Trecho de 1,9km em via de Parnamirim concentra 264 postes

Publicação: 2018-06-14 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Yuno Silva
Repórter

A cena é inusitada, e até difícil de acreditar: em um trecho de 1.900 metros da Estrada da Lagoa Seca, em Parnamirim, que liga o Parque das Nações (Coophab) ao bairro da Liberdade, há mais de 260 postes 'plantados' às margens da via. Para ser exato são 264 postes, média de um poste a cada 7 metros e 20 centímetros, instalados da entrada do condomínio Central Park até o acesso à Estrada de Cajupiranga. Alguns postes, inclusive, não estão nem sendo utilizados. A distância média entre postes – em áreas urbanas – deve ter entre 35 metros e 50 metros segundo critérios estabelecidos por normas técnicas. Um detalhe chama atenção: a via ainda não possui iluminação, está em fase de implantação.

Concentração de postes vai da entrada do condomínio Central Park até o acesso à Estrada de Cajupiranga. A média é de um poste a cada 7 metros e 20 centímetros
Concentração de postes vai da entrada do condomínio Central Park até o acesso à Estrada de Cajupiranga. A média é de um poste a cada 7 metros e 20 centímetros

A 'plantação' irregular de postes, ora avulsos ora concentrados de cinco em cinco (e até de oito em oito), pode ser explicado pela ausência de uma lei municipal, em Parnamirim, para regulamentar a instalação correta dessas estruturas. Outro fator que também colaborou com o 'fenômeno' da multiplicação dos postes é a expansão da zona urbana: com o surgimento de novos condomínios naquela área, fez-se necessário levar serviços como telefonia fixa, internet banda larga, e tv por assinatura até lá. Porém, cada uma das empresas operadoras que prestam esses serviços, por falta de uma regulamentação específica, resolveu chantar o próprio poste.

O secretário Municipal de Serviços Urbanos de Parnamirim, Charles Casas de Quadros, disse que o problema foi identificado e as medidas para resolver serão tomadas logo após a via ser iluminada. “A Prefeitura firmou parceria com a Cosern, que já está instalando postes maiores justamente para suportar a demanda desses postes pequenos. Assim que o serviço de posteamento for concluído, as empresas (de telefonia fixa, internet e tv por assinatura) que instalaram as estruturas serão notificadas para retirá-los”.

Rede de iluminação ainda está em fase de implantação na via
Rede de iluminação ainda está em fase de implantação na via

A orientação, segundo Quadros, será para que cada operadora entre em acordo com a Cosern para utilização dos postes maiores. Charles explicou que o papel da Companhia Energética do RN se limita a instalar a estrutura: “Os custos com a iluminação será de responsabilidade da Prefeitura”, frisou. Ele disse que no trecho destacado há postes da Cosern e de empresas operadoras de serviços de comunicação como Cabo Telecom, Oi/Velox, Claro/Net, e Vivo/GVT. “Os postes foram instalados sem nenhuma autorização, quando vimos já estavam todos no lugar”, assegurou o secretário.

O titular da Semsur Parnamirim confirmou que não há legislação municipal específica, mas admite que, no mínimo, a situação se configura como “poluição visual”. A falta de acostamento, somada ao excesso de postes, representa riscos aos motoristas que trafegam pela Estrada da Lagoa Seca. O Departamento de Estradas de Rodagens (DER-RN) informou que a Estrada da Lagoa Seca não é uma rodovia estadual e que a via está sob jurisdição municipal.

Números
1,9 km é a extensão do trecho destacado da Estrada da Lagoa Seca, em Parnamirim, onde foi identificado o excesso de postes às margens da via;

264 postes de energia elétrica e de serviços como telefonia fixa, tv por assinatura e internet, foram instalados entre o condomínio Central Park e o acesso à Estrada Cajupiranga, no bairro Liberdade;

7,20 metros
é a distância média entre os postes instalados em um percurso de menos de 2 km.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários