Viver
Terezinha de Jesus festeja 70 anos em live
Publicado: 00:00:00 - 31/07/2021 Atualizado: 22:03:34 - 30/07/2021
Cantora que pôs o Rio Grande do Norte no mapa da MPB dos anos 70 e 80, Terezinha de Jesus completou 70 anos de vida em julho, e quer celebrar da melhor forma: cantando. A veterana soltará a voz no programa especial “Vento Nordeste- Terezinha de Jesus 70 Anos”, que vai ao ar neste sábado, às 19h, no canal Cultura RN no Youtube. A apresentação será feita pelo jornalista Moisés de Lima.

Divulgação
Desde 2019 Terezinha voltou a cantar. Aos 70 anos, ela lançou o videoclipe da música “Amor ou solidão” no Youtube e Instagram

Desde 2019 Terezinha voltou a cantar. Aos 70 anos, ela lançou o videoclipe da música “Amor ou solidão” no Youtube e Instagram


Em uma performance já gravada em estúdio, Terezinha de Jesus cantará sete músicas, entre elas, algumas das que fizeram sucesso em sua carreira há mais de 30 anos, como “Vento Nordeste”, “Pra Incendiar seu Coração”, e as recentes “Carne dos Rios” e “Amor e Solidão”, todas acompanhadas pelo tecladista Franklin Nogvaes e pelo guitarrista Rafael Gonzaga. Haverá participação da cantora Silva Sol, e depoimentos de personalidades da cultura. Durante o programa serão abertas contribuições voluntárias à obra da artista.

Desde 2019 Terezinha voltou a cantar. Aos 70 anos, completados do último dia 03 de julho, ela lançou o videoclipe da música “Amor ou solidão” ( selecionado na Lei Aldir Blanc RN) no Youtube e Instagram. A canção, composta pelos mestres Mirabô e Capinam, assinala o desejo de Terezinha em retomar sua arte, apresentá-la às novas gerações e reencontrar os velhos fãs. Gravou também o clipe de "Carne dos Rios", selecionado no Edital de Fomento à Cultura da Fundação José Augusto.

Terezinha de Jesus nasceu em Florânia. O pai, Josué Teodoro da Cruz, cantava, e a mãe, Maria de Menezes Cruz, tocava violão; a irmã, Maria Odaíres da Cruz Dantas, também é cantora. Terezinha cantou pela primeira vez aos cinco anos de idade, em um palanque da prefeitura na cidade de Santa Cruz, onde morou. Veio residir em Natal em 1969, onde cursou até o segundo ano de serviço social.

Nas décadas de 1960 e 1970, Terezinha de Jesus, Odaíres e Mirabô fizeram sucesso em Natal com os músicos Marcos Tassino, Joel Câmera e Marcos Silva, entre outros, na época dos festivais e do Tropicalismo. Ela foi morar no Rio de Janeiro em 1972. Participou de um show ao lado de Zé Ramalho, Mirabô e Leno (Gileno e Banda) em 1978. Nos primeiros anos na cidade, foram seus companheiros Fagner, Morais Moreira, Gonzaguinha, Sueli Costa e Capinan.

Adotou o nome “Terezinha de Jesus” por sugestão do compositor Abel Silva, apoiado por Paulinho da Viola e Capinam. Por indicação de Fagner, chegou a gravadora CBS. A cantora gravou nomes consagrados da MPB, entre eles, Fagner, Lupicínio Rodrigues, Capinam, Mirabô, Enoch Domingos e João Batista Campanholi.

Voltou a morar em Natal em 1995, sendo atração local no Projeto Seis e Meia, da Fundação José Augusto, no Teatro Alberto Maranhão, em julho de 1996 (o cantor Belchior se apresentou na mesma noite), e em 1997(“janela para Dominguinhos). Algumas músicas de sucesso da carreira da cantora foram remasterizadas pela Polydisc, na coletânea do CD 20 Super sucessos, em 1997.

Serviço:
Especial “Vento Nordeste –Terezinha de Jesus 70 anos”, sábado, às 19h, no Youtube Cultura RN. 











Leia também