Trump e Kim Jong fazem promessas

Publicação: 2018-06-13 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O presidente americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, foram o centro das atenções em todo mundo durante a cúpula histórica entre Estados Unidos e Coreia do Norte nesta terça-feira, 12. A audiência global, de Washington a Pyongyang, acompanhou o tête-à-tête antes inconcebível diante das ameaças de guerra nuclear e troca de insultos.

Kim Jong-Un foi mais contido em relação as declarações à imprensa; Trump confirmou parceria e visita de Kim Jong à Casa Branca
Kim Jong-Un foi mais contido em relação as declarações à imprensa; Trump confirmou parceria e visita de Kim Jong à Casa Branca

Mas o que de fato surgiu, além do espetáculo em si? E quais foram os momentos que cravaram a história do século 21?

Depois da primeira sessão de conversas entre Trump e Kim Jong-un pessoalmente, seus assessores se reuniram para continuar o trabalho dos líderes. Segundo Trump, os resultados foram “melhores do que qualquer um esperava" e um documento seria assinado em breve. Esse foi o primeiro resultado concreto da reunião. O conteúdo do documento foi divulgado antes da entrevista coletiva do presidente americano, mas poucos detalhes foram revelados. Nele, Trump dá “garantias de segurança" a Pyongyang e Kim reafirma a “completa desnuclearização da Península Coreana".

Durante a coletiva, Trump foi além. Afirmou que Washington interromperá os jogos de guerra ao lado do governo sul-coreano. A fala é de grande importância, visto que os exercícios militares dos EUA e Coreia do Sul enfurecem Pyongyang. As atividades são vistas por Kim como um ensaio para derrubar sua dinastia. Trump acrescentou querer enviar os soldados americanos no território sul-coreano de volta para casa. Atualmente, quase 30 mil homens estão alocados no país. O presidente dos EUA também relatou que Kim concordou em destruir um dos principais campos de testes nucleares norte-coreanos.

Segundo o líder americano, o processo de desnuclearização começará “muito rapidamente". Ele acrescentou que desenvolveu um “laço muito especial" com Kim. Trump disse ainda que convidaria o norte-coreano para a Casa Branca. Kim ignorou as perguntas sobre a possibilidade de viajar a Washington, mas Trump afirmou posteriormente que Kim havia aceitado o convite. O norte-coreano declarou que o mundo “verá uma grande mudança" e Washington e Pyongyang decidiram “deixar o passado para trás". Os dois se cumprimentaram e se despediram sem o auxílio de intérpretes ao final da cúpula.

E agora?
O que acontece agora? Os dois se encontrarão novamente? Segundo declaração tripla envolvendo EUA, Coreia do Sul e Coreia do Norte, o próximo passo possível é a assinatura do fim formal da Guerra da Coreia, e a China deve estar presente neste momento.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários