Suspeito de chefiar tráfico internacional é preso no RN

Publicação: 2018-10-11 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O principal suspeito de chefiar uma quadrilha de tráfico internacional de drogas foi preso na manhã desta quarta-feira (10) em Natal, durante a Operação Aegir deflagrada pela Polícia Federal no RN, na Paraíba e no Rio de Janeiro. Além do suposto chefe da quadrilha e de mais uma suspeito também detida na capital potiguar, outras 10 pessoas foram presas: uma na PB e nove do RJ, onde também foram apreendidos 78 quilos de cocaína e US$ 32 mil em dinheiro. Cerca de 200 policiais federais participam da ação. A Operação Aegir iniciada ontem ainda está em andamento, e tem o objetivo de cumprir 18 mandados de prisão temporária (12 cumpridos) e 22 de busca e apreensão nos três estados.

Em Natal, com o suspeito preso pela Polícia Federal, foram apreendidos cinco automóveis, entre eles, um blindado (foto)
Em Natal, com o suspeito preso pela Polícia Federal, foram apreendidos cinco automóveis, entre eles, um blindado (foto)

A superintendência regional da PF no Rio Grande do Norte cumpriu cinco mandatos, sendo três de busca e apreensão e dois de prisão. Em Natal, com o suspeito preso, foram apreendidos cinco veículos – um deles blindados – e uma arma de fogo.

O delegado André Santana, da PF do Rio de Janeiro, responsável pela investigações em curso a cerca de um ano, informou que entra as pessoas presas estão estivadores ou funcionários da MultiRio Operações Portuárias, concessionária responsável pela operação do terminal 2 do porto na capital carioca. Segundo o delegado, os criminosos escondiam drogas dentro de contêineres com carga lícita – ainda segundo Santana, os destinatários e remetentes das cargas não tinham ciência do crime.

“A quadrilha vinha em pequenas embarcações, navegava pela Baía de Guanabara, se colocava a bordo dos navios, e fazia o içamento dos entorpecentes. Com as drogas dentro do navio, já tinham previamente o plano de cargas e o contêiner escolhido. Então, faziam a contaminação desses contêineres com produtos ilegais”, explicou o delegado.

André Santana, da PF do RJ, disse que o procedimento consistia na aproximação de um pequeno barco carregado de drogas pelo mar, fora da visão das autoridades portuárias. Uma vez dentro do navio, a cocaína é colocada ilegalmente em contêineres previamente escolhidos de acordo com o destino. As investigações da Operação Aegir já duram um ano, e quase duas toneladas de cocaína foram apreendidas nesse período. O destino, segundo investigações da Polícia Federal, é a Europa.

Este ano, a Polícia Federal já apreendeu 59 toneladas de cocaína no Brasil.




continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários