Servidores da ECT entram em greve

Publicação: 2018-03-13 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Na manhã do primeiro dia da greve dos funcionários do Correios foi de baixa adesão no Rio Grande do Norte. Nesta segunda-feira (12), apenas 98 dos 1,3 mil trabalhadores do estado aderiram a greve e apenas uma agência entre as 178 existentes fechou, segundo levantamento oficial da estatal. Durante a manhã, o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios (Sintect/RN) organizou um protesto no complexo dos Correios na zona Sul de Natal, com aproximadamente 30 presentes. A quantidade de trabalhadores  nas agências do Correios do Estado no primeiro dia da greve é de 92% do quadro total. Segundo a superintendência regional, esse número é maior que a média nacional de 87% presente.

Atendimento foi normal na Agência Ribeira, em Natal. Serviço postal está prejudicado, mas por outra greve: a dos vigilantes

Os serviços das agências abertas funcionaram normalmente, exceto para o banco postal – esse está sem ser realizado como consequência da greve dos vigilantes do estado, que não tem relação com a dos trabalhadores do Correios. Os centros de distribuição, ainda de acordo com a direção da empresa, também abriram nesta segunda, mas com o número de carteiros reduzidos. A empresa promete fazer mutirões caso o serviço seja prejudicado.

A greve dos trabalhadores do Correios é nacional. Um dos principais motivos é a retirada do plano de saúde dos trabalhadores, em julgamento no Tribunal Superior do Trabalho (TST). A alteração defendida pela gestão da estatal retiraria pais, filhos e cônjuges do plano. Os dados nacionais da empresa mostram que a assistência custa R$ 12 mil por funcionário, somando R$ 1,8 bilhão por ano. 

O Sintect/RN também reivindica a reposição de aproximadamente 500 funcionários que saíram da empresa por meio do Plano de Demissão Voluntária, aberto em 2017. Outros motivos da greve nacional são contra alterações no Plano de Cargos, Carreiras e Salários, suspensão de férias a partir de abril, redução de carga horária e do salário dos funcionários da área administrativa, extinção de cargo de operador de triagem e transbordo e fechamento de mais de 2.500 agências próprias pelo Brasil.

Apesar do baixo número de agências fechadas e de público no protesto, a avaliação do sindicato da categoria é que a adesão dos funcionários foi alta nesta segunda. “A adesão está ótima, tanto aqui, quanto em Mossoró. Fizemos um ato durante a manhã (desta segunda-feira) e continuaremos mobilizados”, afirma José Edilson, presidente do Sintect/RN. Nesta terça-feira, um novo ato está marcado às 9h, no complexo dos Correios de Lagoa Nova.

Procon
O Procon Natal, que atua na defesa do consumidor, afirmou que qualquer prejuízo por falta de serviços prestados pelo Correios devem ter denúncia feita. O coordenador-geral do órgão, Cyrus Benavides, afirma que o órgão tem legitimidade para agir, mas depende da ação dos consumidores. “Eu peço para que as pessoas nos informem, denunciem, para que a gente possa atuar em um processo individual”, disse.

De acordo com o Procon, se o serviço dos Correios não for prestado ao consumidor, ele tem direito ao ressarcimento ou abatimento do valor pago, além de multa para a empresa. Em caso de atraso ou a não entrega vir a acarretar dano moral ou material, cabe acionar a Justiça.

Em casos de faturas e boletos, a data de vencimento não sofre alteração com a greve. Caso não seja entregue até o dia-limite, o consumidor tem que procurar a empresa credora e solicitar outra opção do pagamento. Se a empresa não disponibilizar de outras formas, deve prorrogar a data de vencimento.

Números
1.303
é a quantidade de trabalhadores ativos no Correios do Rio Grande do Norte;
564 destes são carteiros;
477 são atendentes;
92% esteve presente no primeiro dia de greve;
98 funcionários faltaram e foram considerados grevistas;


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários