Natal
Sesap confirma não ter planos para um lockdown no Estado
Publicado: 00:00:00 - 08/05/2020 Atualizado: 17:26:41 - 13/05/2020
Mariana Ceci
Repórter

Em um boletim divulgado no último dia 5, o Comitê Científico do Consórcio Nordeste recomendou que o isolamento social rígido, o “lockdown”, seja decretado caso a taxa de ocupação dos leitos que tratam pacientes de Covid-19 chegue aos 80%. Até o momento, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN), não há planos concretos para implantar as medidas que impedem a livre circulação de pessoas, e os esforços do Governo estão centrados em garantir o crescimento do índice de isolamento social, que no Rio Grande do Norte chegou aos 40,7% na quarta-feira, 6. 

Elisa Elsie
Cipriano Maia, titular da Sesap/RN, disse nesta quinta, 7, que situação do RN é menos desfavorável

Cipriano Maia, titular da Sesap/RN, disse nesta quinta, 7, que situação do RN é menos desfavorável



De acordo com as autoridades de saúde, o mínimo para que a doença não se propague numa velocidade muito rápida e capaz de fazer o sistema de saúde entrar em colapso de forma mais célere, é que o isolamento social esteja em 60%. Até a quarta-feira, de acordo com a empresa In Loco, de geolocalização, o Rio Grande do Norte tinha a segunda pior taxa de isolamento social no Nordeste (40,7%), atrás somente do Estado de ergipe, que tinha 40,5%. 

O isolamento social subiu um pouco na quinta-feira, 7, em comparação ao dia anterior. Ele atingiu 42,3% da população do Rio Grande do Norte, mas está quase 20% abaixo do recomendado pelas autoridades de saúde. Em Natal, 42% da população permanece isolada, enquanto em Mossoró, outra cidade que concentra um grande número de casos e óbitos pela doença, o isolamento atinge apenas 37,6% das pessoas. Parnamirim, município com número expressivo de casos, é a que está em situação melhor entre as três, com uma taxa de 47,5% de isolamento. 

A incapacidade de atingir os índices desejados de isolamento vem se repetindo ao longo dos últimos 30 dias, de acordo com o levantamento, e o RN não conseguiu atingir, em nenhum momento, nem os níveis “esperados”, e nem os “ideais”.

Ainda não é possível estimar quando a ocupação vai atingir os níveis considerados preocupantes pelo Comitê Científico do Consórcio Nordeste, órgão que está à frente das recomendações feitas aos gestores estaduais. De acordo com a Sesap/RN, há duas variáveis que têm influência nas taxas de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI): o surgimento de novos pacientes e a capacidade de abertura de leitos no Estado. Entretanto, o surgimento de novos casos está diretamente relacionado à capacidade da população de manter o isolamento social, que tem caído cada vez mais no Estado. 

Por enquanto, os gestores do Rio Grande do Norte apelam para a sensibilização da população quanto à necessidade de ficar em casa para conter o avanço da curva de contágio, e garantir que as medidas de isolamento rígido não precisem ser implantadas no RN - apesar do avanço no número de casos.

O titular da Sesap/RN, Cipriano Maia, destacou que a situação do RN não é a mais desfavorável em relação aos demais Estados do Nordeste, mas que já há óbitos em todas as Regiões de Saúde locais, o que preocupa as autoridades e o isolamento não pode ser relaxado. “Não é o pior dos panoramas em termos de Nordeste. Estamos em uma posição que nos coloca em um patamar tanto de incidência como de mortalidade e letalidade na 6ª posição em comparação com os outros Estados da região", disse o secretário. A situação mais crítica, de acordo com ele, está nos estados do Ceará, Pernambuco, Maranhão, Paraíba e Alagoas. Os Estados em situação mais favorável em relação ao RN são o Piauí, a Bahia e Sergipe.

Critérios para isolamento rígido
O Comitê Científico do Consórcio Nordeste estabeleceu critérios que devem ser seguidos pelas administrações locais para implantação do isolamento rígido. O “lockdown", termo técnico utilizado para definir as medidas, deverá ser decretado a partir do momento que o número de leitos hospitalares destinados ao tratamento de Covid-19 superem 80% de ocupação. Essa é uma medida não-farmacológica recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para reduzir o avanço da curva de contágio da doença, quando o sistema de saúde começa a demonstrar incapacidade de atender à população infectada.

De acordo com as orientações do Comitê, o planejamento dessas medidas vai possibilitar que elas sejam aplicadas de maneira seletiva, atingindo apenas algumas cidades, regiões e estradas. Nesse modelo de isolamento, todas as entradas do perímetro devem ser bloqueadas por profissionais de segurança, e ninguém terá permissão de entrar ou sair da cidade sem justificativa plausível.

“Importante considerar, portanto, que a decretação de lockdown deverá ser feita em comum acordo com demais forças política e de segurança, sendo necessário, para isso, o envolvimento das forças armadas e polícias estaduais", reforçou o Comitê no Boletim assinado no dia 5 de maio.

De acordo com o documento, o Coronavírus avança rapidamente pelos municípios do Nordeste. No dia 4 de maio, 874 municípios da região (49%) já tinham casos confirmados da doença, o dobro em relação ao dia 24 de abril, 10 dias antes, quando 437 municípios tinham casos confirmados.

Spinelli comentou sobre o risco de ‘lockdown’
O secretário de Estado adjunto da Saúde Pública, Petrônio Spinelli, afirmou na quarta-feira, 6, que o Rio Grande do Norte está "mais perto do lockdown do que da flexibilização" por causa dos baixos índices de isolamento social. Segundo Spinelli, o lockdown, que é o bloqueio social máximo, poderia ser decretado se as medidas de distanciamento social atuais não surtissem efeito e o coronavírus continuasse em avanço no Estado, ameaçando o colapso da rede de saúde pública.  

Com um confinamento social mais rígido, adotado no Brasil em algumas cidades do Maranhão, Ceará e Pará, os moradores saem apenas em casos extremos e essenciais, como ida ao mercado ou farmácia e apenas os trabalhadores de serviços considerados essenciais continuam trabalhando. O não cumprimento pode causar multa e outras punições. Os trabalhadores essenciais precisam levar consigo uma declaração do empregador atestando o tipo de serviço desempenhado que justifique sua circulação diária.

Entidades representativas
Entidades ligadas aos setores produtivos no Rio Grande do Norte, como a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio RN) e Câmara dos Dirigentes Lojistas de Natal (CDL Natal), por exemplo, não foram consultadas ou comunicadas sobre o risco de lockdown no Rio Grande do Norte. A medida foi adotada em cidades do Maranhão e do Ceará.

UnP treina médicos e enfermeiros para enfrentar a pandemia
A Universidade Potiguar (UnP) iniciou nesta semana uma parceria com a LIGA Contra o Câncer para o treinamento de 147 profissionais médicos e enfermeiros que estão na linha de frente ao combate da Covid-19. A instituição de ensino destaca que  essa pandemia representa um dano significativo para pacientes com câncer, que apresentam alto risco de infecções devido a vários fatores 
predisponentes. Além disso, a maioria dos procedimentos de tratamento em oncologia não podem ser adiados. 

Divulgação


“Em situações como essa, ter profissionais bem capacitados é fundamental para garantir sucesso no tratamento de casos de grande complexidade, portanto, resolvemos unir forças para juntos vencermos essa batalha e garantir o atendimento à população do RN”, frisa a UnP em nota.








Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte