Um ‘cordelivro’ para crianças

Publicação: 2011-07-22 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Tádzio França
repórter

O filósofo, poeta e professor de história que persiste em manter viva - e consegue - a literatura de cordel para além dos confins nordestinos, está com nova produção na praça. O potiguar Izaías Gomes lança nesta sexta-feira o livro “A briga do sabão com o sabonete” (Editora Salesiana), às 19h, no lavraria Siciliano do Midway Mall.  A produção, voltada para o público infantil, é o que pode ser chamada de ‘cordelivro’, pois conta com ilustrações e edição de livro, com textos de cordel. Este já é o terceiro trabalho de Izaías neste formato.

O cordelivro trata de uma narração em rimas, com a musicalidade do cordel, sobre as brigas de um soberbo sabonete com um um humilde sabão. Uma história que se apresenta logo na primeira estrofe: “Tem gente que humilha os outros porque mora em palacete/Outros, só porque são fortes, acham-se bons no porrete/Essas coisas geram intriga/Por isso se deu a briga do sabão com o sabonete”. Em meio ao confronto ensaboado são passadas lições sobre amizade, respeito e ética, discutindo a discriminação de classes de uma forma leve, bem humorada e colorida para a criançada. 

A publicação do livro por uma editora nacional é resultado do intenso trabalho que Izaías realiza há seis anos, sempre promovendo o cordel. Participante de diversas feiras e eventos de literatura ao redor do Brasil, ele corre atrás e mostra sua arte às editoras, estabelecendo contatos. A Editora Salesiana solicitou um trabalho para ele, e de seis enviados, “A briga” foi o escolhido. “O livro será adotado como paradidático em todas as escolas salesianas do Brasil, e estará à venda em várias livrarias”, ressalta o autor. O lucro adicional são as ilustrações de Galvão, cartunista paulista que faz trabalhos para vários jornais e a revista “Mundo Estranho”.

Além de escrever, Izaías Gomes também publica cordéis seus e dos outros. Há cinco anos ele tem a Chico Editora, que lança cordelistas potiguares e de várias partes do Nordeste, entre textos novos e clássicos. Ele conta que publica em média 50 mil cordéis por ano. E quem compra? “Infelizmente, apenas os turistas compram. Os natalenses praticamente não querem saber de cordel. A maior parte dos cordéis que vendem nas lojas   de pontos turísticos da cidade são publicados por mim. Na praia se vende tudo, mas nas livrarias ninguém compra”, explica, com certa tristeza. 

Professor, ele afirma que no estado ainda é um dos poucos poetas que vive de cordel. Ágil como as palavras que escreve, Izaías divulga seu trabalho onde ele pode realmente ser apreciado. Ele já conta mais de 20 viagens a eventos de literatura. No próximo dia 25 de julho, estará numa feira literária em Tocantins – com tudo pago pelo governo de lá. O seu primeiro cordelivro, “Chico Catatau”, está esgotado e receberá neste semestre três novas reedições; duas nacionais e uma portuguesa. Izaías também já lançou “Um catatau de cordel” e “Como eram os animais”. O cordelista nasceu em Montanhas, interior do estado, e aprendeu a gostar de cordéis e violas com o pai. A lição continua.

Serviço:

Lançamento de “A Briga do Sabão com o Sabonete”, de Izaías Gomes. Sexta, às 19h, na Siciliano (Midway Mall).

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários