Trump visita vítimas de atirador

Publicação: 2017-10-05 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O massacre que ocorreu na noite de domingo deixou "o coração da América de luto", declarou o presidente Donald Trump, em Las Vegas, nesta quarta-feira, 4. "Os EUA são, verdadeiramente, uma nação em luto", disse o presidente, depois de agradecer policiais, bombeiros, socorristas, cidadãos que agiram como heróis ao salvar as vidas de várias pessoas no público do show country atacado pelo atirador Stephen Paddock. Pelo menos 59 foram mortos pelo atirador, que se suicidou.

Centenas de moradores de Las Vegas e cidades vizinhas depositaram flores, cartazes e velas no local onde 59 pessoas morreram
Centenas de moradores de Las Vegas e cidades vizinhas depositaram flores, cartazes e velas no local onde 59 pessoas morreram

Acompanhado pela primeira-dama, Melania Trump, o presidente dos Estados Unidos relatou casos isolados de pessoas que ajudaram a salvar outras durante o ataque, como o de um policial que estava no seu segundo dia de trabalho e também acabou ferido. “Cada herói salvou tantas vidas. A nação agradece àqueles que se sacrificaram", disse, em declarações na sede da Polícia de Las Vegas.

Na manhã desta quarta-feira, 4, o presidente visitou o University Medical Center onde são atendidas várias pessoas atingidas pelo atirador. Assim como no pronunciamento, Trump evitou abordar o tema da venda de armas de fogo no país. “Não falaremos hoje sobre a violência das armas. Isto foi obra de uma pessoa doente e demente", declarou Trump a jornalistas na saída do hospital. “Quero destacar o trabalho dos profissionais que cuidaram das vítimas. Fizeram um trabalho indescritível. Não queremos ver algo assim novamente", ressaltou.

Trump e a primeira-dama, vestida completamente de preto em sinal de luto, foram recebidos por autoridades locais como a prefeita da cidade, Carolyn Goodman, e o xerife do condado, Joe Lombardo, entre outros. Acompanham eles na viagem o líder da maioria republicana na Câmara de Deputados, Kevin McCarthy, e o deputado Mark Amodei, representante republicano do Estado de Nevada. “Este é um dia muito triste para mim, pessoalmente", disse o presidente americano em declarações à imprensa quando deixava a Casa Branca para viajar a Las Vegas.

Segurança reforçada
Funcionários de dois hotéis de Las Vegas estão usando temporariamente detectores de metal portáteis para examinar malas. A medida é uma tentativa de melhorar a segurança depois que o contador aposentado Stephen Paddock abriu fogo contra centenas de pessoas que estavam em um festival de música country no domingo, matando 59 e ferindo mais de 500.

Repórteres do jornal Las Vegas Review tiveram a bagagem revistada pelos detectores nos hotéis Wynn e Encore ontem. Investigações apontaram que Paddock entrou no hotel Mandalay Bay com 23 armas. Ambos os resorts são administrados pelo magnata Steve Wynn.

Um porta-voz das redes hoteleiras afirmou ao Las Vegas Review que a medida foi colocada em prática na manhã da segunda-feira, 2, quando a polícia ainda não sabia se havia mais atiradores envolvidos na ação. Ele ainda ressaltou que as revistas nas malas e hóspedes são feitas quando eles “acreditam ser necessário”.

No domingo, 1º de outubro, da janela de seu quarto no 32° andar do hotel Mandalay Bay, Stephen Paddock, um aposentado de 64 anos, disparou contra uma multidão que assistia a um festival de música country durante um intervalo de entre 9 e 11 minutos com rifles semiautomáticos que tinha modificado para que disparassem mais rápido.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários