Trabalho unido

Publicação: 2020-02-14 00:00:00
A+ A-
Uma novela movimenta uma numerosa equipe de trabalho. Não à toa, a televisão é o local ideal para bons encontros profissionais. Em “Éramos Seis”, Nicola Siri, que vive o misterioso Osório, tem a chance de encontrar grandes colegas de profissão. “Adorei a chance de participar de uma história que é um clássico. Gostei do personagem, o elenco é de primeira e eu já admirava o trabalho do Carlos Araújo (diretor)”, valoriza o ator, que recebeu o convite para a novela através da produtora de elenco, Dani Pereira.

“Havia um personagem ainda não escalado e o gerente de elenco, Chico Acciolly, pensou em mim. Então, recebi um telefonema da produtora de elenco da novela, a Dani Pereira, me convidando já para gravar em poucos dias. Gostei muito do papel”, completa. Para compreender o universo em que o personagem estará inserido, Nicola usou referências de antigos trabalhos. “O Osório é um trabalhador dos anos de 1930, que fez sucesso na vida e conseguiu construir o seu próprio negócio. Aproveitei bastante a vivência que fiz durante o longa-metragem ‘A Casa Elétrica’, quando interpretei um pequeno empreendedor que teve êxito e também viveu na mesma época que o Osório”, afirma Nicola, que não demorou a entrar no ritmo das gravações. “Usando a metáfora futebolística: ‘é sempre complicado entrar no comecinho do segundo tempo’. Mas logo estabeleci um belo entrosamento com o Nicolas Prattes (Alfredo) e também com o Izak Dahora (Tião)”, vibra.

Mudanças no meio do caminho
A Globo mudou o nome da próxima novela das nove. Inicialmente com o título de “Em Seu Lugar”, o folhetim protagonizado por Cauã Reymond se chamará “Um Lugar ao Sol”. A história assinada por Lícia Manzo já está em fase de gravações. Além de Cauã, a produção também contará com Andréia Horta e Alinne Moraes nos papéis principais.

Em dupla
Monalisa Perrone e Daniela Lima estarão à frente do “Expresso CNN”. A produção fará uma análise dos principais fatos do dia. O nome do telejornal é a versão em português do “The Express”, programa da CNN Internacional apresentado há anos pelo jornalista Richard Quest. Em horário nobre, o jornalístico antecederá o “Jornal da CNN”, apresentado por William Waack.

Primeira taça de 2020
Globo e SporTV irão exibir o jogo entre Flamengo e Athletico-PR pela Supercopa do Brasil no próximo domingo, dia 16. Na Globo, Galvão Bueno comanda a transmissão, que tem comentários de Junior, Casagrande e Paulo César de Oliveira, e reportagens de Eric Faria e Nadja Mauad. No SporTV, a equipe escalada para cobertura da partida – o narrador Luiz Carlos Jr., os comentaristas Lédio Carmona, Petkovic e Sandro Meira Ricci; e os repórteres Guido Nunes e Thiago Ribeiro – estará ao vivo do palco da final antes do início do jogo, mostrando a chegada das equipes e dos torcedores e trazendo as últimas informações sobre o confronto.

Adrenalina e tensão
 Juju Salimeni, nome conhecido do universo “fitness”, ganhará um programa para chamar de seu no E! Brasil. Com estreia marcada para 2 de março, o “Juju Boot Camp” será disputado por 24 finalistas de diversas partes do país, porém somente 12 se classificarão para a fase final.

Foi bem
Para a reformulação dos estúdios do “Hoje em Dia”, da Record. O matinal ganhou uma cara mais moderna e funcional com o novo cenário.

Foi mal  
Para o desempenho de Vitória Strada em “Salve-se Quem Puder”, da Globo. Na pele da atrapalhada Kyra/Cleyde, a atriz está com uma atuação caricata e gritando demais a cada capítulo.