Sesed espera convênio de R$ 3 milhões para diárias de policiais

Publicação: 2017-04-21 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Um convênio com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Governo Federal, possibilitará o pagamento de  R$ 3 milhões em diárias operacionais para a polícia.  A titular da Secretaria de Segurança do Estado, Sheila Freitas, disse que em breve mais policiais estarão nas ruas na tentativa de diminuir a criminalidade. A delegada disse que os altos índices de homicídios no Rio Grande do Norte são apontados como o maior desafio a ser enfrentado por sua gestão. Não há previsão de quando o convênio será assinado. “Já foram assinados os contratos, e estamos aguardando o aporte de recursos”, disse Sheila.

O comandante da Polícia Militar, André Azevedo, disse que a parceria com o Governo Federal para pagamento de diárias colocará até 240 Policias Militares a mais nas ruas de Natal. “As diárias serão pagas pela união mediante o convênio, isso dará um incremento a mais na segurança”, destacou André Azevedo.

A delegada disse que a “Operação Estufa”, deflagrada ontem (20), pela Polícia Civil em conjunto com a PM, é um exemplo de que a Secretaria de Segurança “não vai ficar parada”, no combate ao crime. Ela citou também a Operação Tiradentes, deflagrada na tarde de ontem. “Serão montadas várias blitz, barreiras, vistorias nos transportes. Vamos atuar nas manchas criminais, onde a gente tem conhecimento de que há crime, vamos combater. Para isso é importante que a população denuncie essas ocorrências, um simples celular que for furtado, é importante que seja feito o registro”, explicou a secretária.

A secretária destacou que a transferência de líderes de facção de cadeia não é suficiente para combater o crime organizado. “É preciso quebrar a organização, e isso acontece quando tiramos o poderio econômico. De dentro dos presídios, os bandidos comercializam drogas. E isso fomenta o crime. Na hora que a gente consegue aqui fora fazer apreensões de drogas e prender os componentes da quadrilha, essas quadrilhas são desarticuladas”, disse Sheila Freitas.

Sheila Freitas disse que a motivação do incremento da violência são fugas das prisões e desemprego.  “Tem a falta de estrutura das Prefeituras, das cidades, a escuridão das ruas, tem uma série de fatores que levam ao aumento da criminalidade, inclusive, a redução do número de policiais.  Nós estamos com um número reduzido, embora já estejamos providenciando os concursos, que infelizmente não é uma coisa que é feita de uma hora para outra porque depende de toda uma burocracia, um trâmite legal que precisa ser preenchido”, apontou a delegada.

Ela é o quarto titular da Secretaria – uma das mais complexas da gestão estadual – em menos de dois anos e meio de governo. Sheila Freitas tem uma árdua missão pela frente: recompor efetivos e reduzir os índices de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), que às 14h de quarta-feira (19) bateu o número de 746 no território potiguar. Para auxiliá-la na Delegacia Geral de Polícia Civil (Degepol), cujo cargo de delegado-geral também estava vago com a exoneração de Cleyton Pinho, ela nomeou Correa Júnior, que respondia como delegado-geral adjunto.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários