Tem potiguar na Broadway

Publicação: 2015-05-22 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Um jovem recém formado e com pouco dinheiro vai morar numa região barata, onde conhece diversos vizinhos bizarros. Esse é o mote para se fazer um retrato ácido da sociedade atual, com referências bem humoradas e um enredo politicamente incorreto sobre religião, raça, sexualidade e pornografia. Essa é a sinopse de “Avenida Q”, um dos musicais mais premiados da Broadway, em cartaz desde 2003, e que neste ano ganha sua primeira montagem fora do do eixo Rio-São Paulo, em Fortaleza.

O elenco, composto de atores de vários estados do país, será representado também por um potiguar que começa a ter seu talento reconhecido fora do Rio Grande do Norte. Seu nome é Plínio Sá, ator mossoroense de 30 anos, que coleciona papéis em espetáculos como “Auto da Liberdade” (o maior espetáculo brasileiro em palco ao ar livre), “Chuva de Bala” (musical que conta a história da resistência de Mossoró ao bando de lampião), “Oratório de Santa Luzia” (história da padroeira de Mossoró), dentre outros.
DivulgaçãoAtor Plínio Sá na seletiva que contou com mais de mil inscritosAtor Plínio Sá na seletiva que contou com mais de mil inscritos

Para integrar o elenco de “Avenida Q”, Plínio passou por uma criteriosa seleção que contou com mais de mil escritos de todo o Brasil. Ele gravou um vídeo cantando uma canção do musical “Corcunda de Notre-Dame” e enviou para a organização. Desse vídeo ele ficou entre os 100 selecionados para fazer os dois dias de audições em Fortaleza, quando, após essa etapa, conseguiu ser aprovado na equipe.

O espetáculo está previsto para estrear no dia 2 de julho, em Fortaleza. Por enquanto a produção segue em ritmo forte, com ensaios diários. “Começamos a preparação em abril. A rotina tem sido bastante intensa. Os trabalhos iniciam com o ensaio das músicas e em seguida a montagem das cenas. Por três dias da semana temos acompanhamento de fisioterapia (pilates, Gyrotonic, acupuntura). Tudo tem exigido muita energia, concentração, estudo e dedicação”, conta.

O personagem de Plínio é “Brian”, um judeu que tem o sonho de ser comediante. No musica há personagens humanos e bonecos, e, para o ator, este tem sido o maior desafio. “O retorno expressivo, a reação e a intenção da palavra trocada entre bonecos e humanos é algo novo pra mim”.

Mas o ator vê o esforço com bons olhos. A “oportunidade impar” de estar no espetáculo veio para reforçar o que ele já buscava de realização, “é uma resposta positiva para minha vida profissional”.

O Avenida Q que o ator está participando possui a mesma estrutura técnica de como é produzido em Nova York. Mas há novidades na montagem, tanto no  storytelling, como no cenário, que nessa versão será maior, além do gingado brasileiro que vai temperar o espetáculo.

O musical tem produção do cearense Allan Deberton e direção geral de Andre Gress e direção musical de Miguel Briamonte (O Fantasma da Ópera” e “Les Miserables”). O espetáculo fica em cartaz durante o mês de julho, no teatro Viasul, em Fortaleza. Segundo Plínio, a montagem foi planejada de maneira que o espetáculo possa ser apresentado em outros palcos, “e o Rio Grande do Norte está no roteiro”. Mas para entrar em turnê, a produção ainda busca captar recursos e patrocinadores.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários