Natal
Supermercado se recusa a vender TVs com preço de etiqueta e Procon faz autuação
Publicado: 16:00:00 - 12/08/2017 Atualizado: 16:03:26 - 12/08/2017
O supermercado Sam's Club não atendeu a recomendação do Procon e se recusou a vender aparelhos de TV com o preço reduzido a oito clientes depois de erro na etiqueta do produto. No início da tarde deste sábado (12), as Smart TVs de 55 polegadas estavam por R$ 279,00 à vista, quando o valor correto deveria ser R$ 2.999,00. Por causa da recusa, o Procon fez um auto de constatação e deu 10 dias para posicionamento do supermercado. O procedimento ocorre antes de possível aplicação de multa.

Cedida
Preço que estava exposto foi retirado

Preço que estava exposto foi retirado


Preço que estava exposto foi retirado pelos vendedores

Leia Mais

Segundo o coordenador do Procon Estadual, Cyrus Benavides, a divergências em relação a interpretação da lei nos tribunais do Brasil. "Há decisões judiciais favoráveis ao consumidor, como no Tribunal do Distrito Federal, e há favoráveis a não venda, no Tribunal de Minas Gerais", explicou o coordenador, que havia dito no início da tarde que caberia multa em caso de negativa da venda.

O supermercado tem até dez dias para se pronunciar e, após isso, o próprio Procon analisará o caso para decidir se aplicará a multa - que pode ser contestada judicialmente.

Cedida
Oito pessoas conseguiram levar TV antes da retirada da etiqueta

Oito pessoas conseguiram levar TV antes da retirada da etiqueta


Clientes não conseguiram comprar o produto pelo preço reduzido

O caso aconteceu quando algumas pessoas perceberam que na 'oferta', a TV Led do tipo Smart, da marca Samsung, estava por R$ 279,00 à vista, com possibilidade de se dividir o preço em até 10 vezes de R$ 27,90 (com preço total de R$ 279,00) ou em 24 parcelas de R$ 14,93 (com preço final de R$ 358, 32). Com o valor, os consumidores correram para pegar o produto.

"Eu vi quando uma mulher pegou a TV e colocou dentro do carrinho. Então, outras pessoas foram até lá, pegaram a TV e colocaram nos seus carrinhos. Um vendedor viu a situação, desconfiou e observou que o preço estava errado. A mulher havia pego a etiqueta, mas o vendedor tomou da mão dela. Ela já tinha feito a foto. É nosso direito levar", explicou um cliente identificado como Alan.


Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte