Tite reclama da cultura do futebol e do calendário

Publicação: 2019-10-10 00:00:00
A+ A-
Tite reclamou da organizadora do jogo, lamentou problemas no calendário nacional e também da cultura do futebol brasileiro. Para os compromissos contra Senegal hoje e Nigéria,no próximo domingo, ele convocou oito jogadores de clubes nacionais. O chamado provocou críticas ao treinador por desfalcar times que participam do Campeonato Brasileiro. O técnico, então, garantiu que não mudou seu posicionamento em relação ao período em que dirigia clubes e defendeu que as competições deveriam ser paralisadas, criticando o calendário da CBF.

Créditos: Pedro Martins/Mowa PressTite disse que convocou “com pesar” atletas de clubes do PaísTite disse que convocou “com pesar” atletas de clubes do País
Tite disse que convocou “com pesar” atletas de clubes do País

"Quando a seleção joga não tinha que ter jogo de time. Continuo convicto. Isso para mim não vai mudar ao longo do tempo. Eu faço as convocações e faço com bastante pesar. Porque eu não queria. Continuo com a mesma opinião. Eu sei que o Manoel Flores (diretor de competições da CBF) está tentando ajustar. Mas vocês sabem mais do que eu. E não quero entrar nestes aspectos. Mas esse problema aconteceu com quase todos os clubes. Eu tenho isso claro e continua igual", afirmou.

Já ao ser questionado sobre a recente demissão de Sylvinho, que foi seu auxiliar na seleção, do comando do Lyon, Tite disparou contra a cultura do futebol brasileiro. O treinador reclamou do clima de constante pressão e lembrou que invasões de centro de treinamentos por torcedores, com intimidações a jogadores e comissões técnicas, vêm se tornando rotineiras. "Tem algumas diferenças da Europa, mas o nível de pressão no Brasil é muito alto. Não concebo no Brasil que parece que não ganhar um jogo é crime. Proporciona invasão de treino a toda hora. Eu me sinto envergonhado em relação a isso", disse.

Tite também não poupou a Pitch, organizadora dos amistosos da seleção. Ele reclamou a que a equipe não pôde treinar no Estádio Nacional de Cingapura, palco do amistoso contra Senegal. "O que mais me deixou chateado foi a falta de respeito da Pitch com a seleção brasileira e a de Senegal por não trabalharmos no campo de jogo”, concluiu o técnico.






Deixe seu comentário!

Comentários