Taxa de natalidade no RN cai 9,85%

Publicação: 2017-11-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Yuno Silva
Repórter

A taxa de natalidade em 2016 caiu 9,85% no Rio Grande do Norte em relação ao ano de 2015, índice quase duas vezes superior à média do Brasil, de 5,1%, registrada no mesmo período. Foi a primeira queda desses números desde 2010. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou ontem pesquisa sobre Estatísticas do Registro Civil. O levantamento do IBGE se embasa em quatro variáveis principais: nascimento, óbitos, casamentos e divórcios. “Esses quatro itens estão na base das estatísticas, e os resultados apurados no RN refletem uma tendência nacional”, avaliou Ivanilton Passos, analista do IBGE no Estado.

Em 2016, RN teve 45.203 nascidos vivos, número abaixo de 2015
Em 2016, RN teve 45.203 nascidos vivos, número abaixo de 2015

Em números gerais, a taxa de óbitos cresceu 7,18% de um ano para o outro, 20.394 mortes no RN em 2016 contra 20.027 no ano anterior. Segundo o IBGE, a mortalidade masculina é onze vezes superior à feminina entre pessoas de 20 a 24 anos, sobretudo devido a causas externas como homicídios, suicídios, acidentes de trânsito, afogamentos e quedas acidentais – se forem consideradas apenas as mortes por causas naturais, esse índice de sobremortalidade masculina cai para 2,2 nessa faixa etária.

Passos acredita que se o ritmo atual da relação entre natalidade e mortalidade for mantido, “a partir de 2038 o País passará a experimentar uma redução populacional”. O analista destaca que pirâmide etária no Brasil vem passando por um processo histórico de envelhecimento “com a queda natural dos índices de natalidade e fecundidade, o crescimento da expectativa de vida, e o aumento da mortalidade entre jovens – principalmente na faixa entre 15 e 24 anos”.

Entre os fatores que podem explicar a redução das taxas de fecundidade (número de filhos por habitante) e de natalidade (número geral de nascimentos), está a maior preocupação das mulheres com a carreira profissional.

Apesar dessa tendência ser verificada há décadas no Mundo, a redução acentuada da natalidade no Brasil entre 2015 e 2016 também pode estar relacionada à questões pontuais como “a crise econômica e a epidemia de doenças que colocam em risco a saúde das gestantes e dos bebês”, admite Ivanilton Passos.

A análise reflete nos resultados apresentados pela pesquisa: a taxa de natalidade na região Nordeste caiu 5,5%, e a maior queda do País foi identificada em Pernambuco (10%), estado onde foram registrados os maiores índices de pessoas infectadas pelo zika vírus.

Porém, mesmo com os dados do IBGE apontando nesse sentido, a direção da Maternidade Januário Cicco não tem como mensurar se houve redução no número de nascimentos por trabalhar com 100% de sua capacidade de forma permanente – por mês, em média, a maternidade escola realiza 350 partos.

Estatísticas do Registro Civil
Levantamento do IBGE se embasa em quatro variáveis principais: nascimento, óbitos, casamentos e divórcios

Nascimentos

Brasil
2010:     2.747.257
2015:     2.945.344
2016:     2.793.935
Variação 2015/2016:     -5,1%

Nordeste
2010:     798.201    2015:     822.070
2016:     777.092
Variação:     -5,5%

RN
2010:     46.242
2015:     50.145
2016:     45.203

Variação do índice de natalidade em outras regiões entre 2015 e 1016

Sudeste:     -5,5%
Centro-Oeste:     -5,6%
Sul:     -3,8%
Norte:     -4,1%

Óbitos
Brasil
2015:     1.226.594
2016:     1.268.646

Nordeste
2015:     315.868
2016:     324.188

RN
2015:     20.027
2016:     20.394
Variação:   +7,18%

Casamentos
Variação do número de casamentos registrados em cartório entre 2015 e 1016

Brasil:  -3,7%
Nordeste:  -4,6%

RN:   -1,25% de variação
2015:  16.104 casamentos
2016:   15.898
. 15.838 entre homens e mulheres
. 32 entre mulheres (31 em 2015)
. 28 entre homens (em 2015 apenas 17 casais de homens formalizaram a relação em cartório)

Divórcios
Variação do número de divórcios registrados em cartório entre 2015 e 1016

Brasil:  +4,7%
RN: +23,65%

A maior parcela dos divórcios (37,8%) foi entre casais com mais de 20 anos de relacionamento.

Entre os divorciados:
37,5% dos casais que separaram no RN tinham somente filhos menores de idade
30,83% não tinham filhos

Guarda dos filhos:
83,54% dos casos, a guarda ficou com a mulher
4,59% com o pai; e 9,01 com ambos.

Fonte: IBGE


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários