Tecnologia permite ampliar geração de energia

Publicação: 2019-12-05 00:00:00
A limitação territorial do Rio Grande do Norte, um dos menores Estados do Brasil em dimensões geográficas, não deverá ser um impeditivo para o avanço da geração de energia eólica, cujos parques ocupam extensas áreas em diversas regiões locais. O desenvolvimento da tecnologia offshore – modelo que permite a instalação de turbinas eólicas em alto mar – irá possibilitar o aumento da geração de energia, principalmente, no Estado nos próximos anos.

saiba mais

“O Rio Grande do Norte ainda tem muito potencial para geração de energia eólica, principalmente porque agora estão aumentando a potência das turbinas. Uma turbina nova pode ter a mesma potência de três antigas, então você pode otimizar o espaço, isso sem contar os testes com a tecnologia offshore, desenvolvida em plataformas no mar”, citou Danilo Boudakian, diretor da New Wind, empresa especializada na gestão e manutenção de parques eólicos, em evento sobre o tema em agosto deste ano em Natal.

A expansão e o futuro desse segmento no RN, e em todo o Brasil, foram debatidos no 11º Fórum Nacional Eólico. O evento reuniu  especialistas, empresários da área e políticos na Escola de Governo, no Centro Administrativo, em Natal, em agosto deste ano. Um dos palestrantes do evento, o diretor geral do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema/RN), Leon Aguiar, ressaltou que as características geográficas estaduais e as iniciativas do Governo do Estado contribuem para a alta procura de investimentos na área das energias renováveis. Somente até o final de maio deste ano, o Instituto aprovou 33 novos projetos de energia eólica.

“A atração é natural. Pelo nosso clima e os nossos ventos constantes. O ambiente de mercado também favorece muito a chegada desses investidores. O Governo do Estado tem negociado cada vez mais a questão dos incentivos fiscais, as formas de licenciamento estão mais eficientes. Além disso, o RN tem uma infraestrutura mais avançada para dar vazão a esses investimentos do que outros Estados”, afirmou na ocasião.

O Brasil, e especialmente o Rio Grande do Norte, apresentam ainda um enorme potencial de produção de energia renovável, destacaram os especialistas que participam do evento. De acordo com Danilo Boudakian, da New Wind, o país pode produzir três vezes mais energia do que faz hoje contando apenas as áreas terrestres, sem levar em consideração a implantação da tecnologia offshore.

No Rio Grande do Norte, as áreas mais exploradas para a energia eólica são o litoral Norte, nas proximidades de Touros e São Miguel do Gostoso e regiões serranas, como Cerro Corá. O Seridó tem se mostrado um potencial expoente para o desenvolvimento da tecnologia, com algumas empresas estudando a viabilidade da instalação de parques eólicos na região.

   

Leia também: