Todo Canto

Publicação: 2020-08-01 00:00:00
Tádzio França
Repórter      

O canto lírico se calou temporariamente nos palcos, mas ganhou um novo alcance na internet em tempos de pandemia. A Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte, através do Movimento Sinfônico 2020, está exaltando as vozes mais bonitas dessa arte através do Concurso Internacional de Canto Linus Lerner – Edição Brasil, cujas inscrições se iniciam neste 1º de agosto, e seguirão até o dia 29 do mês. Todas as etapas serão realizadas virtualmente, e o resultado será divulgado dia 29 setembro, antes e durante o Terças Clássicas Ao Vivo com o Maestro, nos canais oficiais da orquestra, pelo YouTube e Facebook.  São R$130 mil em prêmios.

Créditos: Arquivo OSRNConcurso Internacional de Canto Linus Lerner tem  as inscrições se iniciando hoje 1º de agosto, e seguirão até o dia 29 do mêsConcurso Internacional de Canto Linus Lerner tem as inscrições se iniciando hoje 1º de agosto, e seguirão até o dia 29 do mês


A Edição Brasil do evento é um desdobramento do 5º Concurso Internacional de Canto Linus Lerner realizado em conjunto com o Festival de Ópera de San Luis Potosí (México), em parceria com Southern Arizona Symphony Orchestra (SASO). O maestro da OSRN, Linus Lerner, é um atuante incentivador da ópera, e efetua há anos um trabalho em prol do desenvolvimento de cantoras e cantores líricos em países distintos, principalmente no México, por meio do concurso de canto e programas de classes e masterclasses.

“Esse projeto ainda inédito no Brasil é um braço do concurso internacional, e também leva meu nome em função dos patrocinadores assim pedirem. As outras edições eram presenciais, e muitos brasileiros iam ao México para participar”, conta Linus à Tribuna do Norte. Devido ao contexto da pandemia, o maestro resolveu promover uma edição diferente, on-line e desta vez com foco nos artistas brasileiros.

“No Brasil são poucos os lugares que difundem a ópera, então decidi abrir uma edição só para brasileiros naturalizados ou nascidos no país, residentes ou não, para incentivar o segmento”, explica. Da mesma forma que o concurso no México, a edição brasileira somente é possível com o apoio financeiro da SASO, além da contribuição de inúmeros profissionais e instituições da área artística mundial.

No total, são mais de 70 prêmios distribuídos em três categorias: 15 prêmios em dinheiro, somando mais de R$ 40 mil; oito prêmios em oportunidades de performances, e mais de 50 prêmios de estímulo artístico, sendo esses pacotes de “classes” ou serviços (mini bolsas) destinados por grandes profissionais do mundo da ópera e instituições da área e distribuídos entre classes de canto e classes de interpretação/repertório que serão administradas a distância, através das plataformas digitais.

Sopranos e barítonos
O maestro acredita que já é um diferencial em si, o concurso ser voltado para o canto lírico, uma categoria ainda pouco difundida no país. “O Brasil é um lugar riquíssimo em cantores talentosos, temos de todas as vertentes, da MPB ao pop, mas o lírico ainda é tímido, portanto faço questão de incentivar esse segmento”, explica. No entanto, o foco no lírico não significa pouca diversidade de vozes. Pelo contrário, afirma Linus.

Créditos: DivulgaçãoÓpera com Diana Peralta e Juan Pomares. Música lírica encantaÓpera com Diana Peralta e Juan Pomares. Música lírica encanta


“O concurso está aberto a todas as divisões dessas vozes líricas, de suas muitas classificações vocais. Dentro da voz de soprano, por exemplo, existem várias classificações, assim como nas de contralto, mezzo, tenor, contratenor, barítono, baixo, etc. Então o evento vai contemplar uma gama muito grande de classificações vocais dentro do canto lírico”, diz. Os prêmios estão divididos em três categorias e outros poderão ser ainda adicionados até a realização final do concurso, a serem divulgados nas redes sociais da OSRN.

Linus acredita que o concurso vai ajudar a propagar a arte do canto lírico ao mapear as escolas e os talentos que estão espalhados pelo país. “Há muitos talentos desconhecidos por aí. Esse projeto pode encurtar fronteiras, fazer com que nomes que só atuem num determinado lugar, possam circular por outros estados”, diz. O maestro ressalta que o alargamento de fronteiras pode ser ainda maior.  “O concurso atua com 61 jurados do mundo inteiro, entre diretores de orquestra, maestros, diretores de cena, professores de canto, etc. Então através do concurso eles também vão ter acesso a artistas que eram desconhecidos, porque o Brasil é grande demais”, analisa.

Os prêmios, tanto em dinheiro quanto em oportunidades e bolsas de estudos, são resultado da generosidade dos admiradores e apoiadores da ópera, das instituições artísticas e dos profissionais da área com reconhecida carreira internacional. “Os prêmios em dinheiro e performance serão concedidos aos finalistas. Já os de estímulo artístico poderão ser facultados aos candidatos na fase eliminatória, de acordo com a decisão dos doadores”, ressaltou a diretora de produção da OSRN, Tatiane Fernandes.

Serviço:
Concurso Internacional de Canto Linus Lerner – Edição Brasil. 
Inscrições de 1º a 29 de agosto no site.






Leia também: