STTU suspende intervenções

Publicação: 2019-09-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
As oito alterações viárias que seriam implementadas em Natal ao longo do mês de setembro pela Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU) estão suspensas. A intenção era instalar novos sinais, combinados com faixas de pedestres, para facilitar a travessia de pedestres nas proximidades de paradas de ônibus em corredores de grande fluxo de veículos na capital potiguar – cinco na Av. Salgado Filho, um na Av. Bernardo Vieira e duas na Hermes da Fonseca.

Dois pontos haviam recebido as intervenções: um desses na avenida Senador Salgado Filho, que funcionou por três dias
Dois pontos haviam recebido as intervenções: um desses na avenida Senador Salgado Filho, que funcionou por três dias

Apenas dois pontos haviam recebido as intervenções: um na Av. Hermes da Fonseca, entre as ruas Alberto Maranhão e Joaquim Fagundes no Tirol, nas proximidades do Aeroclube e do 16º Batalhão de Infantaria Motorizado do Exército (16º BIMtz); e outro na Av. Salgado Filho altura da Rua Auris Coelho próximo ao Complexo Viário do 4º Centenário no bairro de Lagoa Nova, que funcionou por três dias, de 11 a 13 de setembro.

A suspensão foi divulgada no início da noite da sexta-feira (13) através de Comunicado distribuído pela assessoria de imprensa do órgão. “A Prefeitura do Natal informa que, diante da grande polêmica gerada durante a fase de testes do novo projeto de sinalização no corredor Hermes da Fonseca/Salgado Filho, decidiu suspender a operação para que sejam feitos novos debates com a sociedade a respeito do projeto e uma avaliação mais ampla do resultado da operação durante o período de testes”, informou a nota.

A reportagem da TRIBUNA DO NORTE entrou em contato com a STTU, mas a assessoria da pasta adiantou que a Secretaria “não irá se pronunciar neste momento” sobre o assunto.

A secretária municipal de Mobilidade Urbana, Elequicina Santos, foi convocada pela Câmara Municipal de Natal para que possa explicar nessa próxima segunda-feira (16) as justificativas que embasaram as alterações propostas para o trânsito de Natal.

“As mudanças facilitam a travessia de pedestres entre paradas de ônibus que estão frente a frente, mas em lados opostos da via, e que até então não tinham uma ligação efetiva”, argumentou Walter Pedro, secretário adjunto de Trânsito da STTU, dias antes da suspensão.

O engenheiro de produção Leonardo Dantas, de 32 anos, que utiliza carro particular para o deslocamento diário, precisou fazer exames médicos nas imediações do o Complexo Viário do 4º Centenário no bairro de Lagoa Nova e teve de atravessar a Av. Salgado Filho. “Fui pela passarela. Entre arriscar ser assaltado e morrer atropelado, eu prefiro ser assaltado. Ando muito de carro e passei por aqui nos dias que o sinal funcionou, não vi nenhum problema – enquanto motorista – com a faixa de pedestres nesse local”, garantiu.

O motorista Carlos Alex Carlos Alex, 37, admite que há “deficiência para o pedestre, muita gente se arrisca todos os dias para atravessar a avenida naquele ponto”. Ele também critica a falta de opção: “a passarela que tem ali é suja, insegura, não tem iluminação, e muitas vezes as pessoas nem lembram que ela existe!”

O estudante universitário Ian Gabriel Gomes de Almeida, 18, reforça o coro: “Essa faixa de pedestres é bem útil. Tentei usar agora pouco, mas tive que arriscar a vida para conseguir atravessar. Nem cogitei ir pela passarela, está toda enferrujada, não tem acessibilidade e é insegura de usar”, acrescentou.

De acordo com a STTU as intervenções viárias previstas seguem regras regulamentadas pela Lei número 12.587/2012, que instituiu as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana e estabelece a pirâmide de prioridade da mobilidade urbana, onde pedestres estão no topo seguidos (na ordem) por ciclistas, transporte público, transporte de carga, carros e motos particulares.  




continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários