“Tapa na Bunda”

Publicação: 2011-10-08 00:00:00
Na abertura desta coluna, segue essa sugestão de leitura: a chamada “Lei da Palmada” causou muita polêmica no país inteiro desde que foi anunciada, em 2010. O projeto de lei, que conta com o apoio de diversas personalidades, como a apresentadora Xuxa e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tem como principal objetivo acabar com a punição física contra crianças e adolescentes que apanham dentro de casa.

Por outro lado, há pessoas que discordam dessa tese e acreditam que uma palmada de vez em quando faz bem e ajuda na educação das crianças. Uma delas é a terapeuta infantil Denise Dias, que está lançando o livro “Tapa na Bunda - Como impor limites e estabelecer um relacionamento sadio com as crianças em tempos politicamente corretos” (Matrix Editora - 174 pág - R$ 27,00).

A obra pretende ajudar os pais que têm dúvidas sobre como impor limites e alcançar resultados eficazes, mostrando que existe uma divisão clara entre violência e respeito, agressão e disciplina. De acordo com a terapeuta, o maior problema é que as pessoas confundem o tapa com uma surra. “Os pais de hoje sofrem por não ter a certeza de como agir como pais e pecam na permissividade”, alerta.

Segundo a autora, muitos condenam o tapa e os castigos aos filhos. Mas se esquecem de que cabe aos pais, e somente a eles, a maior e principal responsabilidade sobre as crianças: a formação de seus valores, do seu caráter e do que cada filho será como adulto quando crescer.


Educação médica
Em Caicó, prossegue até hoje, o curso de Obstetrícia e Neonatologia. O evento, que está sendo realizado no auditório da IV URSAP, faz parte do Programa de Educação Médica Continuada 2011, promovido anualmente pelo órgão. Neste sábado, os assuntos abordados serão Assistência ao trabalho de parto; Hipertensão na gravidez; Hemorragia pós-parto. A promoção é do Conselho Regional de Medicina do RN.


Piso
Instalada na quinta-feira, em Brasília, a subcomissão especial criada pela Comissão de Educação e Cultura para fazer um diagnóstico sobre a implementação do piso salarial nacional do magistério. O piso salarial atualmente é de R$ 1.187 para 40 horas semanais e vale para todos os professores que atuem da educação infantil ao ensino médio. O objetivo da subcomissão é fazer um levantamento em todos os estados para averiguar se a Lei 11.738/08, que instituiu o piso, está sendo cumprida.


Ação
Com objetivo de aproximar o jovem da política, doze escolas  elegeram essa semana os seus representantes para o Parlamento Jovem - Projeto da Assembleia Legislativa . Participam desta edição o Contemporâneo, o Instituto Reis Magos, as Escolas Estaduais Jean Mermoz, Ferreira Itajubá, Luiz Antônio, Anísio Teixeira, Padre Miguelinho, Régulo Tinoco, José Vieira, Diomar de Vasconcelos , Francisco de Assis Bittencourt e José Lúcio Ribeiro.