Sesap confirma que RN não tem caso suspeito de coronavírus

Publicação: 2020-02-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O Rio Grande do Norte não tem nenhum caso suspeito de coronavírus. Essa foi a confirmação dada por membros da Secretaria de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap), na manhã de ontem, após a suspeita sobre um caso analisado entre a quarta e quinta-feira, envolvendo um homem de 25 anos. A comunicação sobre a suspeita da doença por parte do paciente, inclusive, será investigada pela Polícia Civil do RN.

Créditos: Adriano AbreuAnúncio foi feito em coletiva de imprensa na manhã de ontem na Secretaria de Saúde do EstadoAnúncio foi feito em coletiva de imprensa na manhã de ontem na Secretaria de Saúde do Estado


De acordo com Alessandra Lucchesi, subcoordenadora de vigilância epidemiológica da Sesap, a notificação do caso foi recebida no dia 12, por volta das 19h. A investigação teve início devido ao quadro respiratório e o vínculo que o paciente afirmou que teria tido com chineses. Durante a entrevista coletiva, o secretário de Saúde, Cipriano Maia, confirmou o que foi publicado na edição da quinta-feira, 13, pela TRIBUNA DO NORTE sobre os exames e inconsistências no relato por parte do paciente, que é de Baía Formosa. No entanto, a Polícia Federal informou, após solicitação da Secretaria de Turismo do Estado que não houve a entrada de chineses no Rio Grande do Norte nos meses de dezembro de 2019 ou janeiro de 2020.

Precisamente, não há registros de chegadas de pessoas dessa nacionalidade desde setembro. Também fez parte da investigação epidemiológica a checagem do registro sobre hospedagem de chineses no hotel em que o homem esteve na praia de Pipa e também em quaisquer outros estabelecimentos da mesma natureza. “Nós vamos comunicar as informações que temos aos órgãos responsáveis do Estado, para que eles tomem uma posição, mas não vamos entrar em mérito sobre a intenção do paciente nesse caso. Em outros estados já aconteceu a responsabilização civil e criminal. Precisamos ter mais cuidado ao checar as informações, buscar canais oficiais e estabelecer canais de informação de forma democrática e pública”, disse o secretário Cipriano Maia.

O diretor do hospital Giselda Trigueiro, André Prudente, disse que não caberia a eles julgar se o paciente mentiu ou não sobre o caso, mas reafirmou que ele disse ao médico que o atendeu na rede privada que teve o contato com chineses em Pipa. O médico também rebateu a afirmação do paciente, que chegou a dizer que não comunicou que estava com coronavírus. “Ele disse indiretamente (que estava com a suspeita de coronavírus), uma vez que se queixou dos sintomas e disse que esteve com chineses de Wuhan", disse Prudente.

O paciente, ainda de acordo com o médico, segue internado, mas sem isolamento. “A prioridade é tratá-lo dos sintomas e liberá-lo. As informações já estão com as autoridades, que irão proceder da melhor forma", disse André Prudente.

Para Juliana Araújo, diretora de vigilância em saúde de Natal, a população precisa ter responsabilidades frente a qualquer denúncia. “Isso gera ônus para o serviço e para as instituições públicas. As informações precisam ser padronizadas, não podemos propagar informações sem consistência e devemos sempre procurar os veículos oficias do governo”, frisou.

O caso
O primeiro caso investigado para aferir a suspeita de coronavírus no Rio Grande do Norte foi praticamente descartado já na quinta-feira (13). A TRIBUNA DO NORTE confirmou que o paciente, um jovem de 25 anos, modelo, deu entrada no Hospital Giselda Trigueiro, em Natal, alegando estar com sintomas da doença. Ele chegou a ser isolado e recebeu visita de familiares, mas deverá ter alta nos próximos dias. Ontem, ele já foi retirado do isolamento após a exclusão da possibilidade de ser um caso da doença.

De acordo o infectologista André Prudente, o homem, natural de Baía Formosa, afirmou que teve contato com chineses no último dia 20 de janeiro, em um hotel na praia de Pipa, em Tibau do Sul, na Grande Natal. Os exames iniciais, de urina, sangue e respiratórios, já descartaram a hipótese do vírus oriundo da China.

Ainda de acordo com o diretor André Prudente, o homem alegou ter leucemia e procurou um hematologista nesta quarta-feira para falar dos sintomas, sendo encaminhado para o Giselda Trigueiro. Ele relatou ter se encontrado com os chineses, em um tempo meio fora do período de transmissão. Segundo o infectologista, o próprio quadro clínico do paciente não teve alterações típicas da doença.

Ele chegou a ficar em uma ala isolada da unidade, preparada especificamente para casos da doença, mas já foi encaminhado para leito comum nesta sexta. O RN foi o primeiro Estado do Brasil a ter um protocolo oficial por parte das autoridades em Saúde para o coronavírus.







Deixe seu comentário!

Comentários