Tênis: Natal é o lugar

Publicação: 2018-12-16 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Natal está na rota do tênis de alto rendimento do país. Atletas de São Paulo, Pará, Rio de Janeiro e Paraíba estão chegando à cidade com o objetivo de aprimoramento nos treinamentos e elevar o nível do jogo. O motivo pelo qual os jogadores estão chegando à cidade é um treinador de 32 anos, 1,70m de altura e que tem alcançado reconhecimento em meio aos melhores profissionais do país. Em parceria com o Aeroclube de Natal, o técnico João Felipe Araújo, da Aero Tennis Center, vem recebendo promissores atletas juvenis de várias e mudando o status de Natal com relação ao treinamento na modalidade. O treinador, inclusive, fará parte da equipe de técnicos da Confederação Brasileira de Tênis a partir de 2019.
Equipe treina no Aeroclube de Natal
Equipe do Aero Tennis Center treina no Aeroclube de Natal

No início do mês de dezembro, João Felipe Araújo participou do Encontro Internacional de Treinamento, em Santa Catarina, onde foram convocados pela Confederação Brasileira de Tênis (CBT) 25 treinadores do país. Participaram o capitão do Brasil na Copa Davis, João Zwetch, o ex-top 100 do mundo como jogador e hoje treinador Marcos Daniell, o ex-tenista Thomas Koch, o ex-capitão do Brasil na Copa Davis Paulo Cleto, além de outros treinadores mais jovens, como João Felipe Araújo. Junto a eles, participaram alguns dos principais atletas do Brasil, tanto profissionais quanto juvenis, e os melhores juvenis d América do Sul e América Central.
Breno Marques optou por treinar em Natal depois de conhecer João Felipe Araújo em treinamentos no sudeste do país
Breno Marques optou por treinar em Natal depois de conhecer João Felipe Araújo em treinamentos no sudeste do país. Em ascensão, atleta alcançou semifinal no mais recente torneio do ITF, no Paraguai

“Foi um momento especial para a troca de experiências, aperfeiçoamento e também para observarmos formas de treinamento diferentes. Foi uma semana enriquecedora”, disse João Felipe, que deverá acompanhar atletas juvenis do país em competições internacionais a partir do próximo ano. Inclusive, atletas que já estão treinando em Natal.

Desde o meio deste ano, o Aero Tennis Center passou a receber atletas de outros estados para treinamento de alto rendimento. Breno Marques, de São Paulo, foi um dos primeiros a apostar no trabalho, chegando a Natal para morar e treinar com o técnico potiguar. Como resultados, o atleta agora com 16 anos conseguiu atingir as quartas de finais e semifinais nos mais recentes torneios do ITF na América do Sul.
Natural de Marabá (PA), Mecenas Magno veio a Natal para treinar em busca de vaga no tênis universitário americano
Natural de Marabá (PA), Mecenas Magno veio a Natal para treinar em busca de vaga no tênis universitário americano

“É especial ver a confiança que eles depositaram em mim, tanto Breno quanto Mecenas Magno (de Marabá, no Pará), que é um tenista altamente promissor e que conseguirá vaga no tênis universitário americano. Depois deles já chegaram outros atletas, como Vitória Barandas, que estava no Rio de Janeiro e volta a Natal para treinar com a equipe e se manter como uma das melhores do país na sua categoria, além da turma daqui, como Alessa Carvalho, que começou os treinos conosco e vemos uma excelente evolução. Teremos ainda no grupo atletas de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraíba, Pará e do Rio Grande do Norte”, comemorou João Felipe.

Para contribuir com os treinamentos, o Aero Tennis Center passou a fazer parte do time da escola de Gustavo Kuerten, o Guga, que terá metodologia específica voltada ao alto rendimento, que é considerada uma das melhores do país nesse quesito. Será a 3ª academia do Nordeste a integrar a equipe.
Depois de sair de Natal para morar no RJ com a família, Vitória Barandas voltou a Natal para treinar com a equipe no Aeroclube
Uma das principais tenistas do país em sua categoria, Vitória Barandas deixou o RJ e voltou ao RN para treinar com a equipe no Aeroclube

Apesar de ter atletas de alto nível no grupo, João Felipe prefere não fazer previsões sobre onde cada um poderá chegar. Para ele, mais importante do que o nível que o jogador pode atingir, é conseguir se dedicar para extrair o melhor de cada um para que eles mesmos decidam o que farão no futuro. “É importante que se sonhe alto e nós estamos oferecendo as condições para que cada um se desenvolva da melhor maneira, com acompanhamento constante e direcionado. Se o objetivo é o tênis profissional, o tênis universitário fora do país ou simplesmente alcançar um nível melhor, estamos aqui para contribuir e estamos felizes de receber tanta gente boa por aqui”, disse o treinador.

Superação

Com 16 anos de experiência dentro das quadras como treinador, o tênis surgiu de maneira casual na vida do então atleta de natação. Aos de 11 anos de idade, quando treinava no América, no Tirol, João Felipe brincava na quadra do clube enquanto esperava o pai buscá-lo. Era um esporte que agradava, apesar de nunca ter pensado seriamente em mudar de modalidade, já que possuía bons resultados na natação até em âmbito nacional. Contudo, quando a equipe do América passou a treinar na piscina do Aeroclube, João  Felipe passou a dedicar mais tempo ao tênis e iniciou a participar de competições, aos 12 anos. Ele venceu a maior parte dos torneios infanto-juvenis que participou, foi seis vezes Atleta Ouro dos Jern's, conseguiu vencer etapas do brasileiro e pequenos torneios internacionais. Porém, já aos 16 anos, começou a conciliar a vida de atleta com a de professor de tênis.
João Felipe Araújo integra grupo de treinadores que atuam junto à CBT
João Felipe Araújo passou a integrar grupo de treinadores que atuam junto à CBT

“Eram poucos professores que existiam naquela época. Fernando Ricco foi um cara que me ajudou bastante. Eu viajava para treinar com alguns professores fora do estado, como Ari Godói, em Salvador, que foi outra pessoa que me ajudou muito. Denison Barbosa,  de Aracaju, Carlos Omaki, que hoje é uma referência. Sou muito grato a todos. Então, como não havia tantos profissionais, algumas pessoas me chamavam para dar aulas e eu comecei. E tomei gosto”, explica João Felipe, que se formou em Educação Física pela UFRN.

Com o alto número de alunos e falta de tempo para treinar, João Felipe chegou a voltar a se dedicar ao esporte como atleta em 2010, quando foi convidado pelo Aeroclube para dar aulas no local e ele participava dos treinamentos com juvenis. Nessa época, ele chegou a participar de torneios Futures (profissionais de menor porte) e até conseguiu um ponto no ATP. Porém, em 2011, ele recebeu o diagnóstico de que estava com câncer no testículo.

“Foi um momento complicado, mas que mostrou que tenho muita gente boa ao meu lado. Sou muito grato a todos que me ajudaram e, graças a Deus, estou curado e com ainda mais disposição”, disse o treinador, que só pôde retornar às quadras em 2012, de maneira diferenciada. 

 A partir daí, surgiu o objetivo e se montar um grupo de treinamento diferenciado para juvenis. Participando de Workshops e cursos nacionais e internacionais, o treinador também firmou, em 2016, parceria com o centro de treinamento de Carlos Kirmayr, um dos maiores tenistas e técnicos da história do país. Com o aperfeiçoamento, os atletas começaram a buscar no treinador potiguar uma referência para os treinamentos.

Bate-papo
João Felipe Araújo
Técnico de Tênis

O que mudou no tênis de Natal de 20 anos para cá?

Muita coisa. Temos muito mais praticantes, mais profissionais capacitados para o tênis, seja para o treinamento social, infantil ou alto rendimento. Além disso, temos bons locais para jogar, bons torneios no estado e no Nordeste. O tênis está crescendo no Rio Grande do Norte e todos que amam o esporte estão vendo isso.

Por que escolheu ser treinador de tênis?

Na verdade, eu não sei nem se eu que escolhi o tênis ou foi o tênis que me escolheu. Foi por acaso, mas vejo como uma providência de Deus quando eu era tão novo. E agradeço demais por essa bênção que é esse esporte na minha vida.

É objetivo seu passar aos atletas também essa paixão pelo esporte?

A paixão por qualquer coisa tem que ser natural, partir de cada um. Aos meus atletas, eu mostro que tudo na vida é questão de merecimento e que dar o máximo é sempre gratificante. A cobrança é sadia até certo ponto, ainda mais entre jovens. O que faço é ajudar a tirar o melhor de cada um, o que é meu dever enquanto educador. A paixão pelo tênis cada um vai desenvolver, porque o esporte é apaixonante.

Por que escolher Natal para treinar?

Natal é uma cidade maravilhosa, com estrutura para a prática do esporte, um custo de vida não tão alto quanto em outras cidades do Brasil e, aqui, eles sabem que encontram qualidade nos treinamentos, sem dever a nenhum lugar. Graças a Deus temos conseguido o reconhecimento pelo nosso trabalho, que inclui muito mais pessoas, não somente eu. É um trabalho de equipe e que está dando excelentes frutos. Não queremos somente a formação de atletas de alto nível, e sim a possibilidade de criarmos pessoas com valores alicerçados pelo esporte e tudo de bom que ele traz. Vamos seguir trabalhando, com resiliência, e dando sempre o melhor pelos atletas e pelo tênis.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários