TRE deixa José Adécio inelegível e cassa prefeita de Pedro Avelino

Publicação: 2018-04-06 00:35:00 | Comentários: 0
A+ A-
O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte declarou a inelegibilidade do deputado José Adécio (DEM) por oito anos, em sessão ordinária realizada na de ontem, presidida pelo presidente da Corte, desembargador Dilermando Mota. O plenário do TRE julgou o recurso eleitoral da coligação “União, Força e Trabalho (PMDB/PSB/PRB/PT) contra decisão de primeira instância, que negou a cassação do mandato da prefeita de Pedro Avelino, Neide Suely Muniz Costa (DEM)  e do vice-prefeito Nilton Mendes e do vereador Francisco Agtônio Soares, por abuso de poder econômico e político nas eleições municipais de 2016.

Deputado José Adécio poderá apresentar um recurso ao Tribunal Superior Eleitoral
Deputado José Adécio poderá apresentar um recurso ao Tribunal Superior Eleitoral

Além disso, a Corte determinou a realização de novas eleições em Pedro Avelino. Todas as decisões cabem recursos ao TSE, mas a Corte eleitoral determinou o afastamento imediato da prefeita e do vice-prefeito de Pedro Avelino, a partir da publicação do acórdão e de sua comunicação ao Juízo da 17ª Zona Eleitoral e à Câmara de Vereadores do Município de Pedro Velho.

Segundo a coligação “União, Força e Trabalho”, os investigados nos dias 9 de abril, 26 de julho e 15 de setembro do ano das eleições, realizaram o evento Vila Cidadã, com prestação de serviços públicos e entrega de 400 títulos de terra e distribuição de cheques do Programa Microcrédito do Empreendedor, todos da Competência do Governo Estadual.

Nos autos, constam que o deputado José Adécio, esposo da então candidata Neide Suely, teria usado sua influência como parlamentar para levar os referidos eventos ao município de Pedro Avelino, preterindo, na realização dos programas, as autoridades locais do legislativo e do executivo, bem como outros adversários políticos.

Segundo o processo, essa atuação teria sido em benefício dos demais investigados, candidatos eleitos no pleito de 2016, que teriam participado ativamente dos eventos, coordenando-os, transitando livremente entre os populares e interagindo com estes.

A TRIBUNA DO NORTE procurou repercutir a informação  com o deputado José Adécio, mas a sua assessoria informou que ele estava incomunicável.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários