Site para inscrições do Sisu apresenta lentidão

Publicação: 2020-01-22 00:00:00
As inscrições no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do primeiro semestre de 2020 estão abertas, pela internet, desde o início da madrugada desta terça-feira, 21 Os estudantes têm até as 23h59 (no horário de Brasília) do domingo, 26, para acessar o sistema. O prazo se encerraria na sexta-feira, 24, mas foi prorrogado pelo Ministério da Educação (MEC) por causa dos erros nas notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Créditos: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilMinistro da Educação, Abraham Weintraub, usou redes sociais para mitigar problemas no SisuMinistro da Educação, Abraham Weintraub, usou redes sociais para mitigar problemas no Sisu
Ministro da Educação, Abraham Weintraub, usou redes sociais para mitigar problemas no Sisu

Na manhã desta terça, candidatos relataram nas redes sociais lentidão e falhas para se inscrever no sistema. Alguns publicaram “prints" de uma mensagem que apontava um “erro inesperado" e pedia para que eles tentassem se inscrever mais tarde. Às 9h, o Sisu era o tema mais comentado do Twitter no País. Até a publicação desta matéria, o MEC ainda não havia se manifestado sobre os supostos problemas.

No começo da manhã, antes de entrar em reunião ministerial com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio da Alvorada, o ministro Abraham Weintraub postou vídeo, em seu perfil no Twitter, no qual informava que o Sisu estava “rodando normalmente” e já haviam sido feitas “quase 500 mil inscrições”.

O ingresso nos cursos depende da disponibilidade de vagas na universidade pretendida. “Algumas instituições adotam notas mínimas e/ou médias mínimas para inscrição em determinados cursos”, ressalta nota sobre inscrições do MEC.

Há universidades que têm a prova do Enem como critério de ingresso, mas não disponibilizam todas as vagas para o Sisu. No caso da Universidade de Brasília (UnB), nenhuma vaga será preenchida via Sisu a partir deste ano.

Nesta edição, serão ofertadas 237.128 vagas em 128 instituições de ensino superior públicas. Os interessados devem se inscrever pelo site do Sisu e podem escolher até duas opções de curso. É permitido alterar a escolha durante o período de inscrições. A ordem de preferência de instituição, local de oferta, curso, turno e modalidade de concorrência deve ser especificada.

Notas das redações
O Ministério da Educação informou nesta terça-feira, 21, que o processo que pontua as redações do Enem é diferente da correção das questões objetivas. Por isso, de acordo com o ministério, as notas dos textos não serão prejudicadas pelas inconsistências na correção das provas objetivas. O MEC informa também que cinco mil avaliadores são responsáveis pela correção manual das redações.

Todas as redações são avaliadas por dois professores em plataforma online, com texto sem identificação. Um professor não tem acesso à nota atribuída pelo outro. Quando a discrepância das notas é superior a 100 pontos, no total, ou 80 pontos em uma das cinco competências avaliadas, um terceiro professor faz a correção. A nota final é a média aritmética das duas notas totais que mais se aproximam.

Caso a inconsistência persista após a análise do terceiro professor, a redação é corrigida por uma banca de professores especializados. Eles têm poder decisório para definir a nota final.

A redação do Enem 2019 avaliou cinco competências: domínio da escrita formal; desenvolvimento do tema em estilo dissertativo-argumentativo; relacionar, organizar e interpretar informações e argumentos em defesa de uma opinião; conhecimento de mecanismos linguísticos para construir a argumentação; e elaboração de proposta de intervenção para o problema proposto, com respeito aos direitos humanos.

A nota máxima prevista é mil. Textos com até sete linhas ou que fugiram ao tema estão entre os critérios para zerar a redação. Os participantes que tiverem dúvidas em relação às notas das questões objetivas, podem entrar em conato com o Inep, pela central 0800-616161.