Natal
SMS defende fechamento de serviços não essenciais para evitar 'lockdown' em Natal
Publicado: 09:45:00 - 14/05/2020 Atualizado: 14:09:44 - 14/05/2020
Julio Pinheiro
Márcio Araújo
Jussara Correia

O secretário de Saúde de Natal, George Antunes, quer que a capital potiguar endureça as medidas de distanciamento social e decrete a suspensão de diversos serviços. Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News Natal, o gestor disse que, caso não ocorra uma restrição à circulação de pessoas, será necessário o "lockdown" na capital potiguar.
Adriano Abreu
Titular da SMS, George Antunes quer endurecer regras para funcionamento de serviços em Natal

Titular da SMS, George Antunes quer endurecer regras para funcionamento de serviços em Natal



Leia Mais


Relatando sobre as medidas de enfrentamento tomadas pela Prefeitura do Natal, George Antunes disse que o Hospital de Campanha está em funcionamento e que até o dia 22 de maio chegarão os respiradores para ampliação no número de leitos de UTI nas unidades de Saúde do município. Serão 20 no local onde funcionava o hotel Parque da Costeira. Contudo, segundo o secretário, é preciso que se amplie o distanciamento social para evitar que a situação se agrave na capital.

Segundo o secretário, o decreto determinando a utilização de máscaras é importante, mas não tem a eficácia do que um distanciamento social mais amplo, com redução drástica no número de pessoas nas ruas. Na opinião de George Antunes, inclusive, a população têm demonstrado que estão seguindo a vida normalmente.

"Mais efetiva do que a utilização de máscaras seria apertar as regras (de distanciamento social) e diminuir o povo na rua. Distribuir máscaras e deixar as porteiras abertas é um convite às pessoas às ruas, porque isso dá uma falsa sensação de segurança e é temerária. O uso de máscaras ajuda e não critico isso, mas não é para as pessoas acharem que por estarem usando elas estarão seguras. O povo está nas ruas como se nada estivesse acontecendo", criticou George Antunes.

Questionado sobre o pedido de um lockdown em Natal por parte do Sindicato dos Servidores da Saúde (Sindsaúde), Antunes acredita que a medida, neste momento, não é necessária, mas não descartou a hipótese caso não sejam apertadas as medidas de isolamento. Na opinião do secretário, as atuais regras estão muito permissivas para a circulação de pessoas e podem resultar em problemas sérios. Por isso, ele acredita que a Prefeitura deve restringir o funcionamento de locais que foram liberados para o funcionamento recentemente, como salões de beleza.

"O momento ainda não é apropriado para um lockdown, mas a situação em que se encontra hoje pode se levar a essa necessidade. Os decretos da governadora e do prefeito flexibilizaram demais o comércio, abriram muito as portas de tudo. Estão sendo abertos salões de beleza, manicures, lojas de roupas e o povo está na rua achando que está tudo bem", criticou.

De acordo com Antunes, o prefeito estaria cumprindo recomendação do Ministério Público para que os prefeitos cumpram os decretos estaduais e, na interpretação do Município, seria seguir as normas para abertura de comércio determinadas pelo Estado. Porém, George Antunes quer que a Prefeitura modifique essa postura.

"Já expressei isso ao nosso prefeito, mas ele está seguindo a risca uma recomendação do MP que temos que obedecer e seguir as orientações do Governo, mas sou da opinião de romper com essa lógica e apertar essas normas de distanciamento social", disse George Antunes.


Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte