Cookie Consent
Natal
Sesap/RN inclui nova categoria em boletim da covid-19
Publicado: 00:00:00 - 06/08/2020 Atualizado: 22:22:46 - 05/08/2020
Luiz Henrique Gomes
Repórter

A Secretaria de Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Sesap) anunciou nesta quarta-feira, 5, uma mudança na apresentação dos dados do novo coronavírus. A partir desta quinta-feira, 6, os boletins epidemiológicos contarão com “casos inconclusivos”, antes incluídos entre os casos suspeitos. A categoria vai incluir pessoas que apresentaram sintomas semelhantes aos observados na covid-19, mas não realizaram o teste para confirmar ou não a doença e já estão fora de risco.

Elisa Elsie
Informação foi confirmada por Alessandra Lucchesi durante coletiva de imprensa nesta quarta, 5

Informação foi confirmada por Alessandra Lucchesi durante coletiva de imprensa nesta quarta, 5



Com a mudança, o número de casos suspeitos deve cair nos próximos dias. Nesta quarta-feira, 5, a Sesap/RN considerou 63.521 pessoas como suspeitas. “Serão retirados os casos que não podemos afirmar que são confirmados ou se são descartados, mas não são casos que estão num período de transmissão ou sintomas. Por isso, não podem permanecer como casos suspeitos”, disse a subcoordenadora de Vigilância em Saúde da Sesap, Alessandra Lucchesi, durante a coletiva de imprensa desta quarta-feira.

A testagem na rede pública de Saúde para detectar o novo coronavírus estava restrita, no período entre março e julho, a pessoas que apresentavam um quadro avançado dos sintomas e eram de algum grupo de risco. Entretanto, a Sesap/RN ampliou os critérios na segunda quinzena de julho para testar todas as pessoas que tenham sintomas gripais ao chegar numa unidade de saúde.  Os casos ainda considerados suspeitos que foram registrados pela Secretaria anteriores à mudança passarão a ser “inconclusivos”.

Para casos suspeitos, a pasta vai considerar pessoas que apresentaram sintomas gripais nos últimos dias e aguardam o resultado dos testes para confirmar ou descartar a covid-19. Ainda na coletiva desta quarta-feira, Alessandra Lucchesi afirmou que o registro desses casos no banco de dados da Sesap/RN varia de município para município, podendo haver atrasos no prazo de 24 horas para o registro de um caso suspeito. “A informação passa a ser gerada na Sesap quando o paciente é atendido com sintomas, mas algumas Secretarias Municipais (de Saúde) ainda optam por fazer esse registro de forma manual, o que pode sim gerar atrasos”, disse Lucchesi.

Boletim Epidemiológico
O Rio Grande do Norte chegou, nesta quarta-feira, 5, a 1.932 óbitos em decorrência da covid-19. O número é de 6 mortes a mais do que o confirmado no dia anterior, terça-feira, 4. Todas ocorreram no período de 24 horas entre um boletim e outro. Outras 219 mortes permanecem sob investigação da Secretaria.

No total, o RN acumula 52.890 casos confirmados da doença. Outros 63.521 casos continuam sob suspeita, e 83.814 foram descartados até o momento. 

De acordo com dados da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN), 57,33% dos leitos críticos se encontravam ocupados nesta quarta-feira com pacientes de covid-19. Isso significa que, dos 307 leitos críticos (UTI e semi-intensivos) disponíveis, 176 encontravam-se ocupados, 117 estavam disponíveis e outros 14, bloqueados. Nove pacientes em estado grave aguardavam, até às 12h desta quarta-feira, transferência para leito crítico.

Dentre os 14 leitos bloqueados no Estado, 9 estavam sem operar por falta de profissionais de saúde, três estão em manutenção, um apresentou vazamento e outro estava reservado para a Polícia Militar. A unidade hospitalar que reunia a maior quantidade de bloqueios é o Hospital de Campanha de Natal, com 9 leitos bloqueados.

Nas regiões de Saúde, a ocupação chegou a 83,3% no Seridó; 76,1% no Oeste e Alto Oeste e  51% na Região Metropolitana de Natal. O restante das regiões (Mato Grande e Litoral Sul) estavam com todos os leitos vagos.

Transmissibilidade
O Coordenador do Laboratório de Inovação Tecnológica (LAIS/UFRN), Ricardo Valentim informou nesta quarta-feira que o Comitê Científico de assessoramento ao Governo do RN está realizando análises de tendências. O órgão observou que não houve mudanças significativas de uma semana para outra. Hoje temos taxa de transmissibilidade abaixo de 1 no RN - 0,98 transmissibilidade atual, 0,79 e 0,97 nas duas semanas passadas.

Valentim frisou que a Região Metropolitana praticamente determina o índice estadual, porém algumas regiões chamam a atenção. “Em Natal percebemos uma estabilidade na transmissão, no adoecimento. A Região do Seridó, entretanto, tem expansão na transmissão do vírus, o que se reflete na ocupação de leitos, hoje em mais de 80%".

Na região Oeste, os estudos do Comitê de Científico apontam uma variação e não é possível apontar ocorrência de tendência com clareza. O coordenador afirmou que o Comitê se reuniria nesta quarta-feira para discutir novos indicadores além da transmissibilidade e reforçou que “o vírus não foi embora e precisamos redobrar os cuidados. Natal tem taxa abaixo de 1, mas estamos num processo de retomada das atividades. Sair só se for necessário, usar máscara e fazer a higienização adequada é muito importante".





Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte