UFRN define regras para ingresso

Publicação: 2012-10-25 00:00:00
Carla França - Repórter

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) extinguiu o Argumento de Inclusão para se adequar as Leis de Costas que será utilizada já este ano para o Vestibular 2013. Assim, os vestibulandos que cursaram o ensino médio na rede pública terão a reserva de 12,5% das vagas do processo seletivo. Esse percentual também levará em consideração a renda e a raça desses candidatos. Essas modificações foram aprovadas ontem (24) pelo Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão (CONSEPE) da UFRN.  Durante coletiva, a reitora da UFRN, Ângela Paiva Cruz e a presidente da COMPERVE, Magda Pinheiro, explicaram as mudanças.

O Vestibular 2013 da UFRN oferece 3.015 vagas e dessas, 12,5% serão reservadas para os candidatos que cursaram, integralmente, o ensino médio em escolas públicas. Desse total, 50% serão reservadas para os candidatos com renda familiar bruta igual ou inferior a 1,5 salário mínimo per capita e os outros 50% para os candidatos com renda superior a 1,5 salário mínimo per capita.

Segundo explicou Magda Pinheiro, de cada 50% das vagas destinadas a quem tem renda inferior ou superior a 1,5 salário mínimo per capita, serão destinados aos candidatos autodeclarados pretos, pardos e indígenas, em proporção no mínimo igual a pretos, pardos e índios na população do RN, segundo o último censo do IBGE,  que é de 57,8%, conforme prevê a lei.

Os cálculos para entender as mudanças não são simples. Para ilustrar a situação, foi tomado como exemplo um curso oferecendo 50 vagas. Aplicando os 12,5% determinados pela lei,  43 vagas são para livre concorrência e sete vagas  são para os alunos de escola pública. (Veja divisão das vagas no infográfico).


Para concorrer nessas condições, o candidato deve atingir os critérios adotados pela UFRN, como por exemplo, o ponto de corte. Cada curso possui uma quantidade de pontos mínimas que o vestibulando tem que fazer para ser classificado para a segunda fase. Essa por sua vez, também tem um argumento mínimo a ser atingido.

Todas essas mudanças estarão explicadas em uma cartilha que será publicada hoje no site da COMPERVE (juntamente com o edital do vestibular retificado). Ela também será distribuída no primeiro dia de provas. Mas só no último dia é que os candidatos vão preencher o formulário e optar se estão enquadrados ou não no benefício das cotas.

Segundo a reitora da UFRN, Ângela Paiva, a quantidade de alunos beneficiados pela lei de cotas será semelhante a de anos anteriores quando era utilizado o argumento de inclusão. Ela disse ainda que a universidade está trabalhando para manter o nível do ensino da UFRN. “Estamos trabalhando para garantir mais investimento. Nós temos que incluir, acolher e garantir a permanência, com sucesso, dos alunos. Estou certa de que as cotas só trará benefícios. Estimulará os alunos a estudar mais, pois o acesso”, disse.

Os alunos ainda poderão concorrer a uma vaga na UFRN através do ENEM, que oferecerá pouca mais de três mil vagas, que também obedecerá a lei de cotas.  Para o ano de 2013 a UFRN está oferecendo 6.030 vagas. O acesso a metade destas será feito por meio do Enem. O restante, 3.015, será destinado ao vestibular,  cujo sistema de cotas será aplicado.

Leia também: