Trabalhadores da construção civil fazem manifestação em Lagoa Nova

Publicação: 2012-11-13 12:45:00 | Comentários: 3
A+ A-
Os trabalhadores da construção civil realizam uma manifestação desde o início da manhã desta terça-feira (13), em Natal. A categoria se reuniu no cruzamento das avenidas Capitão Mor Gouveia e Jaguarari, no bairro de Lagoa Nova, zona Sul de Natal, para protestar. O trecho está interditado e o trânsito de veículos está sendo organizado pela Polícia Rodoviária Estadual, que já se encontra no local. A movimentação ocorreu das 8h às 12h. 

Nesta quarta-feira, às 15h, os trabalhadores irão participar de audiência de conciliação na sede do Tribunal Regional do Trabalho para buscar um acordo com o Sinduscon quanto às reivindicações da categoria.
João Maria AlvesFuncionários da construção civil realizaram mobilização pelas avenidas Jaguarari e Capitão Mor GouveiaFuncionários da construção civil realizaram mobilização pelas avenidas Jaguarari e Capitão Mor Gouveia

A categoria saiu da sede do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil (Sintracomp), no Alecrim, durante a manhã e seguiu em caminhada até o TRT-RN, na avenida Capitão Mor Gouveia. Durante o percurso, eles paralisaram atividades de três obras, chamando os trabalhadores para se juntarem à manifestação.

Os operários da construção civil estão em greve desde ontem. Eles reivindicam reajuste de 20%, mais alterações nas cláusulas sociais - como redução do desconto do vale-transporte e fim do trabalho aos sábados. Os construtores oferecem reajuste de 3,5%. Os trabalhadores da construção civil estão trabalhando apenas com 30% do efetivo, recomendação adotada em obediência a Lei de Greve.
João Maria AlvesSindicato ofereceu estrutura para protestoSindicato ofereceu estrutura para protesto

Como não houve acordo entre a classe e os patrões, o reajuste salarial será decidido pelo TRT. Os trabalhadores cobram aumento nas categorias de pedreiro ( para R$ 928), de meia oficial ( para R$ 833), salário de ajudante (para R$ 756) e cesta básica no valor de R$ 130.

* Informações atualizadas em 13h52

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários

  • junioramedeiros

    NA CONSTRUÇÃO CIVIL HA PESSOAS DE BEM E TRABALHADORAS. SEMPRE SE DESCRIMINA QUEM TRABALHA NA CONSTRUÇÃO CIVIL COMO UM BANDO DE BÊBADOS MAIS SOMOS NOS QUE AJUDAMOS Á CONSTRUIR O PROGRESSO DESSE PAIS E TEMOS O DIREITO DE LUTAR POR MELHORES SALÁRIOS COMO TODO MUNDO.

  • TENGOTELENGOTENGO

    QUANDO A SOCIEDADE SE UNIR E ACIONAR ESSES SINDICATOS NA JUSTIÇA POR DESORDEM E NEGAR O DIREITO DE IR E VIR AOS CIDADÃES DE BEM O NEGOCIO VAI MUDAR, PRA MIM NÃO PASSAM DE BANDIDOS , DIGO PRA ESSES SINDICALISTAS ULTRAPASSADOS E RADICAIS QUE NÃO PASSAM DE BANDIDOS , NINGUÉM TEM O DIREITO DE ATRAPALHAR A VIDA DE NINGUÉM ,MARGINAIS ,BANDIDOS SÃO OQUE SÃO .

  • Lusouto.direito

    Trabalhadores? Nao vi ninguém que parecesse um trabalhador. Um pandemônio na rua em que moro. Ninguém entrava e ninguém sai de casa. Uma mundiça! O que se viu foi um tumulto generalizado, uma multidão de homens bêbados, gritando e fazendo arruaça. Como se não bastasse, invadiram uma obra e saquearam vários objetos. Apóio todo direito de greve e toda reivindicação legítima por melhores salários. Mas nem de longe o que vi hoje se enquadra em uma dessas situações. E a polícia? Chegou uns 40min depois do tumulto ter acabado.