UERN realiza primeira colação de grau virtual e forma 28 novos médicos

Publicação: 2020-04-08 15:23:00
A+ A-
A Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) realizou, pela primeira vez, uma solenidade de colação de grau virtual. Ao todo, 28 estudantes de medicina receberam o grau na manhã desta quarta-feira (8), em solenidade presidida pela reitora em exercício Fátima Raquel Morais.

Em virtude da pandemia do coronavírus, a Universidade antecipou, com base na Medida Provisória 394, de 1º de abril de 2020 e no Decreto Estadual de 8 de abril de 2020, a colação de grau dos estudantes do último período do curso, com o objetivo de atuar no enfrentamento à doença.
Créditos: ReproduçãoColação de grau aconteceu por meio de uma aplicativo de teleconferênciaColação de grau aconteceu por meio de uma aplicativo de teleconferência
“Neste momento, estamos colocando no mercado novos profissionais para atuar no combate à pandemia do novo coronavírus. Temos a certeza de que são profissionais capacitados para atuar nesta pandemia, pois temos consciência da qualidade do nosso processo formativo”, afirmou a reitora em exercício Fátima Raquel Morais, que destacou a participação da governadora Fátima Bezerra para a realização deste momento. “Contamos com o apoio e o empenho da governadora, que não mediu esforços para que tudo ocorresse de forma ágil, como o momento exigia. A UERN e o Governo do RN passaram o fim de semana trabalhando para que pudéssemos realizar esta solenidade o quanto antes”.

Para o diretor da Faculdade de Ciências da Saúde, Fausto Guzen, a colação de grau desta turma de Medicina é o reflexo de novo momento. “A tecnologia está aí para nos aproximar cada vez mais, e apesar de estarmos em uma plataforma digital, este é um momento de muita emoção, um grande passo para esses alunos e um marco em suas trajetórias brilhantes. Destaco o grande esforço da Instituição para poder inserir esse pessoal no mercado de trabalho justamente em um cenário tão delicado”, afirmou o diretor.

Eliane Freitas é uma das recém-graduadas. Para ela, a atuação em frente à pandemia é uma forma de retribuição à sociedade. “Somos médicos, formados no interior do Rio Grande do Norte, que perseguimos um sonho. E nos vimos na obrigação de dar um retorno à sociedade”, afirmou Eliane.