Uma aventura no bosque em realidade aumentada

Publicação: 2019-06-05 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Ramon Ribeiro
Repórter

A exploração desenfreada do ecossistema terrestre deslocou o planeta de seu eixo, afetando drasticamente a vida na Terra. Por exemplo, os dias estão mais curtos e como consequência as pessoas estão mais angustiadas. Diante desse cenário uma grande mineradora descobriu no solo do Parque das Dunas a existência de cristais que podem sincronizar o tempo no universo. Esse é o ponto de largada do jogo virtual “Jornada no Bosque”, em que o jogador, no caso você, é o minerador recrutado para encontrar os minérios raros. Mas logo de cara você vai se ver numa encruzilhada. Uma ave falante aparecerá revelando haver no Parque mais segredos do que se imagina. Cabe a você continuar em frente com a missão da mineradora, ou embarcar numa nova jornada pelo bosque com a ave.

Jornada no Bosque é uma experiência de imersão e interatividade na qual o jogador terá toda a fauna, flora e fungos do Parque das Dunas para explorar
Jornada no Bosque é uma experiência de imersão e interatividade na qual o jogador terá toda a fauna, flora e fungos do Parque das Dunas para explorar

Voltado para smartphones nos sistemas Android ou iOS, “Jornada no Bosque” é um jogo de realidade aumentada semelhante ao sucesso Pokemon Go, ou seja, utiliza os recursos de captação de imagem e de som, bem como de GPS, para oferecer ao usuário uma experiência de imersão e interatividade com o espaço, no caso o Parque das Dunas. O game foi desenvolvido pela Casadágua Instituto e Estúdio de Criação, do Rio Grande do Norte, e contou com caprichado trabalho de arte, música, programação e pesquisa. O lançamento oficial acontece nesta quarta-feira (5), no Parque das Dunas, justamente no Dia Nacional do Meio Ambiente.

Desafio do jogo
“O desafio do jogo é fazer a Terra retornar a seu eixo natural. Sendo que ao invés dos bichinhos japoneses o jogador terá toda a fauna, flora e fungos do Parque das Dunas para explorar”, diz o diretor geral do game, o artista visual e antropólogo Maurício Panella – ele é autor da escultura de barro “Casa Mãe Terra”, no Parque, e um dos criadores do Museu da Memória Afetiva de Natal (Mmac), um museu virtual.

Panella conta que o que estará sendo lançado é a primeira fase do jogo, na qual a missão do usuário é coletar treze espécies nativas do local, de um universo de 44 cadastradas no jogo – oficialmente o Parque tem catalogadas mais de 600 espécies. “Depois vamos lançar as outras fases. O total são três. A ideia é que o projeto seja algo longo e contínuo”, comenta o criador, que aproveita pra frisar que o game só é jogável no Parque das Dunas. “Nosso objetivo é tirar as pessoas de casa. Fazer com que os jovens que já gostam de games venham ao Parque, entrem em contato com a natureza, descubram o que o local oferece de história”.

Além de Panella (direção geral e roteiro), a produção do jogo contou com a participação de Augusto Serquiz (roteiro, identidade visual e interface), Gabriela Mameri (roteiro), Andressa Louise (ilustração), Ariel Guerra (ilustração), Rafael Arnaud (game design), Mateus Arnaud (programação), Jéssica de Paiva Bezerra (pesquisa) e Mateus Tinoco (trilha sonora).

Tecnologia, arte e biodiversidade
O jogo é parte integrante de um projeto maior, um programa, chamado “Jornada no Bosque – A Natureza na Cidade”. O objetivo da iniciativa é difundir o patrimônio natural de Natal por meio da criação de produtos artísticos e de atividades pedagógicas, visando, especificamente, fortalecer a imagem do Parque das Dunas como espaço museístico, além de uma importante unidade de conservação. Nesse sentido foi elaborada uma programação gratuita com atividades que vão desta quarta-feira (5) até a sexta (7).

“O encontro da tecnologia com a arte e a biodiversidade é algo muito importante. No caso do nosso projeto, o que queremos é promover uma maior aproximação das pessoas com a natureza, de forma que elas conheçam melhor a biodiversidade da nossa cidade a partir de uma linguagem lúdica e artística”, comenta Maurício Panella.

A realização da “Jornada no Bosque” conta com patrocínio da Unimed Natal e da Luck Receptivo, por meio da Lei de Incentivo Municipal Djalma Maranhão, da Prefeitura de Natal. O projeto também tem o apoio do Parque das Dunas, do Idema-RN.

Observatório das nuvens no Parque da Cidade
O Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte, em Candelária, ganhou um Observatório de Nuvens. Talvez a primeira iniciativa do tipo no Brasil, o projeto permite ao visitante do Parque boas condições de contemplação das nuvens, com banco para sentar, ampla visão do céu, painel explicativo com os tipos de nuvem e curiosidades. O Observatório de Nuvens foi lançado na segunda-feira (3) dentro da programação da Semana do Meio Ambiente de Natal. A programação vai até o sábado (8), sempre no Parque, com atividades pela manhã e tarde, dentre as quais, palestras, oficinas, mostra de filme, lançamento de livro e apresentação de espetáculo. A entrada é gratuita.

Semana ainda terá ações no Parque da Cidade, com o Observatório de Nuvens
Semana ainda terá ações no Parque da Cidade, com o Observatório de Nuvens

O idealizador do projeto é o Astrônomo e mestre no Ensino das Ciências, José Roberto. Ele explica que as nuvens são como as expressões do rosto de alguém. “Quando estamos com alguma dor, expressão pelo nosso rosto. Com as nuvens é do mesmo jeito. Se o céu está carregado, é a atmosfera querendo dizer algo”, conta o astrônomo, que atenta um outro fato. “É comum se achar que o céu de Natal tem poucas nuvens. Isso é um equívoco. Nosso céu é bastante ensolarado, mas como qualquer cidade litorânea, temos bastante nuvens, até porque é no mar que elas se formam por evaporação”.

José Roberto é presidente da Associação Brasileira de Planetários (ABP). Ele comenta que enquanto o Observatório de Nuvens é algo contemplação real, sem necessidade de equipamentos para observação do céu diurno, o planetário é uma simulação do céu. José Roberto também não deixa de lamentar que Natal seja uma das poucas capitais do país a não ter um planetário. “Planetários são espaços de divulgação científica, estão mais modernos, não tratam mais somente com o céu noturno. São multidisciplinares, trabalham com a Antropologia e a História”, explica.

Camomila no Parque das Dunas
O Festival Camomila, novidade na programação cultural de Natal, vai estrear no próximo sábado (8) no Parque das Dunas. A programação contará com feirinha de economia criativa, oficinas, filme, meditação, roda de mantras e música. A participação é gratuita, mas o acesso ao Parque custa um real.

Em Búzios, a ong Oceânica realiza exposição sobre o berçário de tartarugas-de-pente
Em Búzios, a ong Oceânica realiza exposição sobre o berçário de tartarugas-de-pente

Dia do Oceano em Búzios
O Dia Mundial dos Oceanos é celebrado em 8 de junho. A data será lembrada com uma série de atividades na Praia de Búzios, berçário de tartarugas-de-pente do RN, espécie criticamente ameaçada de extinção. A programação está sendo promovida pelo Projeto Ponta de Pirangi/Oceânica e acontece entre às 14h e 17h, na própria praia, em local próximo à torre dos Guarda-vidas, em frente ao Big Blue. Estão previstas atividades como exposições artísticas e fotográficas, teatro, coleta de resíduos, roda de conversa, abraço à praia e possível abertura de ninho de tartarugas. O acesso é gratuito.

Programação da Jornada no Bosque:

Dia 5, às 14h
Cerimônia do Dia Nacional do Meio Ambiente

Exposição das ilustrações das espécies trabalhadas no jogo

Lançamento do jogo “Jornada no Bosque”

Dia 6, às 14h30
1ª parte do workshop “Quantas vezes você já trocou de folhas?”, com Maurício Panella

Dia 7

Às 9h: Workshop “Conhecendo e carimbando a biodiversidade do Parque das Dunas”, com Maurício Panella.

Às 14h30: 2ª parte do workshop “Quantas vezes você já trocou de folhas?”, com Maurício Panella









continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários