Turismo internacional cai 43,5% em cinco anos

Publicação: 2010-08-31 00:00:00 | Comentários: 6
A+ A-
O número de desembarques internacionais no Rio Grande do Norte teve uma queda de 43,5% nos últimos cinco anos. Dados da Infraero mostram que o estado perdeu 93,8 mil turistas apenas nos meses de junho do período compreendido entre 2006 e 2010. A valorização do real frente ao euro e ao dólar, foram considerados os principais fatores para a queda no número de chegadas de passageiros vindos de fora do país. O resultado não reflete quantos deles são turistas, mas o baque no setor é confirmado pela queda no número de hóspedes internacionais nos hotéis.

“A queda começou a acontecer em 2004 e teve seu auge em 2006. O fortalecimento do real contribuiu muito para isso”, analisa o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH RN), Enrico Fermi. Ele pontua ainda que a falta de divulgação do potencial turístico potiguar no exterior contribui para a redução do fluxo de turistas internacionais no estado. Somente em junho do ano passado, o setor sofreu o déficit de 25,8 mil turistas em relação ao mesmo período de 2008 (veja quadro).

Com a crise internacional que se iniciou nos Estados Unidos e contaminou diversos países do mundo, o poder de compra dos americanos e europeus, principais consumidores externos do turismo local, caiu. “As moedas mais fortes sofreram com a desvalorização gerada pela crise no mundo e o consumo deles caiu. Além disso, houve um encarecimento dos pacotes turísticos”, comenta o Secretário Estadual de Turismo, Múcio Sá.

De acordo com dados do Ministério do Turismo, cada turista europeu gasta por dia uma média de R$ 560. Os turistas costumam permanecer sete dias no local escolhido. Ao final da permanência ele tem desembolsado R$ 3,9 mil. Levando em consideração estes valores, pode-se calcular que a economia potiguar perdeu, em aproximadamente cinco anos, R$ 367 milhões com o recuo da atividade turística internacional.

“Os turistas vindos da Europa, por exemplo, escolhiam os voos fretados por serem mais baratos do que os comerciais”, indica a proprietária da Mix Turismo, Maria Alice Silva. Natal perdeu vários charteres vindos da Europa, sendo o mais recente o que saía de Milão, operado pela Iberojet. Com o fim do voo comercial, que fazia conexão em Salvador, em média 140 passageiros deixarão de desembarcar semanalmente em Natal.

Para Múcio Sá é tudo uma questão de tempo para a recuperação. “A questão dos voos internacionais não depende exclusivamente de uma ação do governo. É necessário que a crise acabe para que o turista internacional tenha mais dinheiro para viajar”.

Além das perdas para a atividade turística local, o mercado imobiliário também amarga a ausência dos investimentos europeus. A crise que ainda é sentida pelo Velho Continente, se reflete em Natal nos empreendimentos (resorts, clubes de golfe) que não saíram do papel. “O mercado imobiliário também perdeu muito. Os investidores vislumbraram que os turistas comprassem uma casa em Natal e isso não se consumou”, aponta o diretor comercial do hotel Praiamar, George Gosson.

Turismo interno registra aumento

Em contrapartida à realidade turística internacional, o turismo interno tem crescido e é o que mantém os hotéis em funcionamento hoje. O gerente comercial do Hotel Praia Mar, George Gosson, comenta que o mercado nacional compensou a ausência do turista internacional. “Mais de 90% da taxa de ocupação do hotel é mantida pelos turistas nacionais”.

Apesar de permanecer em média três dias a menos que os turistas europeus e americanos, o brasileiro passou a viajar e gastar mais nos destinos turísticos. Gosson complementa que o mercado turístico local teve sua economia mantida em operação com o aumento do poder aquisitivo do brasileiro, que passou a viajar e gastar mais internamente.

Porém, os pacotes turísticos para destinos nacionais continuam caros. Passar cinco noites nas Serras Gaúchas, por exemplo, custa o mesmo preço de uma viagem, de igual período, à capital argentina. “Cada vez mais turistas potiguares tem procurado pacotes para Buenos Aires. O custo-benefício compensa mais do que destinos nacionais”, afirma Maria Alice. A desvalorização do peso frente ao real, impulsiona a procura pela Argentina como destino turístico.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários

  • trattoriadafrancesco

    infelizmente, nosso estado tem o ICMS mais alto (o entre os mais altos) da Federaçao, que contibui bastante em enviabilizar contratos com operadoras de turismo (sejam nacionais ou estrangeiras) devidos aos custos operacionais. Além do fato de todos nos ter dixado do lado um trabalho com o ublico nacional e regional, na epoca do auge do cambio do ?. agoras estamos chorando e se arependendo de nossas atitudes do passado.

  • mauricyterra

    O turismo internacional no Brasil aumentou e em algumas cidades do nordeste também. Quanto a queda observada em Natal, de cerca de 43%, só uma pequena parcela pode ser atribuida a crise e ao cambio. Os nossos governantes deveriam observar o estado da nossa cidade, que está uma lástima. Muito suja, escura, com praias poluidas por esgoto, calçadas irregulares ou então de areia, a insegurança é relativamente grande (vide casos ocorridos com estrangeiros que repercutem mal no exterior). E os preços subiram uma enormidade, bem acima da inflação. Os preços dos restaurantes nos ultimos 2 anos subiram no minimo 50%. Está mais barato comer em vários cidades da Europa. Parece que nossos ultimos governantes não gostam da cidade. Natal tem as praias mais bonitas do nordeste, mas ela é a capital do nordeste mais mal cuidada, e não é de hoje! Todavia é mais fácil atribuir a causa da queda ao câmbio e a crise. Os governantes de plantão estão fazendo como o avestruz.

  • brasilyoucan

    Hoje em Tribuna do Norte esta escrito: O desembarque de 753 mil passageiros em voos internacionais no Brasil, durante o último mês de julho, marcou um crescimento recorde de 33% em relação ao mesmo mês do ano passado. Os sete primeiros meses de 2010 acumulam um número de 4,4 milhões de passageiros. MAIS QUANTO E O CRESCIMENTO DE NATAL EN JULHO ?????? Alguém sabe? Por o menos sabemos que o turismo caio de 44% em 5 anos. Que tristeza !!!!!

  • natalbra

    Turismo internacional cai 43,5% em cinco anos? Errado!!! O povo potiguar perdeu o 43,5% !!! O tsumani do dia 26 de dezembro do ano 2004 direcionou para Natal muitos turistas. O povo potiguar de repente se achou um povo de impresarios sem perceber que um disastre no outro lado do mundo fez a sorte de Natal. Os fatos falam e ... os turistas nao esquecem.

  • guerralocal

    Estou a morar em Natal desde Janeiro e acho impressionante o abandono votado à cidade, às infra-estruturas e às praias. Não sabendo de antemão que a cidade aposta no turismo, e eu nem me daria conta. Tudo o que se observa nesta cidade é um aglomerado de cercas, arame farpado e muros arcaicos, carros estacionados em cima das calçadas, calçadas rudimentares ou inexistentes, obstáculos que impedem as pessoas de desfrutarem do espaço, de caminhar pelas ruas, de interagir com outras, dando assim um aspecto mais humano à cidade. Nenhum património histórico digno de nota. Nenhuma área verde relevante. É uma tristeza de ver, que se tenta apagar promovendo a existência de uma costa com praias tropicais. Mas quando as praias não tem qualidade suficiente nem para servir de atractivo através de fotos em guias turísticos, e mesmo assim o interesse em conceber medidas para recuperá-las é inexistente, por anos e anos em que se arrastam os mandatos políticos, então torna-se desnecessário preocupar-se com questões como valorização da moeda. Para se ter uma ideia das coisas que se podem mudar em Natal a nível do turismo, basta folhar os guias turísticos mais famosos publicados pelo mundo, que eles apontam os limites da cidade de modo contundente...

  • brasilyoucan

    Hoje temos Internet para procurar si e verdade o não que o turismo estrangeiro caio de 50% no mundo inteiro. E!!! não e verdade. Não e a culpa do Dollar o Euro forte. Os estrangeiros continuam a viajar no mundo. Mais em Natal, não. Porque, aqui, não tem nenhuma politica turística do fundo. E dia dia. Natal não esta representado em nenhuma feria turística no mundo. Agora te só! uma companhia de voo charter que vem para Natal. Os voos de la Tap são muito muito caros. Então, os estrangeiros viajam para outra destinação mais económicas. Por a metade do preço de um voo para Natal com a Tap, um europeu viaja para Republica Dominicana em um hotel 5*, tudo incluído com transfer, comida e bebidas a vontade e animação. Si tem que escolher o turista vai para la. O turismo aumento de novo em Republica dominicana e Cuba de 7% esse ano. O dollar e o Euro e caro ala também!!!! Mais, em esses pais, elos lutam para o turismo. Aqui, NÃO!!!!! Também te um estrangeiro assassinado cada mês em RN. Não acho que e uma boa publicidade.... O turismo e um negocio de profissional, não de amador. E quem sofre da falta de esses turistas que gastam 600 Reais por dia? O povo de Rio Grande Do Norte.......