Uma história de pista de dança nos palcos do teatro

Publicação: 2019-06-02 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A casa noturna que deu o pontapé na era das discotecas no Brasil, transforma o palco em pista de dança: assim é o espetáculo “O Frenético Dancin´Days”, que transporta para o teatro a aura mítica em torno do lugar que marcou época no Rio de Janeiro. A balada será apresentada em Natal nos próximos dias 21 e 22 de junho, no Teatro Riachuelo.  A direção é de Deborah Colker.

Cenários e figurinos recriam a atmosfera disco, com direito a trilha sonora pilotada por um DJ. A direção é de Deborah Colker
Cenários e figurinos recriam a atmosfera disco, com direito a trilha sonora pilotada por um DJ. A direção é de Deborah Colker

Os cenários e figurinos recriam a atmosfera disco, mas com uma identidade própria. A direção musical de Alexandre Elias também acompanha o espírito da época e inova ao trazer um DJ pilotando a música ao vivo. O espetáculo relembrará grandes clássicos da discoteca como “I love the nightlife”, “You make me feel might real”, “We are Family”, “Y.M.C.A”, “Stayin´alive”, além de clássicos das Frenéticas e grandes sucessos nacionais da época, como “Marrom Glacê”, entre outros.

O musical é uma superprodução, com 17 atores e seis bailarinos. Deborah Colker assina também as coreografias (ao lado de Jacqueline Motta) e tem ao seu lado uma ficha técnica de peso: Gringo Cardia (cenografia e direção de arte), Maneco Quinderé (desenho de luz), Alexandre Elias (direção musical), Fernando Cozendey (figurinos) e Max Weber (visagismo). Passarão pelo palco os principais personagens que marcaram não apenas a história da boate, mas da cultura nacional.

Nelson Motta (ao lado de Patrícia Andrade) assinou o texto com a absoluta propriedade de quem foi um dos fundadores da boate e viveu toda a agitação que marcou o Rio naquela época. “Esse musical é uma festa, as pessoas ficam enlouquecidas na plateia, parece que estamos mesmo voltando aos tempos da boate. É uma alegria imensa”, afirmou. A boate chegou com esse caráter libertário, lá as pessoas eram livres, podiam ser como elas são. Isso tem uma grande força política, social, filosófica, artística. Não há nada como o livre arbítrio, estar em um lugar onde você vai ser quem você é”, ressaltou Deborah.

O Dancin´Days foi inaugurado em 05 de agosto de 1976 e marcou a chegada da discoteca no país. Lady Zu, Banda Black in Rio, Tim Maia, a pista da boate fervia. Na casa, se apresentaram nomes como Rita Lee (ainda com o Tutti-Frutti), Raul Seixas, Gilberto Gil. Foi nesse palco que também surgiu a banda As Frenéticas. A boate funcionou por apenas quatro meses, pois o contrato era limitado ao período que antecedia a abertura do Teatro dos Quatro. Ela celebrava um Rio e um país que conseguiam ser livres, apesar da ditadura militar.

Serviço
O Frenetico Dancin’ Days. Dias 21 e 22 de junho no Teatro Riachuelo. Assinante da TN tem 50% de desconto em até dois ingressos.





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários