Streaming do medo

Publicação: 2020-12-18 00:00:00
Alex Medeiros
alexmedeiros1959@gmail.com

O título acima pode sugerir o medo que atinge atualmente as televisões via cabo, após a enxurrada de serviços de streaming oferecendo milhares de opções de canais, filmes, séries, documentários e todo tipo de programas jornalísticos, esportivos e de entretenimento. Mas, não é isso. Quero só destacar uma opção de streaming, não tão grande quanto os mais famosos, mas de uma sacada espetacular. Um site dedicado apenas a filmes de terror.

Quem adquire acesso ao site www.darkflix.com.br, vai ter disponível uma aterradora variedade de produções do gênero, muitos filmes de horror com ofertas de vampiros, lobisomens, almas penadas, demônios, zumbis, monstros alienígenas, assassinos possuídos, bruxas, canibais e o diabo a quatro. E tudo explicado no objetivo do serviço: “Darkflix é um canal de serviço de assinatura sob demanda, feito com o único propósito de aterrorizar seus usuários”. 

E neste período natalino, ao contrário do que fazem alguns canais tradicionais de televisão por assinatura, há em destaque na capa do site uma seleção de filmes de sucesso, assustadores, como antítese aos doces contos de natal.

A plataforma brasileira de terror faz parte de uma tendência mundial que surgiu no rastro da poderosa Netflix. Vale sempre lembrar que Natal contribui com esse movimento através do catálogo de clássicos e séries antigas da Oldflix.

Além das produções do gênero horror, a Darkflix oferece também em seu conteúdo uma seleção de filmes de ficção científica e fantasia, dois estilos que muitas vezes se misturam com o terror, vide Frankenstein, Alien e Predador.

E se a potiguar Oldflix é chamada de a versão retrô da Netflix, esta outra é a versão dark. Aliás, em Natal teve até uma versão candidato na última campanha. A Darkflix tem acesso no PC e aplicativos para Android e iOS.

Ontem, após uma resenha etílico-musical na minha varanda, que começou no happy hour e avançou pela noite, fiz uma degustação no streaming do medo me lembrando dos anos de puberdade quando passei a curtir o gênero terror.

Primeiro assisti “O Solar Maldito”, clássico de 1960, com o ator Vincent Price e suavizado na beleza de Myrna Fahey. O roteiro é baseado em texto do escritor Edgar Alan Poe. E tem Mark Damon, antes da fama com Pasolini e Corbucci. 

Depois escolhi uma produção trash de 1973, “Grite, Blácula, Grite” (olhe o detalhe no BL), uma trama com um vampiro negro e que é a sequência de 1972. Como muitos filmes B, o personagem afrosanguinário virou cult movie.

Todo o medo que senti de almas e monstros na infância foi embora na puberdade quando conheci as revistas de HQ do Drácula, Fantomas e os Contos da Kripta. Tenho algumas ainda, com capas do nosso Evaldo Oliveira.

Meu primeiro contato com o terror foi (aterrorizante) um choque nas ondas do rádio quando meu irmão e meu pai sintonizavam a série chamada “A Ronda do Fantasma”. Na abertura, gritos horripilantes, portas rangendo, uivos de vento.

Lá pelos doze anos, quando o vício em HQ me levou às aventuras de fantasmas e zumbis, passei a curtir também o gênero na TV e no cinema. Em casa, a preferência é ver de madrugada, no clima, como fiz ontem no Darkflix.

Créditos: Divulgação

Ineditismo
Desde 1887, ano da Lei da contagem eleitoral, não ocorria numa eleição presidencial nos EUA que os dois candidatos tivessem eleitores suficientes para garantir 270 votos a ambos. Donald Trump e Joe Biden fizeram isso.

UFRN 70
Hoje a UFRN faz 70 anos da sua federalização, em ato do dia 18 de dezembro de 1960, após ter sido fundada em 1958 como instituição estadual, dispondo das faculdades de engenharia, medicina, direito, farmácia e odontologia.

Inacreditável
Alguém na política de educação do governo estadual deve ser tão radicalmente contra o ensino integral, ao ponto de conseguir uma total indiferença da governadora do RN aos quatro arrombamentos na escola Dr, Manuel Dantas.

Contradição
Quando um movimento sai dos trilhos da razoabilidade descarrilhando na ideologia partidária sempre cai no contraditório. Ruim o feminismo cultuar um agressor de mulheres no Brasil e outro que armado ameaçou grávida nos EUA.

Vidas
Nas últimas semanas, o papa Francisco vem postando mensagens no Twittter sobre os cuidados com a vida dos mais “frágeis e indefesos”. Ninguém se enquadra mais nisso do que os bebês que morrerão no ventre das abortistas.

Otimismo
Em ano marcado por lives (a maioria besta e ruim), o melhor que vi nas redes foram os relatos leves e divertidos de Mariana Rodrigues e de Silvinha Serejo, respectivamente sobre a recuperação de Alex Nascimento e Vicente Serejo.

Retorno
Semana com amigos voltando à rotina após superarem a Covid: Jener Tinoco e Roberto Medeiros estão no ar, Vicente Serejo retoma a coluna domingo, Pio Morquecho reassume o Nemesio, Rui Barbosa curado, Leo Lira no batente.

Desafinou
Reclamações generalizadas pela Europa com o sinal do aplicativo Spotify, que anda caindo diariamente e perdendo acesso nos PCs tipo Windows e Mac. Em países como a Espanha, o streaming musical praticamente desapareceu.







Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.