Três Marias afegãs

Publicação: 2019-09-08 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Alex Medeiros
alexmedeiros1959@gmail.com

O festival parou para ouvir o recado da estrela Angelina Jolie, que não mede esforços quando o assunto é atirar palavras cortantes quando o problema é falta de respeito e de liberdade das mulheres. Sua voz ressoou por Veneza.

Todo filme feito no Afeganistão é uma espécie de milagre, ela disse, lembrando que se o futuro do país islâmico está numa balança de incerteza, o fato lembra então que está em jogo também a independência de milhões de mulheres.
Jolie manifestou-se em apoio ao primeiro filme de uma diretora afegã, que conta a história de três jovens mulheres afegãs que enfrentam as agruras do poder. A obra foi inteiramente filmada com elenco técnico e artístico local.

A cineasta Sahraa Karimi exibe ao mundo três mulheres compatriotas e contemporâneas, Haya, Maryam e Ayesha, de diferentes origens sociais, vivendo na capital Cabul e enfrentando grandes desafios pessoais e políticos.

Haya é uma figura de comportamento tradicional, humilde, que está grávida e mora com o sogro e a sogra. É uma pessoa invisível, cujos problemas ninguém sabe nem se importa; sua única satisfação é conversar o bebê na barriga.

Maryam é uma jovem educada, formada em jornalismo e prestes a se divorciar do marido infiel. Tem um fato em comum com Haya: também está grávida e isto abre um enorme abismo entre sua independência e as leis muçulmanas.

Ayesha, a mais jovem, é uma garota de dezoito anos que precisa aceitar um casamento com um primo porque está grávida de um namorado que desapareceu logo que soube do fato. Precisa de um aborto e da virgindade.

O cerne da narrativa do filme é o ponto de conexão entre as três mulheres: cada uma está diante de uma situação vexatória e perigosa – em se tratando de Afeganistão, resolver sozinha um problemão pela primeira vez na vida.

Sahraa Karimi também encontra um jeito de mostrar ao mundo a graça, a beleza e o espírito das mulheres afegãs em relação ao casamento, o amor, a amizade, a família e a maternidade. Angelina Jolie enalteceu o pioneirismo.

“As mulheres daquele país merecem liberdade e independência”, declarou a atriz arrancando aplausos da assistência. A diretora da obra agradeceu ao diretor do Festival de Veneza, Alberto Barbera, pela oportunidade concedida.

“Obrigado por chamar a atenção para os problemas que meu país está enfrentando, em particular a necessidade de garantir direitos fundamentais das mulheres, pois a igualdade entre homens e mulheres permite prosperidade”.

Nas aspas da cineasta o grito das suas compatriotas, que decerto atingirá todos os cantos do mundo, e na reverberação do feminismo elegante e objetivo de Angelina Jolie fará do filme um princípio de esperança no Afeganistão.

Bandeira
“Tenho até orgulho do direito de queimar a bandeira. Tenho orgulho desses direitos. Mas direi uma coisa, nós também temos o direito de portar armas e se você queimar a minha bandeira, eu atirarei em você”. (Johnny Cash)

Sumiço
A coluna já havia registrado a ausência do secretário Aldemir Freire das negociações do governo com o fórum de servidores. Agora o sindicato dos servidores aloprou no site, num texto duro chamando-o de secretário fujão.

As faixas
Vou repetir o que disse na nota de sexta-feira: o episódio da faixa de pedestre tem similaridade com os milhares de episódios em que o poder público interfere nas ruas em favor de lojas, colégios e eventos. Por que só agora a histeria?

Atravessador
Um dos pontos na tese da legalização da maconha se assemelha com a decisão do governo federal quanto às carteiras estudantis. Corta o papel de atravessador do traficante, como vai acontecer agora com a UNE e a UBES.

Procurador
A perguntinha que ainda não rolou no playground raivoso das redes sociais: se o procurador Augusto Aras é um nome alinhado com a esquerda, por que até agora nenhum dos arautos do PT, Psol e PCdoB comemorou a indicação?

Jornal da Band
Depois de vinte anos trabalhando na Band TV e ancorando o Jornal da Band, o jornalista Fábio Pannuzio deixou a emissora por motivos de saúde. No seu lugar chega um nome de peso, Augusto Nunes, com décadas de brilho.

Augusto
Tenho por Augusto Nunes admiração e referência desde quando, por intermédio de Heraldo Palmeira, ele colaborou com meu site Sanatório da Imprensa e depois abriu as páginas do Jornal do Brasil para meus artigos.

Fagner 70
O cantor Raimundo Fagner completa 70 anos no próximo 13 de outubro e vai ganhar uma homenagem especial em Natal, um show no bar Me Leve, em Candelária, reunindo grandes nomes da musicalidade local. Viva Fagner!

artigo

O escorpião Higuita
Sexta-feira completou 24 anos da mais incrível defesa de um goleiro, realizada pelo colombiano René Higuita durante um amistoso entre Colômbia e Inglaterra no estádio de Wembley. Aos 67 minutos, o jogador Jamie Redknapp, do Liverpool, chutou de fora da área. Higuita deixou a bola cair por trás dele e num salto circense defendeu com as solas da chuteira. Muitos veículos de imprensa elegeram como maior jogada da história do futebol.







continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários