre elas, aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Adicionalmente, a Laureate pode aceitar, no prazo de 30 dias contados da data da celebração do contrato,  ou seja, até 13 de outubro deste ano, propostas vinculantes superiores a efetivada pelo Ser Educacional apresentadas por terceiros interessados (“Go-Shop”). 
Em caso de haver proposta superior nesse prazo, o Grupo Ser tem a preferência de igualar qualquer eventual nova proposta, e não havendo interesse em igualar eventual proposta, receberá R$ 180 milhões, a título de multa contratual. Uma vez confimada a ausência de propostas superiores a apresentada pela Ser Educacional, a transação está prevista para ser concluída até o final de 2021. 

A negociação manterá como controlador da companhia o fundador e atual controlador do Grupo Ser Educacional, o paraibano Janguiê Diniz, que continuará apontando a maioria dos membros do Conselho de Administração da companhia, bem como os seus  executivos. Como resultado da transação, Janguiê passará a ser detentor de 32,1% da companhia, mantendo seu direito de voto como acionista principal e maior acionista individual da nova companhia Ser Educacional.

A Ser Educacional já havia informado o interesse da compra há alguns meses. O grupo avaliava a potencial transação envolvendo os ativos do Grupo Laureate no Brasil. Quando concluída a compra da Laureate, o Ser será terceiro maior grupo de ensino superior do Brasil, com 452 mil alunos, mais de 100 campi universitários e 500 polos de ensino a distância nos  26 estados brasileiros e no Distrito Federal,  atrás da Yduqs, com 633 mil alunos, e da Cogna (antiga Kroton), com 921 mil. 

Além disso, chegaria a 1.175 vagas em cursos de Medicina, os mais rentáveis da educação superior. Nessa área, as mensalidades são maiores e a taxa de evasão é menor - ponto fundamental em meio ao cenário de recessão que levou as empresas a abrirem mão da rentabilidade para segurarem as matrículas.

A Laureate Brasil tem presença em sete estados e 13 cidades, com 50 campi universitários e 267 mil estudantes. Os ativos incluem as unidades do Centro Universitário FMU e da Universidade Anhembi Morumbi (UAM), em São Paulo; os Centros Universitários Ritter dos Reis (UniRitter) e Fadergs, no Rio Grande do Sul; a Universidade Salvador (UNIFACS), na Bahia; a Universidade Potiguar (UnP) no Rio Grande do Norte; o Centro Universitário dos Guararapes (UniFG), em Pernambuco; a Faculdade Internacional da Paraíba (FPB), na Paraíba; o Centro Universitário IBMR (IBMR) no Rio de Janeiro, dentre outras.

Já o Ser Educacional está presente em 26 estados e no Distrito Federal, com uma base consolidada 185 mil alunos, operando sob as marcas UNINASSAU - Centro Universitário Maurício de Nassau – Faculdades Uninassau, UNINABUCO - Centro Universitário Joaquim Nabuco, Escolas Técnicas Joaquim Nabuco e Maurício de Nassau, UNIVERITAS – Centro Universitãrio Universus Veritas,  Faculdades Univeritas, Univeritas/Ung -  Universidade de Guarulhos,  UNAMA - Universidade da Amazônia, Faculdades Unama,  e a UNINORTE - Centro Universitário do Norte, por meio das quais oferece 1.904 cursos.

Com as negociações em aberto, a YDUQs afirmou em comunicado que acredita ter condições de apresentar proposta concorrente mais atrativa dentro do prazo estabelecido para o go-shop, apontando “forte potencial estratégico e de geração de valor que as empresas combinadas teriam”.

Ações na bolsa
A nova companhia, que já é listada no Brasil, também passará a ter suas ações negociadas nos Estados Unidos, e aprimorará seus padrões de governança corporativa com a criação de diversos comitês estratégicos como o de integração e de auditoria, além dos já existentes, de forma a atender aos padrões de governança estabalecidos pela lei Sarbaes-Oxley (SOX).

"O Grupo Ser Educacional, durante os seus 17 anos de trajetória, sempre buscou crescer de forma orgânica e por meio de aquisições. A negociação realizada, com a consequente incorporação da Laureate Brasil ao Grupo, traz benefícios para ambas as companhias e  permitirá ao Grupo Ser  dar um passo grandioso na consolidação do setor educacional brasileiro", afirma o CEO do Grupo Ser Educacional, Jânyo Diniz.

“A Laureate Brasil é referência de oferta de cursos na área de saúde, especialmente em Medicina, com mais de 800 vagas anuais. 

Concluindo a incorporação, iremos agregar 11 instituições de ensino ao nosso portifólio e ampliar nossa presença em quase todos os estados do Brasil, consolidando o grupo como um player nacional”, acrescenta o CEO.

No mercado de valores, as ações reagiram positivamente, com os ativos SEER3 fechando o dia a 16,30% na sessão, ainda que com baixa de quase 40% no ano. As ações YDUQs também saltaram na Bolsa, chegando a subir 8,93%. 

A Laureate anunciou que também está vendendo outras participações na América Latina (Chile) e  nos EUA, a Walden University, vendida por US$ 1,48 bi para a Adtalem.












Leia também: