Economia
Serviços retomam crescimento no Rio Grande do Norte
Publicado: 00:00:00 - 14/01/2022 Atualizado: 22:34:22 - 13/01/2022
Após três registros negativos dentro do segundo semestre de 2021, o setor de serviços cresceu 0,9% novembro no Rio Grande do Norte, apontou levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado potiguar também representa 10,1% no acumulado de 2021, de janeiro a novembro, ao se comparar ao mesmo período de 2020. 

Adriano Abreu
Atividades de serviços cresceram 10,1% no levantamento anual

Atividades de serviços cresceram 10,1% no levantamento anual


Além disso, a pesquisa aponta que o setor teve crescimento de 7,7% ao se comparar com o mesmo período de 2020. Segundo Marcelo Queiroz, presidente da Federação do Comércio e Serviços do Rio Grande do Norte (Fecomércio), a recuperação do segmento, que sozinho responde por cerca de 48% do PIB potiguar, é uma ótima notícia para o Estado. “Até novembro, tivemos um crescimento de 10,1% no acumulado do ano. Esse resultado é um reflexo direto do impacto positivo do aumento dos índices de vacinação da população no estado, o que permitiu que as pessoas circulassem com mais liberdade e consumissem, influenciando no faturamento sobretudo de hotéis, bares e restaurantes”, diz. 

Dentro do mês, o RN está no mesmo nível de crescimento da Paraíba (0,5%) e Ceará (0,4%), ao se comparar com os estados do Nordeste. Sergipe (3%) e Pernambuco (2,5%) tiveram os maiores crescimentos da região. Alagoas (-0,9%) e Bahia (- 0,3%) tiveram os piores resultados, no mês, entre os nove estados do Nordeste.

“Outro fator importante foi a retomada do setor de eventos, que, no mês de setembro, teve liberação de 100% de suas atividades. Os investimentos na divulgação turística formam outro diferencial. Estamos otimistas e acreditamos que o segmento manterá o ritmo de crescimento e iniciará  2022 com bons resultados”, aponta Marcelo Queiroz.

No Brasil, o aumento foi de 2,4% no volume de serviços prestados na passagem de outubro para novembro. Embora quatro das cinco atividades pesquisadas tenham registrado crescimento, o bom desempenho foi turbinado pelo subsetor de tecnologia da informação, que teve um avanço de 10,7%, apontou Rodrigo Lobo, gerente da Pesquisa Mensal de Serviços do IBGE.

"Se uma, mesmo que tenha havido uma disseminação de taxas positivas em novembro ante outubro, o ganho deste mês ficou com as empresas desse segmento de tecnologia da informação, que neste mês trouxe uma taxa de 10,7%. É a taxa mais intensa desde janeiro de 2018, quando tinha crescido 11,8%", lembrou Lobo. O avanço no volume de serviços prestados em novembro elimina completamente a perda de 2,2% acumulada nos dois meses anteriores: setembro (-0,6%) e outubro (-1,6%).

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte