Uma mistura luso brasileira

Publicação: 2017-05-19 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
É uma casa luso-brasileira com certeza. O empresário e chef português Miguel Gimenes sabe que o brasileiro em geral não resiste aos apelos ecléticos de um buffet bem diversificado. Há dois anos ele investiu nisso e criou a Doce Portugal, em Ponta Negra, um misto de confeitaria, padaria e loja de conveniência que oferece um pouco de tudo para variados paladares e necessidades. Há alguns meses, abriu uma filial na rua Jundiaí, no Tirol.

Estrudell, sonhos, pasteis de nata, torta de maçã e outros doces da variada confeitaria europeia
Estrudell, sonhos, pasteis de nata, torta de maçã e outros doces da variada confeitaria europeia

Miguel é viajado. Trabalha com turismo e gastronomia desde a adolescência, já passando por Espanha, Inglaterra, Suíça e Angola, “e aprendendo um pouco em cada lugar”, diz ele, que comanda a casa ao lado da companheira Keila Miranda, brasileira e potiguar. Foi aprendendo a observar cada lugar, que percebeu os gostos dos brasileiros. “Estou por aqui há quatro anos, e sei que o brasileiro gosta de um bocadinho de tudo. Juntei isso à qualidade do que eu ofereço, com preços justos”, analisa.

O confeiteiro português começou em Natal trabalhando em casa, durante a Copa do Mundo no Brasil, fornecendo guloseimas para os hotéis da cidade. A demanda o fez abrir o Doce Portugal – já pensado para ir além dos docinhos e salgados lusitanos. A variedade pode ser vista no buffet: tem travesseiros de Sintra e até uma versão mini do pastel de Belém, pensada para caber melhor nos misturados pratos brasileiros. E há também iguarias de origens diversas, como petit gateau, rabanada, tortinhas de maçã, strudel, cornucópias de chocolate e mousse de maracujá, sonhos, palmier, petit four de coco, e delícia folhada.

Pães Artesanais
O segmento de pães é todo artesanal, preparado na casa. Destaque para o pão d’água, uma receita em que a massa leva 90% de água à farinha e a fermentação é natural, sem aditivos. Há ainda o pão de cereais (com mix de cereais) e o pão tigre (com cobertura de farinha de arroz), além de pães ciabata, foccacia, de aveia, francês, entre outros. A padaria fica no ambiente de conveniência, que também vende frutas frescas (!), cafés, molhos, e produtos de higiene e limpeza.

Miguel e Keila Miranda investiram na diversidade de menu nas duas lojas, servindo lanches, refeições e padaria
Miguel e Keila Miranda investiram na diversidade de menu nas duas lojas, servindo lanches, refeições e padaria

Filiais
A Doce Portugal também investe nos salgados com o ecletismo habitual de seu cardápio. Entre quiches e brasileiríssimos pães de queijo, Miguel destaca o sanduíche de massa folhada, um sucesso local com recheio de presunto de peru e mussarela. Para o café da manhã e para o jantar, a cozinha da casa fornece ainda opções em sopas, tapiocas, omeletes, sanduíches, hambúrgueres, cuscuz, carnes, e demais petiscos que caem bem entre a manhã e a noite.

A confeitaria/padaria ainda conta com uma interessante carta de vinhos – na maioria portugueses, claro. Miguel ressalta que há rótulos do Alentejo, Douro e Lisboa, entre vinhos tinto, branco, rosé, verde, e do Porto. A Doce Portugal acertou tanto em cheio no paladar local, que um ano depois abriu uma filial no Tirol, e em breve virá outra na Cidade Alta.

Serviço:
Doce Portugal Confeitaria e Padaria Artesanal. Av. Praia de Ponta Negra, 9156, Ponta Negra. Aberta diariamente, das 6 às 21h. Na Rua Jundiaí, Tirol, de segunda à sexta, das 6 às 19h.



continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários