Toffoli abre inquérito para apurar ameaças

Publicação: 2019-03-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Brasília (AE) - Em reação a ataques em redes sociais e críticas de procuradores, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, anunciou nesta quinta-feira, 14, a abertura de um inquérito para apurar ofensas à Corte e a seus integrantes. Entre os alvos, segundo a reportagem apurou, estão procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato, como o coordenador do grupo em Curitiba, Deltan Dallagnol, e Diogo Castor, além de auditores da Receita Federal.

O motivo das críticas dos procuradores foi a decisão da Corte de manter na Justiça Eleitoral casos de corrupção e lavagem de dinheiro quando associados a suspeitas de caixa 2 de campanha. Na quarta-feira, 13, durante o julgamento no STF, Toffoli já havia anunciado que acionaria a corregedoria do Ministério Público Federal contra Castor, que escreveu artigo acusando a Corte de promover um "golpe" contra a operação. Já Dallagnol publicou vídeos em que conclama a população a protestar contra o Supremo.

Também estará na mira do inquérito a atuação de auditores da Receita Federal que incluíram o ministro Gilmar Mendes e sua mulher, Guiomar Mendes, além da mulher de Toffoli, Roberta Rangel, na lista de investigados por irregularidades fiscais. Conforme revelou o Estado, a iniciativa criou uma crise institucional no órgão.

O inquérito está sob sigilo e será conduzido pelo ministro Alexandre de Moraes. Ao anunciar a medida, Toffoli citou como justificativa "a existência de notícias fraudulentas (fake news), denunciações caluniosas, ameaças e infrações".









continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários