Sob gritos de presidente, Doria critica “populismo”

Publicação: 2017-08-17 00:00:00
A+ A-
Com apelos da plateia formada por empresários e profissionais liberais que chamavam o prefeito de São Paulo de  “nosso presidente”, João Dória recebeu o título de cidadão natalense, no Teatro Riachuelo, no Midway Mall, negando que seja pré-candidato a presidente da República em sua passagem pela região Nordeste.

Créditos: Alex RegisJoão Doria recebe o título de cidadania e lamenta a atuação de uma “minoria intolerante”João Doria recebe o título de cidadania e lamenta a atuação de uma “minoria intolerante”

João Doria recebe o título de cidadania e lamenta a atuação de uma “minoria intolerante”

Um empresário do setor de lazer e eventos chegou a lançar uma “dobradinha” dele com o empresário e presidente das Lojas Riachuelo, Flávio Rocha, que foi o outro homenageado da tarde de ontem, com a Comenda Frei Miguelinho, ambos entregues pelo presidente em exercício da Câmara Municipal de Natal, Ney Lopes Júnior (DEM).

“É cedo ainda para se falar em candidatura. Estamos na metade do ano. Temos ainda muito tempo pela frente e a eleição é em outubro do ano que vem. Há bastante tempo. Não é preciso precipitar, nem se deve", afirmou João Dória,  O prefeito paulistano disse que não  era candidato e a lembrança do seu nome para presidente, “era uma generosidade do povo natalense e das pessoas que aqui vieram”.

A respeito de uma provável disputa interna com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o prefeito paulistano declarou ser, ele, “um homem de bem, homem correto, brilhante governador e  40 anos de vida pública limpa, honesta e decente, meu parceiro e amigo até fora mesmo da política, portanto, tenho razão de sobra pra gostar dele e preservar essa relação como tenho preservado”.

Dória falou, ainda, a respeito das pesquisas pré-eleitorais que são  realizadas no país, considerando que sejam normais, “mesmo que nós não queremos elas já são feitas por institutos de pesquisas e associações, instituições que contratam pesquisas”.

O prefeito de São Paulo disse, ainda, que não insere o seu nome e nem pede que o incluam. Para ele, as pesquisas apenas referendam a sua gestão: “Aquilo  representam as pesquisas, é efeito da gestão feita em São Paulo, ainda que sem recursos e num período muito curto, ainda há muito o que ser feito em São Paulo.

João Dória aproveitou para criticar os governos do PT: “Vivemos recentemente uma experiência triste no Brasil, na qual o populismo quis tomar conta da alma de todos os brasileiros,  não conseguiu e o que acabou produzindo, com a mentira, com assaque e com roubo, foram 14 milhões de brasileiros  desempregados e sete milhões de subempregados”.

Segundo Dória, “o povo na sua maioria caminha em silêncio e que muitas vezes acaba sendo submetido a uma minoria ruidosa, que grita, agride e é intolerante com todos aqueles que têm ideias diferentes e não sabem conviver com as diferenças e o contraditório, com aqueles que pensam de forma diferente”.

Ao contrário disso, Dória disse que prefere “o sentimento daqueles que, ainda que silenciosamente, na sua conduta, defendem o Brasil, não fazem a defesa de seu próprio  interesse, não roubam o Brasil, não assaltam os cofres públicos e não mentem para os brasileiros e não fazem a apologia da esquerda, nada tenho contra, dizendo que esta é salvação do Brasil, que não é”.

Segundo ele, modestamente, em São paulo, ainda que na maior capital do país, “em sete meses, ao fazer a transformação de defender um estado menor, mais eficiente, menos gorduroso, menos corrupto e mais focado para servir a população”, foi  isso que deu a ele  possibilidade de voltar a Natal para receber o título de cidadania.

Manifestantes reagem à homenagem
Manifestantes ligados à política sindical, a partidos de esquerda e funcionários públicos fizeram um protesto no saguão de entrada do Teatro Riachuelo, no Midway Mall, contra a presença, em Natal, do prefeito de São Paulo, João Dória e do presidente das Lojas Riachuelo, Flávio Rocha.

Créditos: Alex RegisMilitantes ocuparam o corretor do shopping para reclamar da entrega do título de cidadaniaMilitantes ocuparam o corretor do shopping para reclamar da entrega do título de cidadania

Militantes ocuparam o corretor do shopping para reclamar da entrega do título de cidadania

Ambos foram homenageados em sessão solene da Câmara Municipal de Natal (CMN), que outorgou o título de cidadão natalense a João Dória e a Comenda Frei Miguelinho a Flávio Rocha.

Portando faixas e proferindo palavras de ordem, o grupo de manifestantes foi controlado por guardas municipais e da segurança da Assembleia Legislativa, que colaborou com o cerimonial da Câmara Municipal, embora o acesso dos homenageados tivesse ocorrido pela entrada dos camarins do  Teatro Riachuelo, que funciona no quinto pavimento do shopping, na avenida Salgado Filho, em Lagoa Seca.

Já durante a semana, ocorreram protestos contra a presença de Dória em Natal, nas redes sociais, inclusive com abaixo-assinados pedindo a revogação do título honorífico.

Depois de ter recebido a honraria, numa sessão que estava prevista para começar às 10 horas da manhã de ontem, mas só iniciada às 12:17 por conta de atraso do  vôo que trouxe o prefeito paulistano à capital do Rio Grande do Norte, João Dória disse que as manifestações faziam parte da democracia: “Eu compreendo, mas não representa o sentimento bondoso e generoso do povo dessa terra, aqueles que evidentemente tem opinião diversa e contrária, respeito, mas fico com a maioria”.


Deixe seu comentário!

Comentários