Tragédia em escola deixa 10 mortos

Publicação: 2019-03-14 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Dois jovens armados e encapuzados invadiram, por volta das 09h30 desta quarta-feira, 13, a Escola Estadual Raul Brasil, na cidade de Suzano, interior de São Paulo, e dispararam contra os alunos. Dez pessoas morreram, sendo cinco alunos, dois funcionários, os dois atiradores e o dono de uma loja de carros que ficava perto da escola. Pelo menos 13 ficaram feridas. Duas delas em estado grave.  Fontes da Polícia afirmam que o crime foi planejado por um ano e meio.

Jovens entraram na escola sem dificuldade durante intervalo das aulas e merenda dos alunos
Jovens entraram na escola sem dificuldade durante intervalo das aulas e merenda dos alunos

Segundo a Polícia Civil de São Paulo, os autores do crime são Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, ex-alunos. Guilherme estudou no colégio até o ano passado. O secretário de Segurança Pública de São Paulo, João Camilo Pires de Campo, e o comandante da Polícia Militar, coronel Marcelo Salles, disseram que a motivação do crime ainda não é conhecida e está sendo investigada. “Todos esses cabos soltos, cabe à polícia agora ir amarrando”, disse o secretário.

Os atiradores entraram na escola com certa facilidade, já que o portão estava aberto. Eles chegaram em um carro branco e portavam um revólver 38, quatro jet luders (para recarregamento de arma), uma besta (uma espécie de arco e flecha) e uma machadinha, que foi encontrada com um dos atiradores. Antes de entrar na escola, eles atiraram no dono de uma locadora de carros, Jorge Antonio Moraes, que também veio a óbito. Ele era tio de Guilherme Taucci Monteiro. Ambos tinham uma desavença, segundo testemunhas.

Quando entraram na escola, os jovens atiraram primeiro na coordenadora pedagógica Marilena Ferreira Vieira Umezo, depois em uma agente de organização escolar, reconhecida como Eliana Regina de Oliveira Xavier, e então miraram os alunos. Cinco estudantes e as duas funcionárias da escola morreram. Guilherme matou Luiz e depois cometeu suicídio.

Os alunos que morreram foram Kaio Lucas da Costa Limeira, Cleiton Antonio Ribeiro, Caio Oliveira, Samuel Melquíades Silva de Oliveira, Douglas Murilo Celestino e João Vitor Ramos Lemos (morreu na ambulância do Samu, a caminho do hospital).
  
Histórico escolar
O secretário estadual da Educação de São Paulo, Rossieli Soares, disse que um dos atiradores, Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, não tinha histórico de problemas na Escola Estadual Raul Brasil, em Suzano.

Guilherme matou o comparsa
Guilherme matou o comparsa

“A informação que temos sobre o Guilherme é que ele foi aluno por dois anos no primeiro e no segundo ano do ensino médio, e ele nunca trouxe problemas. Não há registros de problemas desse aluno. Era um aluno muito quieto, calmo e não teria mais problemas. Mas vamos levantar mais informações”, disse o secretário.

Segundo Soares, Guilherme chegou hoje à escola dizendo que iria procurar a secretaria. Os funcionários imaginaram que o aluno iria tentar voltar a estudar, já que ele não havia comparecido aos estudos no ano passado. “Trata-se de um ex-aluno que estava sendo inclusive monitorado por um processo da secretaria para que retornasse à escola. O aluno é conhecido. Era para ele ter estudado no ano de 2018 e [hoje] voltou à escola, alegando que iria para a secretaria para retomar os estudos. A informação que a gente tem é que a escola estava aberta para receber um ex-aluno que queria voltar a estudar. E aí, do nada, começou o ataque”, disse o secretário.

Quanto ao segundo atirador, identificado como Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, Soares disse que ainda não foi possível levantar o histórico escolar dele.   

Luiz fez pacto para ser morto
Luiz fez pacto para ser morto

Governo do Estado
Após visitar a escola, o governador  João Doria, disse que estava sob forte impacto. “Estou muito impactado. A cena mais triste que assisti em toda a minha vida. Estou consternado, chocado", complementou, informando prestar solidariedade às famílias das vítimas. Foi decretado luto oficial de três dias.















continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários