UBE/RN: 60 anos

Publicação: 2020-02-11 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Thiago Gonzaga
Escritor

A UBE (União Brasileira de Escritores), fundada em 1958, tornou-se uma das mais antigas e tradicionais associações de escritores do Brasil. A UBE é resultado da fusão da Sociedade Paulista de Escritores com a Associação Brasileira de Escritores. Foi presidida por nomes como Afonso Schmidt, Raimundo de Menezes, Fábio Lucas e Ricardo Ramos. A entidade possui como objetivos principais discutir políticas culturais que atendam os interesses dos associados e defendê-los em todas as manifestações e gêneros literários.

No Rio Grande do Norte, a princípio a ideia de criar uma secção da UBE, se deu por iniciativa do escritor Edgar Barbosa, durante a Semana de Estudos Euclidianos, promovida em Natal, com o apoio de diversas instituições. A primeira reunião, com base nas pesquisas do escritor Francisco Martins, foi em 14 de agosto de 1959, no Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte, e contou com a presença de autores ilustres como Umberto Peregrino, Aldo Fernandes, Alvamar Furtado, Raimundo Nonato da Silva e Manoel Rodrigues de Melo.  A primeira diretoria foi constituída por Raimundo Nonato da Silva como Presidente; Paulo Viveiros, 1º Vice-Presidente; Manoel Rodrigues de Melo, 2º Vice-Presidente; José Saturnino de Brito, 3º Vice-Presidente. E no seu Conselho Fiscal nosso mais ilustre escritor: Câmara Cascudo, ao lado de Edgar Barbosa , Alvamar Furtado, Esmeraldo Siqueira e Américo de Oliveira Costa.

Passada essa primeira fase, o tempo esfriou as atividades da instituição no Rio Grande do Norte, todavia, anos depois, em meados da década de 1980, a UBE/RN, ressurge, buscando resgatar suas raízes; pois, iniciou-se, uma nova etapa, cujo marco inicial, foi a reunião com o escritor Fagundes de Menezes da UBE/RJ em 1984, no Salão dos Grandes Atos da Fundação José Augusto, na presença de alguns escritores potiguares. Porém, essa etapa também teve vida curta.

Após algumas tentativas de renascimento, somente em 2006, a UBE/RN, ressurge definitivamente com uma reunião inicial de reorganização realizada na sede da Academia Norte-rio-grandense de Letras, que contou com a presença de vários escritores dentre eles, Eduardo Gosson, Lívio Oliveira, Pedro Vicente Costa Sobrinho, Nelson Patriota, Manoel Onofre Júnior, Racine Santos e Anna Maria Cascudo Barreto. A partir desse acontecimento a UBE não parou mais suas atividades aqui no Estado.

A entidade, conforme seu estatuto, tem por objetivo fundamental fomentar a cultura e dar apoio aos escritores potiguares, sugerir e acompanhar todas as ações públicas ou privadas de natureza cultural e social pertinentes, isenta de quaisquer posicionamentos ideológicos ou político-partidários; defender os direitos fundamentais do escritor potiguar e zelar pelos seus direitos autorais e interesses, tendo a iniciativa de medidas adequadas a esse objetivo; preservar a herança literária, cultural e artística do Rio Grande do Norte, destacadamente na área das letras.

A UBE/RN já teve como presidentes escritores de alto valor intelectual, como, por exemplo, Lívio Oliveira, Franco Maria Jasiello,  Racine Santos,   Roberto Lima de Souza e Eduardo Gosson

Poeta e escritor, Eduardo Gosson dedicou boa parte da sua vida à instituição, e a presidiu por muitos anos (mandatos de 2008-2009/2010-2011/2012-2013/2016-2017), e só recentemente, devido a problemas de saúde, deixou o cargo para dar lugar à primeira mulher a tomar a frente da UBE, no RN, a escritora e professora Tereza Custódio, que assume a entidade, tendo como 1º. Vice-Presidente a escritora e agitadora cultural Jânia Souza, e o poeta Aluízio Mathias como 2º. Vice-Presidente.

Nascido em Natal/RN, no dia 01 de junho de 1959, Eduardo Gosson é neto do libanês Antonio José Gosson e sobrinho-neto de mais dois irmãos (Abdon e Moisés) que vieram para o Brasil, cumprindo o roteiro: Líbano, França e Brasil, chegando em 01 de novembro de 1925 na cidade de Maranguape/CE. Eduardo Gosson escolheu cursar Sociologia na UFRN, por desenvolver, desde muito cedo, um agudo senso de justiça social e achava que a Sociologia seria um caminho para transformar o mundo. Entre seus vários livros publicados, temos “O Ciclo do Tempo”, “Poemas das Impossibilidades, “Sociedade e Justiça” – História do Poder Judiciário do Rio Grande do Norte”, “Ministros Potiguares”, “Entre o Azul e o Infinito” e “Crônicas da Família Gosson”.

Há quase trinta anos, Gosson deu uma contribuição também significativa com vistas à expansão das nossas letras para a comunidade, ao idealizar e coordenar o Curso de Literatura Potiguar, na Fundação Cultural Hélio Galvão, a partir de um convite do poeta e escritor Dácio Galvão, que era amigo do seu pai. Propôs o “Curso de Literatura Potiguar: uma Abordagem Sincrônica”, que coordenou durante três anos, cumprindo um relevante papel: aperfeiçoar professores do ensino do 1º e 2º graus ( hoje ensino fundamental e médio) para trabalhar com o autor que produz no Estado.  Eduardo Gosson, no início dos anos 2000, realizou também um projeto desenvolvido nas livrarias da cidade, para divulgar nossos escritores, “Sarau Poéticas Potiguares”; os eventos aconteciam na Livraria A.S. Gosson também criou o Selo Editorial Nave da Palavra, da UBE/RN, que já publicou diversos livros.  Além de, na presidência da UBE/RN, organizar o “Encontro Potiguar de Escritores” acontecimento cultural que marcou época, tendo em vista que o objetivo maior era divulgar nossas letras, a promoção da leitura, fomentar o mercado do livro (editores e livreiros) e chamar a atenção da sociedade para a Literatura produzida no Rio Grande do Norte.

Em meados do ano passado, a UBE/RN, fez 60 anos. Coincidentemente a mesma idade que Eduardo Gosson completou também em 2019. Para concluir este artigo, definimos Gosson, como ele mesmo o fez numa entrevista que nos concedeu, em 2013, para o livro “Impressões Digitais- Escritores Potiguares Contemporâneos, v. 1”: “Sou apenas um operário da Cultura”.






Deixe seu comentário!

Comentários