Thalita Simplício fatura prata no revezamento

Publicação: 2016-09-15 00:37:00
A potiguar  Thalita Simplício é outra que vai voltar ao RN com uma medalha de prata no peito. Ela foi ganha no revezamento 4x100 T11-T13, a equipe contou com a participação também de Terezinha Guilhermina, Alice Correa e Lorena Spoladore. O quarteto nacional acabou a prova em 47s57, ficando atrás apenas da equipe chinesa, que ganhou o ouro e bateu o recorde mundial com 47s18. O bronze foi para a Colômbia, com o tempo de 51s93.
Thalita encerrou com a prata, um grande período de dedicação
A noite de ontem no Estádio Olímpico encaminhava-se para um desfecho incomum nos Jogos Rio 2016. Das três chances de medalha brasileira na sessão noturna do atletismo, apenas uma seguia viva: a equipe feminina do revezamento 4x100m T11-T13.

E a conquista veio com Terezinha Guilhermina acelerando no último trecho. “É uma medalha conquistada por oito pessoas e estou muito feliz por cada uma delas. Sou uma privilegiada por poder ter cada um deles ao meu lado. Foi fundamental termos trabalhado juntos e termos tido espírito de equipe.  Todas correram abaixo de 12 segundos e fizeram a melhor corrida de suas carreiras", vibrou Terezinha.

Thalita Simplício, de 18 anos,  se dedicou totalmente aos treinos visando conquistar uma medalha  nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016. Além da prova dos 400m ela treinou também para as provas do salto em distância. Thalita, que compete na classe T11 (cegueira total), perdeu a visão aos 12 anos em decorrência de um glaucoma congênito. Dançou balé clássico por nove anos, mas foi no atletismo que encontrou a sua liberdade. "Quando estou na pista me sinto livre e feliz”, disse Thalita.