Um encontro de casais

Publicação: 2018-06-03 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Três casais chegam, desavisados, a terapia e descobrem que, dessa vez, a sessão será em grupo. A psicóloga também não apareceu para mediar a conversa, deixou apenas alguns envelopes enumerados com instruções para que os clientes pudessem resolver seus problemas sozinhos. Esse é o enredo da peça, “Baixa Terapia” que chega ao Teatro Riachuelo nos dias 23 e 24 de junho.

A trama apresenta três casais (em crise) tendo que entender numa sessão sem psicóloga. O ator Antônio Fagundes vive um personagem diferente dos habituais na TV
A trama apresenta três casais (em crise) tendo que entender numa sessão sem psicóloga. O ator Antônio Fagundes vive um personagem diferente dos habituais na TV

A comédia traz um humor popular e promete final surpreendente a medida que, em meio às desconfianças, os personagens começam a revelar segredos e queixas, com diálogos realistas em vozes que, por vezes, escalam para um tom de histeria e descontrole. A montagem foi produzida por Antônio Fagundes, que comprou os direitos autorais do argentino Matias Del Federico. 

Em “Baixa Terapia”, o ator global explora um lado diferente dos vilões inescrupulosos e ricos fazendeiros que marcaram a sua carreira nas novelas. Junto com ele, estão Mara Carvalho, Fábio Espósio, Ilana Kaplan, Bruno Fagundes e Alexandra Martins, dirigidos por Marco Antonio Pâmio. No palco, o produtor e ator Antônio Fagundes dá vida ao personagem Ariel, que é casado com Paula. Ambos tem aproximadamente 50 anos de idade e brigam tanto que já sequer conseguem recordar dos bons momentos da relação. 

Fábio Espósito Ilana Kaplan, por sua vez, interpretam Roberto e Andreia, que estão na faixa dos 40 anos de idade. Em um trabalho, aclamado pela crítica, os atores conseguem explorar extremos fluindo entre o cômico e o trágico para dar vida ao casal que tenta superar traumas como a perda de um emprego e a morte da mãe de Andrea. 

Os mais jovens da trama, são o casal Estevão (Bruno Fagundes) e Tamara (Alexandra Martins), que tem cerca de 20 anos e vivem um impasse: Ele quer dar um passo no relacionamento e convida a namorada para dividirem a mesma casa, mas não entende porque ela está adiando a decisão. Com falas curtas, interjeições e ações bem planejadas, a trama prende a atenção do público e não deixa brechas, com um humor popular e inteligente característico das produções argentinas. Tudo isso ocorre em um cenário montado como uma maquete. Os atores transitam em um espaço delimitado do palco ambientado com elementos como sofás, mesas e cadeiras.

Outra característica da peça é que em “Baixa Terapia” Antônio Fagundes repete um modelo de interação com o público que tem se tornado característico de suas produções para o teatro. Ao fim do segundo dia de apresentação, 30 espectadores poderão conhecer os bastidores e o elenco da peça em um passeio guiado pelo ator global.

Serviço
Baixa Terapia Dias 23 e 24 de junho, no Teatro Riachuelo. Assinante da TN tem 50% de desconto em até dois ingressos. 

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários