Uma Nonna renovada

Publicação: 2018-01-26 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Endereço novo, nome novo, administração nova, e o mesmo padrão de qualidade. O antigo Nonna Vitória, um dos restaurantes italianos mais elogiados de Ponta Negra, agora se chama Nonna Itália. Na verdade, as mudanças da Nonna não vão preocupar os frequentadores mais antigos: o restaurante se mudou para a casa vizinha, e a chef/proprietária Cássia Sironi, apesar de não morar mais em Natal, mantém a consultoria e as ideias de longe.

Cássia Sironi e sobrinha Girlene Lucena renovam a Nonna
Cássia Sironi e sobrinha Girlene Lucena renovam a Nonna

A fundadora Cássia está morando – e cozinhando - há um ano e meio na Itália, mas preparou a sobrinha Girlene Lucena para assumir a Nonna. “Eu casei e tive que me mudar, mas fizemos questão de manter negócio aqui em Natal, que continua sendo da família, com o mesmo padrão que criamos”, diz ela, ao melhor estilo italiano. Foram quatro anos de Nonna Vitória, e a cantina já estava precisando de mais espaço.

Uma das novidades recriadas pela chef Cássia é a salada de lagosta
Uma das novidades recriadas pela chef Cássia é a salada de lagosta

O novo local mantém o mesmo estilo, aproveitando o ambiente externo de uma residência típica do bairro, porém com mais espaço que a anterior. “A outra casa já não estava comportando bem a clientela, precisávamos mudar, mas não queríamos ir longe. A casa vizinha foi perfeita, pois além de maior, ainda mantém a nossa referência de endereço”, explica Girlene. A cantina ocupa o salão e o jardim da casa.

O cardápio da Nonna se manteve o mesmo, mas a nova chef já está com alguns pratos novos sendo exibidos para a clientela. Entre as iguarias recentes estão a salada de lagosta; massa fresca de cenoura com molho ala primavera; nhoque de batata-doce na manteiga de sálvia, e o filé ala terra (mignon com massa e molho funghi). Já entre os clássicos da casa, seguem firmes a massa fresca de camarão a la vodca, salada de polvo, a lagosta do chef, massa à carbonara, nhoque de espinafre recheado a quatro queijos, e torteli de espinafre e ricota.

Nhoque de batata-doce na manteiga de sálvia
Nhoque de batata-doce na manteiga de sálvia

A maioria das massas são fabricadas  na casa – e as industrializadas, são no padrão grano duro. A chef Girlene está apostando forte no segmento vegetariano/vegano, que antes contava apenas com a lasanha vegetariana. Agora há mais opções. As proprietárias ressaltam que o público tradicional não estranhou as mudanças – mesmo porque, foram mantidas programações como a rolha free às quintas-feiras, e o rodízio às sextas-feiras, ao preço de R$30 por pessoa. Não por acaso, o dia em que a casa mais enche.

Apesar de no começo a Nonna ser bastante frequentada pelos italianos, devido ao marido de Cássia, com o tempo a cantina virou queridinha dos natalenses. Hoje, a maior parte do público é local, e de turistas brasileiros. “Os mais viajados, que conhecem a Itália, dizem que a nossa comida não deixa nada a dever”, diz Cássia, com orgulho. Ela, que agora é uma brasileira cozinhando para italianos, sabe ainda mais o valor de sua arte. “É uma responsabilidade grande, e há preconceito, sim. Mas eu já provei pra eles que entendo do riscado. Apostaremos numa cozinha cada vez mais ítalo-brasileira, será um diferencial”, diz.        

Filé a la terra
Filé a la terra

Serviço:
Nonna Itália. Av. Praia de Búzios, Ponta Negra. Aberto de terça a domingo, das 11h30 às 16h, e das 18h30 às 21h30.    


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários