Tecnologia permite controle maior

Publicação: 2016-09-29 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A diferença entre uma área não irrigada pelo novo sistema de gotejamento, com relação a outra contemplada pela rede de adutoras e dutos, é perceptível – para não dizer gritante. O vigor da planta que recebe nutrientes direto na raiz de forma controlada é muito superior à cana-de-açúcar irrigada de forma tradicional.
Alex RégisEntrada de água bombeada do rio para ser usada na irrigação de cana de açúcar por gotejamentoEntrada de água bombeada do rio para ser usada na irrigação de cana de açúcar por gotejamento

Técnicos da Biosev informaram que o uso da tecnologia permite um controle do cultivo (umidade, fertilizantes e herbicidas, quando necessários) bem próximo a 100%.

A Biosev detém outorga para utilização de água bombeada do Rio Jacu, que corta a região de Arês. A água é bombeada para um tanque de decantação com 10 mil metros cúbicos (10 milhões de litros), primeiro estágio de um processo que conta com sistema de filtros e tanques de fertilizantes que serão misturados antes de seguir para as tubulações instalados sob o solo.

Ao todo, para cobrir os 265 hectares iniciais, são utilizados 22km de adutoras e 1,8 mil km de mangueiras que possuem pequenos orifícios para saída de água a cada 40cm – que totalizam 4,4 milhões de pontos de irrigação. A estrutura foi dimensionada para atender 400 hectares.

A  irrigação por gotejamento reduz custos, otimiza recursos e sua operação necessita de metade da mão de obra utilizada pelo sistema tradicional de irrigação por aspersores – equipamentos de estrutura tubular aérea (que simulam chuva), sustentada por tripés instalados sobre rodas, que precisam de tratores para se movimentar.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários