SMS Natal inicia testagem rápida na zona Norte

Publicação: 2020-06-23 00:00:00
A+ A-
A Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS/Natal) vai iniciar nesta terça-feira, 23, a segunda fase da testagem rápida da população. O local escolhido foi o Ginásio Nélio Dias, zona Norte de Natal. O esquema para realização dos exames vai acontecer em sistema de drive thru, das 8h às 17h, até sexta-feira, dia 26. A permanência no interior dos veículos é obrigatória em todas as etapas.

Créditos: Alex Régis/SecomTestes rápidos serão realizados pela Secretaria Municipal de Saúde de Natal mesmo com recomendação do MPRN para ajuste na açãoTestes rápidos serão realizados pela Secretaria Municipal de Saúde de Natal mesmo com recomendação do MPRN para ajuste na ação


A primeira fase de testagem da população contabilizou 5.425 pessoas. O público alvo são pessoas a partir de 60 anos, esse público representa 80% dos óbitos na capital, e portadores de comorbidades comprovadas residentes em Natal. Para maior fidedignidade do teste é importante que a pessoa tenha apresentando sintomas de um quadro de Covid-19 pelos últimos 10 dias do início dos sintomas de uma síndrome respiratória: com febre, tosse ou dor de cabeça, por exemplo.

O acesso dos carros ao local se dá pela Av. do Baião, com percurso sinalizado e orientação da Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU). Semelhante ao trabalho que foi feito no drive Arena, haverá uma equipe da Secretaria Municipal de Trabalho e Assistência Social (SEMTAS) realizando a triagem dos veículos para verificar se a pessoa que será testada corresponde ao público-alvo. 

O teste rápido no drive acontece com média de um atendimento por minuto, onde o sangue é coletado através do dedo, para reagir numa lâmina. O resultado com até 24 horas através de laudo é disponibilizado na internet, por meio de protocolo e senha fornecidos durante a coleta. Os pacientes que testarem IgM positivo terão um acompanhamento com orientações e informações da SMS Natal de como deve proceder para os cuidados e/ou tratamento médico.

“Essa análise verifica os índices de IgG e IgM de cada pessoa, que são imunoglobulinas relacionadas às memórias e as defesas de cada pessoa em relação ao coronavírus. Quando o resultado é positivo para IgG, indica que o organismo teve algum contato com o vírus e produziu anticorpos; já o IgM positivo mostra que a infecção foi recente e o corpo iniciou a produção desses anticorpos", explicou Elineide Alves de Melo, chefe do Departamento de Diagnóstico e Incorporação de Novas Tecnologias da SMS Natal.

Os casos positivos são repassados para o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS), da SMS/Natal, para notificação e acompanhamento. Alguns pacientes também são orientados a buscar uma unidade de saúde referenciada para início de um possível tratamento após avaliação médica. A SMS Natal está montando uma estratégia que será divulgada nos próximos dias para testagem dos pedestres.

Recomendação
O Ministério Público Federal (MPF) e o Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte (MP/RN) recomendaram à Prefeitura de Natal a suspensão de testes rápidos para covid-19 em sistema de drive thru. A testagem sem cadastro prévio não garante prioridade para profissionais da saúde e segurança pública e pacientes do grupo de risco. Com o elevado número de testes realizados, é provável o rápido esgotamento do material adquirido, sem atendimento aos casos prioritários. 

Ao todo, a prefeitura comprou 20 mil testes com custo de mais de R$ 3,7 milhões. O Ministério Público alega que a inexistência de cadastro ou agendamento prévio para o drive thru dificulta a triagem dos casos prioritários, em descumprimento à nota técnica da própria Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Natal. A Promotoria de Saúde recebeu relatos de pessoas que estão sendo testadas, mesmo sem adequação aos critérios, sob a justificativa de que já aguardavam há várias horas na fila e não aceitariam deixar o local.

A SMS Natal informou que vai responder formalmente aos questionamentos do Ministério Público do RN. A nota põe argumento contrários à recomendação expedida.

Em quatro dias de testes feitos no pátio do Arena das Dunas, foram atendidas 5.425 pessoas com mais de 60 anos e alguma comorbidade, dos quais 924 atestaram positivas.

UFRN recebe recursos para comprar máquinas
Reconhecendo a importância da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, o Ministério Público do Trabalho (MPT) destinou R$ 2,1 milhões para compra de equipamentos e insumos. De acordo com a diretora do Instituto de Medicina Tropical (IMT), Selma Jerônimo, a aquisição das máquinas irá dobrar a capacidade de realização de testes da covid-19.

Quatro freezers, três centrífugas, duas cabines de biossegurança, um termocirculador e um extrator de ácido nucleico são os novos equipamentos que estão sendo utilizados pelo IMT para realizar testagem do novo coronavírus. Para a cientista Selma Jerônimo, as máquinas vão aumentar a capacidade e a qualidade dos processos de testagem, além de conferir mais segurança à equipe. 

Um dos equipamentos é o robô de extração automática de ácido nucleico (moléculas que possuem informação genética do vírus), que antes só existia no Laboratório Central do Estado (Lacen). Para ilustrar como a máquina vai agilizar a realização dos testes, a diretora do IMT explicou que hoje quatro pessoas da equipe conseguem fazer a extração manual de 160 amostras por dia e, com o robô, essas pessoas farão 300 amostras por dia, praticamente dobrando a capacidade.

O Instituto de Medicina Tropical (IMT) realiza o exame da covid-19 com o diagnóstico molecular, que é o método chamado de PCR. 

Atualmente, o IMT recebe do Lacen e de Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) as coletas em swab (haste para transporte de amostras) do material colhido nos pacientes. Em seguida, realiza a extração do ácido nucleico (informação genética) e a amplificação do material, que é a fase de detecção da presença do vírus. Por fim, o Instituto devolve os resultados ao Laboratório Estadual para que ocorra a análise epidemiológica da doença.