Cookie Consent
Esportes
Tite teria 70% da seleção escolhida
Publicado: 00:00:00 - 15/01/2022 Atualizado: 22:22:52 - 14/01/2022
A lista com os 26 convocados por Tite para os dois próximos jogos da seleção brasileira nas Eliminatórias, divulgada na quinta-feira, reforça a ideia de que o treinador entra no ano da Copa do Mundo do Catar com seu grupo encaminhado. Ainda que o próprio técnico tenha dito que "um ano no futebol é muito tempo", em referência ao fato de que o Mundial só será disputado a partir de novembro, a repetição frequente de nomes demonstra que pelo menos 70% do elenco já está definido. Somente uma lesão de última hora ou uma queda muito grande de rendimento deverá mudar isso.

Lucas Figueiredo CBF
Vinícius Júnior busca ganhar a confiança do técnico do Brasil

Vinícius Júnior busca ganhar a confiança do técnico do Brasil


Para se ter uma ideia, entre os 26 da lista anunciada para os jogos diante de Equador e Paraguai - três a mais do que o habitual -, nada menos do que 16 integraram o grupo vice-campeão da Copa América, em meados do ano passado.

Em comum às duas listas estão o trio de goleiros Alisson, Ederson e Weverton; os laterais Emerson e Alex Sandro; os zagueiros Marquinhos, Thiago Silva e Éder Militão; os meio-campistas Casemiro, Fabinho, Fred, Lucas Paquetá e Everton Ribeiro; e os atacantes Gabriel Jesus, Gabriel Barbosa e Vinicius Júnior.

Há, contudo, nomes a se somar a eles. Ninguém duvida que a seleção de Tite é Neymar e mais dez, mas o jogador teve de ficar de fora da convocação para os dois próximos jogos por estar em reta final de tratamento de lesão. Além dele, a lista desta quinta mostrou que Daniel Alves ainda é a preferência de Tite para a lateral-direita - o jogador ficou de fora da Copa América porque foi liberado para disputar os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. E há o caso de Renan Lodi: o lateral esteve na Copa América e, nas palavras de Tite, "ficou alijado de concorrer a uma vaga agora porque não está vacinado".
DÚVIDAS

Com os três goleiros definidos, o miolo de zaga formado e a primeira linha de meio de campo assegurada - além, é claro, de Neymar -, as poucas vagas estão nas laterais, na armação e no ataque.

O calcanhar de Aquiles de Tite está no setor de criação. Everton Ribeiro deu resposta na Copa América, voltou a ser chamado agora e só não esteve na última convocação do ano passado porque estava envolvido com compromissos pelo Flamengo. A questão é que o jogador tem histórico de oscilações - e, como diz o técnico da seleção, "um ano no futebol é muito tempo".

A busca por um armador de qualidade faz com que Tite volte a apostar no retorno - no sentido amplo da palavra - de Philippe Coutinho, seu maior destaque no período que antecedeu à Copa do Mundo da Rússia.

O jogador apresentou queda de rendimento no atual ciclo, ficou meses afastado por lesão, e apenas recentemente voltou a esboçar o futebol que o consagrou. Ainda assim, não conseguiu se firmar no Barcelona e agora vai tentar uma nova retomada pelo Aston Villa. Se der certo, tem grandes chances de ir ao Catar.

O ataque é outra incógnita: há muitos nomes à disposição, mas, há exceção do mesmo de sempre, quase nenhum artilheiro da própria seleção. Tite confia muito em Gabriel Jesus, chama com frequência Roberto Firmino e Richarlison, tem dado oportunidades a Gabriel Barbosa e Matheus Cunha, passou a chamar Antony e Raphinha, e há Vinicius Junior. Como se pode perceber, trata-se de um setor com profusão de nomes, mas ainda com indefinições.
Se um ano no futebol é muito tempo, Tite precisará aproveitá-lo ao máximo para dirimir as últimas - e poucas - dúvidas.

CR7 acredita que Potugal estará no Catar
O craque português Cristiano Ronaldo afirmou que prevê "batalhas difíceis" para a sua seleção na repescagem das Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo do Catar, que será no final do próximo mês de março, mas está confiante de que vão superar os obstáculos e participar do Mundial, previsto para acontecer em novembro e dezembro deste ano.

"Seria muito triste não alcançarmos nosso objetivo, que seria a Copa do Mundo. Mas eu ainda acredito muito que vamos estar na Copa. No futebol e na vida, passamos por momentos difíceis, mas o que prevalece é a capacidade de se levantar", disse o atacante do Manchester United em entrevista à ESPN Brasil transmitida na noite de quinta-feira.

"Sabemos que temos batalhas difíceis, primeiro contra a Turquia; e se ganharmos, a Itália também... Eu acredito. Vamos ver. Em março, estaremos preparados, será uma batalha. Vai ser bom para os fãs de futebol", acrescentou.

Portugal enfrenta como mandante os turcos no dia 24 de março, na semifinal do Grupo C dos playoffs europeus. Se vencer, poderá enfrentar na final dessa área a Itália, que terá pela frente a Macedônia do Norte no mesmo dia, também em seus domínios.

Por causa desse emparelhamento, um dos dois últimos campeões europeus - a Itália em 2021, pela edição de 2020, e a seleção portuguesa em 2016 - não irá para a Copa do Mundo no Catar, que será disputada de 21 de novembro a 18 de dezembro. "A vida é assim. Não há cenário perfeito. Temos que encarar as coisas como são. Há tempo, temos que desfrutar até lá e, em março, estar preparados", disse o cinco vezes vencedor da Bola de Ouro.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte