Natal
SESAP rebate Ministério da Saúde sobre caso de adolescente que tomou três doses
Publicado: 17:49:00 - 16/09/2021 Atualizado: 19:07:42 - 16/09/2021
A Secretaria Estadual de Saúde Pública (SESAP), em nota, afirmou que a informação divulgado pelo Ministério da Saúde sobre um adolescente que tomou três doses de vacina contra covid é equivocada. Segundo o órgão, havia apenas uma pessoa registrada com as três doses dos imunizantes Pfizer e Astrazeneca. Isso aconteceu por conta de um erro de digitação, que aumentou o número de vacinas recebidas pelo jovem. A assessoria já comunicou sobre o problema e já o corrigiu dentro do sistema.

Adriano Abreu


Durante a coletiva de imprensa do Ministério da Saúde na tarde desta quinta-feira (16), foi divulgado que um adolescente do Rio Grande do Norte tomou três doses da vacina contra a covid-19. Sem especificar o número de vezes que os imunizantes Astrazeneca e Pfizer foram aplicados. Apesar do imunizante Pfizer ser a única aprovada pelo Plano Nacional de Imunização para o público. 

Ao todo, segundo o órgão, foram nove adolescentes do país que tomaram três vezes os imunizantes para a covid-19: Mato Grosso do Sul,  Rio Grande do Norte e São Paulo.

A Prefeitura do Natal suspendeu temporariamente a vacinação de adolescentes sem comorbidades contra a covid-19 após a nota atribuída ao Ministério da Saúde tratando sobre o tema na manhã desta quinta-feira (16). 

Suspensão
Após suspender a orientação para que adolescentes sem comorbidades possam se vacinar contra a covid-19, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que a aplicação da vacina neste público foi feita de maneira 'intempestiva', começando antes do previsto por decisão de estados e municípios.

As declarações foram dadas em entrevista coletiva na sede do Ministério, em Brasília, além de alegar que há registro de mais de mil eventos adversos às vacinas. "Estados e municípios iniciaram essa vacina antes, até no mês de agosto, vacina que era para começar ontem. Como conseguimos coordenar a campanha dessa forma?", apontou o gestor. 

Segundo Queiroga, estados estariam aplicando vacinas de outros fabricantes além da Pfizer, que é o único autorizado pela Anvisa para menores de idade. "Sigam a recomendação do PNI [Plano Nacional de Imunização], não apliquem vacinas que não têm autorização da Anvisa", disse. "Não vamos aceitar isso. Temos compromisso com todos os brasileiros, mas em especial com os adolescentes, que são o futuro dessa nação".

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte