Servidores mudam hábitos e se adequam a atraso salarial

Publicação: 2017-09-24 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Frente a incerteza sobre as datas em que receberá o salário nos próximos meses ou até o décimo terceiro , Antônia Noezilia, 53 anos, está cortando todas as despesas extras para garantir uma reserva de emergência. Ela conta que faz gastos extras somente quando sobre algum dinheiro do salário. “Eu compro apenas quando estou precisando, sou muito controlada”, diz a servidora.

Funcionária pública do Estado há 30 anos, Antonia Noezilia disse que um dos hábitos que adquiriu com os constantes atrasos salariais, foi de fazer compras somente à vista, pela indefinição do calendário de vencimentos. “Evito comprar no cartão de crédito, primeiro para não pagar juros e segundo porque não sei a data certa para receber. Tento comprar a vista absolutamente tudo”, explica  a funcionário do Estado.

Com o início da crise econômica, aliado aos atrasos do pagamento das folhas salariais, ela passou a pesquisar mais antes de fazer uma compra. No Centro da cidade, onde fazia compras com o filho, analisou os preços em diversas lojas de eletrodomésticos antes de levar o produto. “Serviço público não é mais sinônimo de estabilidade, as coisas ficaram difíceis. Olho bastante antes de levar qualquer coisa, porque não posso dar bobeira de pagar mais caro se posso levar por menos. E nesse período que estamos, aí que é bom pesquisar mesmo”, frisa Antonia Noezilia.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários