Economia
'Teremos em torno de 700 trabalhadores em nossa estrutura', diz gerente do Ferreira Costa
Publicado: 00:00:00 - 12/09/2021 Atualizado: 09:16:15 - 13/09/2021
Margareth Grilo
Editora Executiva

Com previsão para abrir seu Home Center em Natal na segunda quinzena do mês de outubro, o grupo pernambucano Ferreira Costa considera a capital um mercado promissor. A loja será a oitava do grupo, fundado há 137 anos, e que, atualmente, é o quinto maior no mercado da construção civil, segundo ranking da Anamaco (Associação Nacional de Comerciantes de Material de Construção), e comercializa mais de 80 itens, da construção à decoração. 

Magnus Nascimento
Gerente geral do Home Center Ferreira Costa, Edgar de Barros

Gerente geral do Home Center Ferreira Costa, Edgar de Barros


Segundo o gerente geral da unidade em Natal, Edgar de Barros, a construção em área de 12 mil metros quadrados, sendo 10 mil de área de loja, está bem adiantada, e emprega quase 200 pessoas. A unidade, localizada na avenida Engenheiro Roberto Freire, mesmo endereço onde funcionou o antigo Hiperbompreço, na entrada de Ponta Negra, vai gerar, segundo ele, cerca de 700 empregos diretos e indiretos, dos quais 500 serão empregados da Ferreira Costa e em torno de 100 na ala de serviços. Edgar de Barros explica a aposta em Natal.

 “O mercado de Natal é promissor.  É muito viável. Nós estamos num entorno privilegiado, tanto turístico, como de comércio”. No momento mais de 350 pessoas estão em treinamento nas filiais de João Pessoa e Recife, e 150 vagas ainda estavam em aberto na semana dessa entrevista feita no último dia 1º de setembro. Edgar de Barros fala ainda sobre treinamentos, foco da empresa e expectativas de expansão. 

Para concorrer a uma vaga, acesse aqui

Confira entrevista.

O Home Center Ferreira Costa está  expandindo mercado. A que se deve a escolha de Natal e como se deu o processo de escolha?
O Estado é muito promissor. Geralmente, onde a Ferreira Costa chega, ela procura pontos comerciais de sucesso, e essa entrada, esse local de Ponta Negra, é um local excepcional, que liga toda a cidade, BR, centro da cidade, então um local muito forte, e o mercado de Natal é promissor. A Ferreira Costa também busca se inserir em todas as capitais, como já está em algumas. Então, Natal foi uma escolha pelo ponto e pela dimensão de mercado. É muito viável. Nós estamos num entorno privilegiado, tanto turístico, como de comércio, e foi importante essa escolha.

Em que etapa está a construção da loja? 
Estamos bem avançados.  Numa obra desse tamanho, são muitos detalhes, perfeccionismo, Ferreira Costa é muito perfeccionista, então tem que fazer uma loja bonita, aconchegante, apesar do tamanho, para atender bem os clientes. Iniciamos em 2019, quando recebemos o prédio já começamos a  mexer. Hoje (dia 1º de setembro),  já começamos a receber mercadoria, o primeiro caminhão com produtos.  De área de vendas serão 12 mil metros quadrados, incluindo depósito. De loja, são 10 mil metros quadrados.

Quantos empregos diretos a empresa vai gerar, durante as obras e com a loja aberta?
Já são mais de 200 pessoas trabalhando, na parte de construção. Na parte de abertura de loja serão diretamente 500 funcionários Ferreira Costa, mais 100 de empresas fornecedoras, grandes marcas que colocam seus impulsionadores de vendas dentro da loja. E ainda teremos lojas, na nossa galeria de serviços, com restaurante, casa lotérica, lojas de perfume, cafeteria, lanchonetes, que vão agregar mais mas 50, 60 pessoas. Então, ao todo, teremos em torno de 700 trabalhadores em nossa estrutura.

Essa seleção de pessoal próprio da Ferreira Costa já começou?
Já sim. Nesse momento nós temos ainda em torno de 150 vagas em aberto, ainda de nível gerencial, de empilhadores, algumas funções técnicas, como conferentes e auditores.

Quando a loja abre? Haverá alguma ação promocional?
Nossa previsão de inauguração é para segunda quinzena de outubro e essa loja de Natal será a oitava filial aberta. Nós já contamos com quatro filiais em Pernambuco, incluindo a loja recém-aberta em Caruaru, uma em Aracaju, uma em Salvador e uma em João Pessoa. Nessa questão de marketing, temos muitas parcerias e estamos formulando todo um pacote inicial de ações. Vamos estar próximo da black friday (novembro), vai ser um momento de muita campanha [promocional]. A Ferreira Costa vai entrar forte nisso.  

Atualmente, qual o mix de produtos da empresa? Houve ampliação nesses últimos anos?
Ele oscila muito, mas são cerca de 80 mil produtos. De um parafuso, de uma resistência, um quadro, a um móvel. É uma infinidade de produtos que vão da construção à decoração.

Como se dá os treinamentos de pessoal e o que ele foca?
Ferreira Costa é uma loja de treinamento. O treinamento [para as pessoas que vão trabalhar em Natal] está acontecendo nas filiais de João Pessoa e Recife. Então, todas as pessoas antes de vir trabalhar, na loja aberta, estão passando essa capacitação, que foco na excelência do atendimento. Treinamos para a pessoa desempenhar bem o papel e ter conhecimento técnico e de abordagem do cliente. Temos mais de 350 já em treinamento, que envolve a parte técnica, comportamental, mudança de olhar, e o que a empresa exige, muita regra, de muita norma, e exige muito dos funcionários, para quando o cliente chegar ter um atendimento completo. Estamos com supervisores treinando há um ano na filial de João Pessoa. Não começou hoje, começou lá atrás.

A direção do grupo costuma dizer que faz um treinamento para o emprego e para a vida...Como você define isso?
Eu defino isso com um exemplo. Eu tenho uma pessoa que veio do mercado de sapataria, que vai vender pisos. Esse vender pisos vai dar conhecimento a ela, então, quando chegar um profissional para instalar piso na residência dela ela vai poder lidar bem melhor com a situação. Então é uma atividade que reflete na vida de cada um, fora da loja, no dia a dia. Então, Ferreira Costa é uma faculdade também, nós estimulamos muito o conhecimento, e colocamos todos os fornecedores das grandes marcas para capacitar nossos funcionários.

Qual o diferencial do vendedor do Ferreira Costa?
Abordagem, atendimento, cordialidade. Eu digo que Ferreira Costa tem uma essência de bodegueiro. Então é o conhecer a pessoa, tratar pelo nome, é o fidelizar. Essa é a essência que o Ferreira Costa tem desde os primórdios, há 137 anos até hoje. Mantém essa essência de loja do interior.   

É uma prática da empresa valorizar o empregado, para que ele progrida, avance na carreira?
É sim. Eu tenho 21 anos de empresa, comecei como auxiliar de depósito, fui sendo promovido com o tempo, com apoio de caixa, atendente, vendedor, supervisor até chegar ao nível gerencial, e gerente geral que estou hoje. Não sou caso isolado. Nós temos pessoas, como seu José Alberto, que faleceu devido à covid em janeiro deste ano, que  trabalhou conosco 62 anos, temos pessoas com 37, 30, 50 anos de empresa, evoluindo.  A empresa tem esse foco na valorização dos colaboradores, nós temos espaços climatizados para os funcionários, para descanso, com  espreguiçadeiras, o próprio treinamento técnico é uma valorização. Temos salão de beleza, sala de leitura, sala de jogos. Isso é importantíssimo e retém muitos funcionários na empresa.

Há também um programa voltado aos profissionais do mercado da construção. O senhor pode explicar?
Nós temos o serviço chamado Clube do Profissional, são eventos, treinamentos voltados para profissionais específicos, como pintores, encanadores,  eletricistas, então eu chamo marcas de grande potencial no Brasil e elas fazem o treinamento com esses profissionais. São cursos gratuitos que capacitam. Ele vai se aprimorar, vai se tornar um profissional mais completo porque vai ter técnicas diferenciadas com produtos de ponta, porque inovações de cada fábrica são trazidas e evidenciadas nesse treinamento. Essas pessoas se capacitam aqui e se diferenciam no mercado. O portfólio de serviços delas aumenta.  Muitas delas, também terminam sendo aproveitadas pela própria Ferreira Costa. 

Há perspectiva dos novos pontos de venda e quais localidades estão em estudo?
Há sempre a busca por novos pontos, algumas coisas são mais estratégicas e não posso falar. Mas, com propriedade, posso lhe falar que teremos mais uma loja em Salvador, teremos loja em Brasília e outra em Fortaleza. E outras praças estão sendo estudadas.

No Estado, algum local em estudo?
Com certeza, sim, Sempre tem algum local para olhar.

Magnus Nascimento


O momento econômico atual é propício a essa expansão?
Nós aproveitamos oportunidades. Nós enxergamos também que o consumo era necessário, em novas formas. Então o cliente liga, ou pede por whatsapp, ou e-commerce, pois a venda por internet se fortaleceu muito com a pandemia, e nós conseguimos atingir uma gama de clientes de forma mais ampla e diversificada. Lembro de um hospital que precisava de um disjuntor, que o de lá estava quebrado, ele mandou uma mensagem, comprou pela internet e foi pegar esse disjuntor, é um item pequeno, que durante a pandemia com as lojas fechadas nós conseguimos atender via internet.    

O Home Center Ferreira Costa é uma empresa centenária. Como está colocada no mercado em termos de market share e vendas?
Nós temos 137 anos completados, agora, no mês de agosto, e nós, segundo ranking da Anamaco (Associação Nacional de Comerciantes de Material de Construção), somos o quinto maior material de construção do Brasil. Essa era uma posição que nós tínhamos com seis lojas e, com certeza, agora com oito lojas vamos subir um pouco no ranking, assim esperamos. 

Com mais gente consumindo dentro de casa, houve um avanço do e-commerce, como o senhor já disse. Mas como a empresa se ajustou ao crescimento da demanda de pedidos online, via delivery?
O cliente nunca vai deixar de ir a loja física, mas a pandemia levou o cliente a escolher e comprar na comodidade do lar. Então, nós preparamos toda uma equipe e os sistemas a nosso favor para manter esse cliente, que é mais preocupado em não sair, e se manteve, e se mantém mesmo agora após esse período mais crítico da pandemia.  Então criamos todo um processo e nos adequamos a esse novo momento de negócio.

No RN, já temos grandes varejistas no ramo de material de construção. Qual o diferencial do Ferreira Costa para atrair os clientes?
Nós temos além do mix de produtos, que é diferencial no mercado, estacionamento amplo, segurança, vamos ter excelência no atendimento, nós valorizamos muito isso. A quantidade de funcionários que você olha dentro de um negócio como Ferreira Costa, com mais de 500 funcionários, você não encontra em outro segmento. Então, nós prezamos por excelência no atendimento. O cliente que chegar aqui vai encontrar isso, além de serviços. Nós vamos ter lotéricas, restaurante. Você sai para pagar uma conta na lotérica, você compra seu parafuso, você compra seu quadro, compra cadeira, pega a tinta, almoça, toma seu café e vai embora, Tudo em um só lugar. A gente sabe hoje que tempo é dinheiro. É preço econômico, chegou num lugar e resolvo tudo lá.

E o que o natalense pode esperar em termos de preços?
Ferreira Costa é uma empresa de campanha, de promoção. Então, compramos volumes em grandes quantidades de produtos. Aqui, no prédio ao lado, temos uma parte só de depósito. Então o cliente vai comprar e levar tudo na hora. Nosso volume de compra é alto e, por isso, temos promoção, campanha e competitividade.

Como foi o comportamento do faturamento ao longo da pandemia? Como impactou, houve perda?
Não. Pelo contrário, nós conseguimos com o e-commerce agregar um diferencial, e ter um crescimento, de cerca de 10, 15%, variando de acordo com a filial. Essa expansão se deve muito a isso [vendas online].   

Quais são as perspectivas para os próximos meses e para 2022?
Com o avanço da vacinação, nossa expectativa é  de maior flexibilização, de consumo voltando. A gente sabe que começam os eventos, começam as novas obras, construtoras a todo vapor, e nossa expectativa é grande, por isso essa aposta aqui na cidade também.

O senhor acredita que o país sairá da atual crise econômica em um curto intervalo de tempo? 
Nós somos otimistas. A palavra é essa otimismo. Então, quando se está abrindo uma nova filial é porque estamos otimistas. Esse é um lema de Ferreira Costa, eu costumo dizer que Ferreira Costa ultrapassou duas guerras mundiais, então, essa pandemia vai acabar e a gente vai conseguir avançar sim. 

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte